Arquivo

Archive for the ‘Sebastien Vettel’ Category

Grande Prêmio Petrobras do Brasil 2009 – Corrida

19 de Outubro de 2009 Deixe um comentário

E pronto! O campeonato terminou apesar de faltar uma corrida para o fim, com Jenson Button a conquistar o título para si e para a Brawn como já se esperava. Barrichello voltou a ter azar em casa, quando parecia ter-se finalmente livrado dele depois da brilhante pole position no Sábado

Para a Red Bull é o fim do sonho, apesar de Vettel ainda estar a discutir o vice com Rubinho. Kobayashi foi, de longe, a melhor estreia deste ano (desde Vettel, mesmo!), dando muito trabalho ao novo campeão do mundo, Nakajima, Fisichella,… Tudo pilotos que deverião estar muito acima do “rookie” nipónico!

Estou-me a esquecer de alguma coisa… Ah! É verdade: foi Mark Webber quem ganhou a corrida.

Não vencer era impossível

Apesar de muito eclipsado pela conquista do título de Button (tanto pelas câmaras de TV como na blogosfera), Mark Webber foi o justo vencedor de uma corrida em que foi perfeito de princípio a fim para conseguir os primeiros pontos desde o GP da Hungria, e a segunda vitória da carreira, com Kubica atrás de si.

O acidente monumental entre Trulli e Sutil (de que falarei em pormenor mais à frente) que levou, também, Alonso consigo ajudou bastante o australiano. Isto porque, não só arruinou a estratégia de Barrichello, como também se viu livre de dois adversários bastante sérios devido às suas estratégias.

Incidentes diversos provocam SC

Depois de todos os carros terem passado em segurança pelos “S de Senna” achámos que o GP do Brasil não iria trazer a sua habitual debandada inicial, mas “Físico” e “Kova” depressa comprovaram o contrário.

Heikki pisou com excessiva força o corrector na ânsia de passar Vettel, e isso foi fatal pois ao perder o controlo forçou Giancarlo a “fugir” para a relva, acabando com as aspirações de pontos para ambos quando precisam de reforçar as suas posições nas respectivas equipas.

Mais à frente, Sutil bloqueou um pneu para evitar Raikkonen (que tinha danificado a asa dianteira em Webber) e com isso viu-se na “mira” de Trulli. Mas aí o italiano exagerou pisando a relva, perdeu o controlo e destruiu o radiador de Sutil, indo cada um para seu lado… O Force India do alemão estava desgovernado e acabou por acertar em Alonso, vítima inocente do acidente.

Safety-Car para a pista, e mesmo assim houve mais acção: nas boxes estavam os dois finlandeses, Raikkonen e Kovalainen, devido aos seus incidentes. Mas vendo Kimi sair das boxes, Heikki quis-se apressar e levou a mangueira consigo. A gasolina continuou a deitar, e quando entrou em contacto com os escapes do outro finlandês incendiou.

Temeu-se o pior, mas o piloto da Ferrari nem parou, com o incêndio a estinguir-se sozinho. Kovalainen lá parou, e, num acto de “fairplay” os mecânicos da Brawn retiraram a mangueira para Heikki continuar.

Título arrumado

Como já disse mais à frente, Jenson Button conquistou o seu primeiro triunfo no campeonato mundial de Fórmula 1, conseguindo um título em que poucos acreditavam, com uma performance digna da conquista, indo com a faca nos dentes durante as primeiras voltas, e tendo a serenidade de não cometer loucuras quando tentou passar Kobayashi.

Quem sabe, agora que está libreto da pressão de ir com segurança, possa conseguir ir sem pressão para o Abu Dhabi lutar pela vitória.

Barrichello devia ir à bruxa antes de correr em Interlagos… Pela quarta vez em que conquista pole position na “sua casa”, não conseguiu ganhar a corrida. Tudo começou na largada, com a entrada do Safety-Car a destruir-lhe a estratégia, depois deu-se mal com o último jogo de pneus, e depois a defender-se de Hamilton o inglês furou-lhe o pneu traseiro!

Já Vettel foi muito consistente, porque apesar de o RB5 ter sido o carro a bater na pista brasileira, o alemão nunca desistiu do título, chegando em quarto e passando Button nas boxes graças a umas voltas-canhão “à la Schumi”.

Kobayashi e Hamilton brilhantes

Eram muitas as dúvidas em redor do que estes dois fariam na corrida.

Kobayashi tinha dado bons sinais no Japão, e não estava mal em Interlagos, mas as dúvidas relativas ao facto de ser um japonês na Toyota subsistiam. Eu próprio me incluo na lista!

No entanto foi incrível a capacidade com que progrediu pelo pelotão, dando muito trabalho a Jenson Button até o britânico lá o conseguir passar após 19 voltas (!), e num um-a-um com o compatriota Nakajima numa luta incrível saiu vitorioso.

Já Hamilton foi ainda melhor: a opção por um set up para seco parecia um erro gravíssimo na qualificação, mas foi perfeita para a corrida, pois a chuva não fez a aparição habitual no fim-de-semana. Dito isto, parece fácil, mas Lewis foi extraordinário chegando ao pódio, enganando-se na posição até ele e Kubica perceberem que estavam no lugar um do outro…

Leia também:
Fuji Television Japanese Grand Prix 2009 – Corrida
Singtel Singapore Grand Prix 2009 – Corrida
Gran Premio Santander d’Italia 2009 – Corrida

Post anterior: Grande Prêmio Petrobras do Brasil 2009 – Qualificação

Anúncios

Grande Prêmio Petrobras do Brasil 2009 – Qualificação

18 de Outubro de 2009 1 comentário

Numa das sessões de qualificação mais demoradas da história (não digo a mais demorada porque não tenho a certeza), que durou aproximadamente 3 horas, Rubens Barrichello conseguiu pole position no seu território e relança o mundial com as péssimas performances de Button e Vettel.

Depois de termos voltado a ver Button e a sua família super descontraídos durante a 6ª feira e um Vettel sorridente, tudo mudou com as caras sombrias de regresso aos dois homens que lutam pelo título. Vettel perdeu o título, e mesmo com chuva é demasiado anormal que consiga um pódio no circuito… A não ser que Webber se estampe contra o muro, claro!

Título com novo fôlego

A brilhante performance de Barrichello aliada à sorte que teve na Q2, ao acabar em 10º com a ameaça de Kobayashi o mandar para fora a acabar com um erro do japonês na parte final da prova.

Button e Vettel fizeram péssimos resultados quando tinham evidenciado bons resultados durante os treinos livres. Jenson ainda se compreendeu porque nunca foi bom à chuva (apesar da 1ª vitória na Hungria), mas Sebastian tinham a fama do mestre da chuva, e o modo como parou o carro nas boxes diz tudo: adeus título…

Ameaças a Barrichello

Para ameaçar o “conto de fadas” de Rubinho em casa, estão Webber, Sutil e Trulli que parecem ter os carros, as capacidades e as estratégias para conseguirem incomodar bastante o brasileiro.

Apesar de não ter ficado muito claro o que Mark Webber deverá fazer na corrida para ajudar a equipa e Vettel a conseguirem atrasar a decisão, o simples facto de o australiano estar mais pesado que Rubens deverá dar o bom espectáculo na largada.

Sutil e Trulli têm mostrado não estarem apenas a fazer figura na F1 nas últimas provas, mas é óbvio que ambos devem ser levados a sério. No entanto a motivação inconstante de Jarno e os excessivos erros sob pressão de Adrian (Shangai e Nurburgring) mostram que os seus principais adversários serão eles próprios!

Toro Rosso e Williams aos pontos…

Depois de ter passado toda a segunda parte da época na cauda do pelotão com as melhorias da Force India, a Toro Rosso esteve bastante bem em Interlagos mesmo com o line-up inexperiente, com Alguersuari a ficar na Q2, e Buemi a partir de 6º lugar (a sua melhor qualificação de sempre) mesmo sendo o mais pesado da Q3!

Já Williams mostrava ser a mais forte candidata à pole position na Q1 e Q2, mas inexplicavelmente e apesar de terem uma estratégia igual aos do topo ficaram em 7º e 9º.

Mau tempo e acidentes assustam a FIA

Depois de termos achado que tínhamos atingido o fundo do poço com a qualificação do GP do Japão, creio que conhecemos profundidades maiores em Interlagos… O mau tempo já tinha feito das suas no 3º treino livre, mas na qualificação foi o descalabro.

Fisichella rodou e o motor morreu e bloqueou a pista. Aí entendeu-se a demora para recomeçar. Depois começou a Q2, e Liuzzi perdeu o controle na recta da meta. Apesar da esctaculariedade do acidente, o italiano saiu a pé.

Aí sim creio que foi um disparate aquele tempo imenso (quase uma hora) que os comissários perderam para finalmente recomeçarem o treino, quando, na minha opinião, as condições não estavam assim tão melhores na hora do recomeço…

“Os comissários da FIA são como as velhinhas, cheios de cautelas excessivas,
e enquanto isso não mudar vamos ter mais cenas tristas como as de hoje…”

Jaques Laffite sobre o GP da China

E não é que ele tinha razão…

Leia também:
Fuji Television Japanese Grand Prix 2009 – Qualificação
Singtel Singapore Grand Prix 2009 – Qualificação
Gran Premio Santander d’Italia 2009 – Qualificação

Post anterior: Grande Prêmio Petrobras do Brasil 2009 – Previsões

Capa Autosport – Lorenzo não atira a toalha!

7 de Outubro de 2009 Deixe um comentário

E para não variar muito voltei a ter problemas em manter uma regular presenção aqui no blog, porque quando finalmente tive tempo para “tratar” de tudo o que tinha atraso… quando me entra um Trojan pelo computador adentro! Devo ter partido um espelho, hã?

Enfim, lá consegui pôr isto a trabalhar tempo suficiente para dar tempo de fazer alguns posts. A “Capa Autosport” desta semana tem como principal destaque a vitória de Lorenzo no Estoril que o coloca com mais hipóteses de título ainda que diminutas; as vitórias de Vettel e do “meu” Sporting na F1 e Superleague, respectivamente.

Eis os destques completos em análise:

Button a seis pontos do título

Como não podia deixar de ser nesta altura do campeonato (literalmente), um ponto de situação da classificação da época. Button está realmente imparável e é muio complicado que alguém lhe roube o ceptro agora! Na realidade, mesmo com a aproximação de Vettel (a apenas 2 pontos de Barrichello) fica tudo na mesma.

Tal como em 2007 temos dois pilotos da mesma equipa na frente com o título quase assegurado, e ainda um “outsider” que apareceu mais forte na última corrida. Por isso como eu disse não descontem “Baby Schumacher” das contas para já!

Pequeno pormenor para a possibilidade de Massa regressar já para Interlagos, pois o brasileiro fará hoje testes em Paris e no caso de luz verde, vai testar (como Schumacher) o F2007 com pneus de GP2, pois seria uma imposição da FIA e não um verdadeiro pedido…

Ferrari confirma Alonso

Na última edição não me alonguei muito sobre o calendário de 2010 porque já o tinha feito no blogue, e é também isso que vou fazer sobre a ida de Fernando para a Scuderia que já analisei aqui. No entanto, há uma pequena caixa sobre o facto de a Williams ter vetado a entrada de uma 14ª equipa alegando que obviamente se abrirá uma vaga…

Mercado em ebulição

Mais um ponto de situação dos mercados de pilotos que mostra como este ano está tudo de pantanas com as equipas e pilotos com menos de metade dos lugares atribuídos… Da novela sobre a troca de equipa de Barrichello e Rosberg, as situações de Kovalainen e Glock até à possibilidade de Trulli se juntar a Gascoygne! Já para não falar de Kubica que acabou de se juntar à Renault hoje.

Tem cara de míudo, mas…

… a ele ninguém o engana! Foi este o título que Luís vasconcelos deu à sua análise à corrida do último fim-de-semana com uma grande vitória de Sebastian Vettel. A continuação da Ferrari à frente da McLaren, as polémicas penalizações na qualificação, a vantagem que Rosberg ganhou quando devia ter abrandado, e ainda a possível continuação da Toyota na F1 graças ao pódio de Trulli…

Outros

Senna e Parente como principais hipóteses para compôr a equipa Virgin/Manor, a brilhante estreia de Kobayashi nos treinos livres à chuva, a confirmação de Alguersuari e Buemi na Toro Rosso para 2010, Webber nos estreantes GP3, Ecclestone impõe prazos a Donington e Montreal, o GP da Alemanha confirmado até 2016, e ainda problemas com a Fuji TV…

Fuji Television Japanese Grand Prix 2009 – Corrida

4 de Outubro de 2009 Deixe um comentário

Finalmente a Red Bull e Vettel mostraram a equipa que dominou no meio da temporada, apagando as más memórias vividas mais recentemente! Apesar de ter feito, na prática, uma sessão de testes durante a corrida, Webber ainda conseguiu achar o seu ritmo no final, marcando a volta mais rápida da prova.

Ao contrário do que se previa não foi uma prova emocionante. Na realidade, acho que foi a mais tediosa da temporada inteira pois houve poucas ultrapassagens, e nem no cronómetro tivemos lutas dignas desse nome… Os momentos altos do fim-de-semana foram mesmo o grid completamente trocado e os acidentes na qualificação.

Tão perto e tão longe

É assim que se pode classificar a corrida de Sebastian Vettel e consequente situação de campeonato, pois o alemão está num momento fantástico, mas a sua situação de campeonato, ainda que tenha melhorado graças à fraca corrida dos Brawn. O alemão está a apenas 2 pontos de Barrichello. Se a equipa do brasileiro continuar assim, Sebastian poderá ser levado a sério para o título.

O alemão dominou absolutamente os acontecimentos, não deixando Hamilton chegar-se nas fundamentais 2 primeiras voltas. A partir daí foi bastante monótono, pois estava mais pesado que o inglês. O resultado foi importante para a Red Bull porque Webber não conseguiu recuperar dos problemas de Sábado, e parou duas vezes nas 4 voltas iniciais.

No entanto, ainda se conseguiu redimir efectuando nas voltas finais o recorde de tempo da corrida.

Brawn decepciona

Os britânicos sabiam que os RB5 seriam os melhores na pista japonesa, mas esperava-se que os carros de Ross Brawn conseguissem chegar ao pódio. O resultado final foram dois carros nos derradeiros lugares pontuáveis e muitas dores de cabeça para Barrichello, que ganhou apenas 1 ponto ao seu rival.

Corre-se o risco de, pela segunda vez consecutiva, vermos um britânico sagrar-se campeão do mundo no GP do Brasil às custas de um brasileiro… Só faltaria Rubens celebrar o título durante 30 segundos para ser uma cópia!

Toyota e McLaren cumpriram o seu “papel”

Depois dos resultados obtidos na qualificação, ambas as equipas sabiam exactamente o que iria acontecer: um piloto lá na frente, o outro no anonimato (ainda que no caso dos japoneses tenha sido forçado)… Trulli e Hamilton tomaram parte no único duelo de jeito desta corrida, com o italiano a ser passado na largada para voltar à frente no último pit stop.

Os seus companheiros tiveram destino diferente: Glock viu-se impedido de participar devido ao seu acidente que ameaça colocá-lo de fora o resta da época; e Kovalainen voltou a envolver-se num acidente em que tem grandes culpas (o outro foi com Barrichello na Turquia) com Sutil, terminando longe dos pontos e da possibilidade de ter o contracto renovado…

Ferrari e Williams correm correram só com um

Tanto a Scuderia como a equipa de Sir Frank, viram-se obrigados a verem os seus carros alternarem entre um ritmo forte e fracas exibições… Raikkonen e Rosberg foram constantes e chegaram logo atrás dos 3 primeiros com conduções limpas e constantes. No caso do finlandês foi uma boa resposta à entrada de Alonso para o seu lugar!

Já Nakajima e Fisichella não fizeram nada de especial, com o primeiro a não conseguir que o facto de correr em casa lhe melhorasse a performance, e “Físico” a juntar-se a Badoer no grupo dos italianos que não vingaram na Ferrari… A não ser, claro, que consiga pontuar nas duas últimas provas do mundial.

Safety-Car chamado no final

Quando nos minutos finais se achava que já nada aconteceria, Alguersuari perdeu o controlo do carro antes da chicane final, destruindo um placard, o seu STR04, e ainda largando um pneu que atravessou a pista duas vezes: onde estão as suspensões agora, hein FIA?

O SC era uma escolha óbvia, e por pouco não tínhamos mais uma corrida que encerrava atrás dele como na Austrália. No entanto, isto voltou a trazer problemas de pilotos com bandeiras amarelas, pois Rosberg teve o seu 5º lugar ameaçado até se comprovar pela telemetria que o alemão tinha abrandado…

Leia também:
Singtel Singapore Grand Prix 2009 – Corrida
Gran Premio Santander d’Italia 2009 – Corrida
ING Belgian Grand Prix 2009 – Corrida

Post anterior: Fuji Television Japanese Grand Prix 2009 – Qualificação

Fuji Television Japanese Grand Prix 2009 – Qualificação

4 de Outubro de 2009 Deixe um comentário

(Post atrasado por problemas com o servidor, e a informação apenas actualizada até às 20h de Portugal)

Uma sessão absolutamente caótica no Japão na madrugada deste Sábado, que acabou com 3 interrupções, vários acidentes, e ainda mais penalizações à mistura. No entanto, na minha, opinião, não bateu a qualificação do Nurburgring como a melhor da temporada.

Vettel conseguiu colocar a Red Bull de volta às pole positions num circuito em que já se sabia que os RB5 iriam ser a referência. A estratégia também favorece o alemão sendo vital para se manter na frente do KERS de Hamilton. O grid acabou por ficar todo “partido” e coloca uma corrida muito interessante para amanhã!

Acidentes e penalizações são lei

Nunca tinha visto semelhante coisa: uma sessão de qualificação na qual os tempos quase não contaram para nada! A Q1 foi a única sessão a decorrer naturalmente, com os resultados a não serem grande surpresa tendo em conta as previsões. A partir daí… foi o salve-se quem puder!

Na Q2 dois acidentes com intervalos de 3 minutos e meio colocaram o pelotão inteiro em apuros, com os Brawn a terem sido penalizados por passarem pelas bandeiras do acidentado Buemi, tal como Alonso e Sutil…

Vettel agarra a oportunidade

Depois de Webber ter inutilizado o seu carros, o alemão tinha nas mãos a responsabilidade de mostrar o nível dos RB5. Dito e feito! Em todas as sessões qualificativas, Sebastian foi o mais rápido, superiorizando-se aos adversários que estiveram bem perto no final. Depois de ter sido aldrabado em Singapura pela FIA, ei-lo a dar uma resposta válida!

Já o seu companheiro não fez nada de válido, ficando (novamente) mal, não conseguindo qualificar-se devido a um erro seu nos treinos da manhã que danificaram gravemente o carro…

Rosberg e Kubica beneficiam

Quem saiu muito bem nesta história das penalizações foram Rosberg e Kubica, que podendo escolher uma estratégia de paragem tardia por terem ficado na Q2. A subida em detrimento de outros caiu que nem ginjas e têm hipóteses muito realistas de chegar à vitória, pois estão para mais 10 voltas que os da frente e não muito longe.

Sortes distintas entre companheiros

Em Toyota, McLaren e Ferrari as coisas foram de extremos: enquanto Trulli brilhou em levar o carro com quase tanta gasolina como os rivais até ao 2º posto, Glock perdeu o controlo e corre o risco de ficar de fora não só na corrida como no resto da temporada; Hamilton tem hipóteses de vitória e Kovalainen vai partir de 13º.

O mais nivelado foi na Ferrari: Kimi chegou em 5º com algumas penalizações de outros, e Fisichella não saiu da Q1, mas beneficia do facto de quase todos os penalizados terem ficado abaixo de si para estar perto do Top Ten…

Agora sim, Toro Rosso melhora

Depois de muitas promessas, os carros da segunda equipa da Red Bull deram um ar da sua graça, pois apesar de ambos os pilotos terem danificado os carros durante a qualificação (duas vezes no caso de Buemi) nenhum deles se ficou pela Q1. Um verdadeiro feito!

Alguersuari finalmente conseguiu mostrar que não foi apenas escolhido por ser jovem, espanhol e no programa Red Bull (apesar de ajudar), indo até ao Top Ten graças às falhas e problemas dos outros.

Leia também:
Singtel Singapore Grand Prix 2009 – Qualificação
Gran Premio Santander d’Italia 2009 – Qualificação
ING Belgian Grand Prix 2009 – Qualificação

Post anterior: Fuji Television Japanese Grand Prix 2009 – Previsões

Singtel Singapore Grand Prix 2009 – Pontuação

28 de Setembro de 2009 Deixe um comentário

Após mais uma corrida de Fórmula 1 chega a altura de analisar quem esteve bem e quem esteve mal na noite de Singapura. Na altura de colocar os pontos nos “is” foi Hamilton quem esteve extremamente bem, Button fez apenas o necessário, e Alguersuari que nunca encontrou o ritmo, não só nesta corrida como também desde que chegou à Hungria…

Sem mais demoras eis as pontuações da corrida de ontem:

Lewis Hamilton: O fim-de-semana não começou bem, pois o carro nunca respondeu, mas o trabalho da equipa na noite de Sexta que colocou o McLaren no topo nos treinos, e depois na qualificação, desta vez com uma mãozinha de Barrichello. Na corrida foi perfeito, e nem um problema no KERS e as pressões de Vettel o colocaram em baixo. Nota 10.

Timo Glock: Nos treinos a Toyota não fez nada de especial, e isso reflectiu-se nas suas performances, mas a maneira como se superiorizou a Trulli com um carro lentíssimo foi brilhante, numa altura em que a base de Colónia está sob pressão da administração. Logo, este pódio não só o ajuda a ele como ao moral da equipa inteira! Nota 9 (demasiado ajudado por erros dos outros).

Fernando Alonso: Quando a Renault mais precisava esteve de volta o piloto que ganhou os campeonatos de 2005 e 2006. Foi absolutamente brilhante na largada, mas pecou por ser demasiado agressivo nas voltas seguintes. Apesar de alguma ajuda, mereceu mais este pódio que a vitória do ano passado… Nota 9.

Sebastian Vettel: Seria o provável vencedor da corrida, mas o acidente de Barrichello complicou-lhe a vida, e depois a sua estratégia era a mais desadequada não conseguindo a vital passagem a Hamilton. No seu lado fica a recuperação de um “drive-through” por um problema no limitador e um espelho retrovisor pouco cooperante… Nota 8.

Jenson Button: Foi patético na qualificação e na partida ao ver que Barrichello nunca conseguiria marcar muito mais que dois pontos não correu riscos e arrastou-se pela grelha… Depois contou com o azar no pit stop de Barrichello e uma estratégia mais bem adaptada para acabar na frente de Rubens. Nota 6.

Rubens Barrichello: O brasileiro fez o possível, mas finalmente teve que trocar a caixa de velocidades e caiu para uma posição em que a sua estratégia era péssima! Não pôde fazer muito na corrida e o motor morreu no último pit stop, mas sem aquele erro na classificação… Nota 7.

Heikki Kovalainen: Na qualificação tinha a desculpa de não ter tido tempo, mas na corrida perdeu de imediato posições para os Brawn quando tinha KERS (tal como em Monza), e nem com grandes falhas de outros conseguiu ir além de 7º enquanto o seu companheiro ganhou… Nota 5.

Robert Kubica: O polaco sofreu com o carro, e as melhorias da BMW não se revelaram tão eficazes como o previsto, vendo-se forçado a aguentar Nakajima e Raikkonen no final da corrida. Nota 6.

Kazuki Nakajima: O japonês voltou a não pontuar, e nem com algumas falhas de outros pilotos conseguiu chegar aos pontos num fim-de-semana em que a Williams esteve bem… E, acabou mais perto de Raikkonen que de Kubica. Nota 4.

Kimi Raikkonen: O finlandês viu-se confrontado com um carro fraquíssimo que nem para os pontos pareceu ser candidato. Defendeu-se com pouco ânimo dos carros do meio do pelotão, e fez apenas o suficiente baixando o preço do seu contracto para a Ferrari! Nota 6.

Nico Rosberg: O alemão merecia muito mais neste fim-de-semana e foi cruel o modo como perdeu o pódio. Aquele erro foi um pouco estúpido, mas no resto do fim-de-semana foi soberbo e merece um carro ganhador para 2010. Nota 8.

Jarno Trulli: O italiano foi patético durante toda a prova enquanto o seu companheiro deu que falar. Deverá ser a sua última temporada, porque está sem mercado nenhum… Nota 3.

Giancarlo Fisichella: O italiano tinha mais uma corrida de adaptação, mas numa altura em que o F60 era um carro de meio do pelotão não podia ter feito muito mais, mas tal como sempre perdeu o ânimo por completo perante dificuldades… Nota 5.

Vitantonio Liuzzi: O que se passou?! Depois de ter deixado no ar que merecia uma oportunidade de continuar a correr na F1 em Monza, foi uma sombra de si mesmo em Singapura, não reagindo bem ao facto de o Force India ter voltado ao fundo da grelha. Nota 4.

Jaime Alguersuari: Mais uma corrida em que mostrou que apenas permanece na categoria graças à condição de jovem espanhol do programa Red Bull… Na minha opinião teve grandes culpas no incidente Sutil X Heidfeld pois seguia 2s mais lento que Raikkonen, e este já não ia propriamente depressa! Nota 2.

Sebastien Buemi: Voltou a mostrar os níveis vistos no início do ano perante a melhoria da Toro Rosso (ou terá sido a descida da Force India?), e parecia ir terminar no Top Ten antes dos travões lhe acabarem a corrida. Se Loeb substituir alguém em Abu Dhabi, torna-se óbvio: não será ele! Nota 6.

Mark Webber: O australiano tinham uma missão simples: acabar na frente de Vettel e Button para mostrar que ainda poderia ser campeão. Mas uma má partida e travões com problemas relegaram-no ao papel (agora oficial) de ajudante de Sebastian… Nota 4.

Adrian Sutil: O alemão sofreu uma quebra psicológica após se ter dado conta que o VJM-02 já não era o mesmo de Monza, e na corrida era óbvio que se estava a enfurecer com Alguersuari, pois o espanhol não o deixava passar e isso levou-o a cometer o erro de querer voltar de imediato acabando com a sua corrida e a de Heidfeld. Nota 4.

Nick Heidfeld: Depois de lhe terem “roubado” o lugar que tinha na Q3, era claro que estava apenas a fazer uma autêntica sessão de testes. Mesmo assim não desistiu e foi a determinação (ou será casmurrice) de Sutil a atirá-lo para fora… Os insultos que fez ao alemão tinha uma óbvia razão de ser: um fim-de-semana para esquecer! Nota 5 (pela performance na qualificação).

Romain Grosjean: Mais um fim-de-semana para esquecer com o franco-suíço a ter sofrido de uma indisposição e a estranha decisão de não o substituir foi desastrosa! Ainda bateu Liuzzi, mas isso não é um feito, e desistiu após 5 voltas… Mesmo doente, há que lembrar que Hamilton acabou em 2º em Valência (2008) com uma febre. Nota 1.

Leia também:
Gran Premio Santander d’Italia 2009 – Pontuação
ING Belgian Grand Prix 2009 – Pontuação
Telefónica Grand Prix of Europe 2009 – Pontuação

Post anterior: Singtel Singapore Grand Prix 2009 – Corrida

Singtel Singapore Grand Prix 2009 – Corrida

27 de Setembro de 2009 Deixe um comentário

Grande corrida com um grande resultado final que tornou Lewis Hamilton no mais vencedor no período 2007-2009! Apesar de algumas opiniões insistentes em como o GP da Singapura é dos mais aborrecidos e que devia sair do calendário creio que estão errados: considero esta corrida emocionante graças à mudança de protagonistas.

Enfim, numa corrida em que Button garantiu por certo o título mundial, Rosberg e Vettel cometeram erros cruciais que nos roubaram a hipótese de ver uma luta a três pela vitória nas voltas finais. A 4 se contarmos com Glock, que fez uma corrida fenomenal, ainda que sem chegar perto de Hamilton!

Domínio de Hamilton e brilho de Glock

Por mais que se tente discordar é impossível: Lewis esteve inspirado na noite de Singapura, ganhando muito tempo no início da prova com um carro mais pesado. Quando o Safety-Car apareceu, por causa do acidente Heidfeld-Sutil, Vettel revelou-se um forte adversário mas tal como na Turquia não conseguiu passar, mesmo estando mais leve.

Depois de também ele ter cometido um erro, Hamilton limitou-se a controlar a corrida, nem se dando ao trabalho de andar ao nível de Glock, pois o alemão já vinha muito atrás quando começou a bater os tempos do britânico…

Timo esteve excelente, ganhando uma posição a Alonso nas primeiras voltas, e passando Webber depois porque a Red Bull o tinha mandado fazer por medo a uma penalização por ter ido para fora da pista no combate com Alonso. As falhas de Rosberg e Vettel colocaram-no na segunda posição nunca tendo sido ameaçado por Alonso.

Travões dão dores de cabeça a Red Bull

A Red Bull (e com isto também me refiro à Toro Rosso) esteve péssima. Por mais que as performances até tenha sido bem melhores que nas corridas anteriores, a verdade é que os carros de Adrian Newey sempre se mostraram demasiado frágeis…

Prova disso foi o espelho retrovisor de Vettel se ter soltado em plena recta, depois de ter ficado deformado durante várias voltas, e ainda os problemas de travões que assombraram Sebastian no final da corrida, e que já tinham colocado o seu companheiro e os Toro Rosso de fora da corrida!

No entanto não foram apenas os travões que causaram problemas a Alguersuari, que (na minha opinião) foi o causador do acidente entre Heidfeld e Sutil, para além de ter feito sobreaquecer o último…

Para Mark Webber foi muito pior: o título foi-se e agora será forçado a ajudar Vettel a tentar alcançar os Brawn.

Quem os viu e quem os vê

Ferrari, Force India e Williams estiveram muito diferentes das performances vistas nas últimas duas corridas: só que enquanto isso foi pela positiva na Williams, foi pela negativa nas duas primeiras…

Depois de terem conquistado os primeiros pontos, esperava-se que os VJM-02 chegassem (pelo menos) ao Top Ten. Nada disso aconteceu e o único representante de Vijay Mallya acabou na última posição… A Ferrari não se pode ficar a rir, pois o “Iceman” apenas chegou em 10º, e “Físico” só conseguiu chegar na frente de Liuzzi (que esteve muito menos impressionante em comparação com Monza)!

Já os carros de Sir Frank viram o regresso aos bons tempos, e parecia que finalmente iriam facturar um pódio, mas o facto de Rosberg se ter baralhado e colocado o carro inteiro sobre a linha das boxes (1ª vez na história)… Um “drive-through” era óbvio e Nakajima voltou a não estar à altura do carro.

Mensagens de apoio para “desapoiar”

No final da corrida Fernando Alonso esteve no mínimo estranho: não perdeu tempo a festejar, foi o primeiro a chegar ao line-up dos três primeiros, cumprimentou Glock e não Hamilton (isto já é um pouco mais justificável…) e mal festejou o melhor resultado da temporada num dos tempos mais difíceis da equipa.

O pior ficou reservado para o final quando afirmou dedicar o pódio a Flavio Briatore… O desagrado da equipa foi óbvio, pois o italiano fez declarações de vingança após a decisão do Conselho no mínimo estranhas! Uma prova que o espanhol deve estar de partida para a Ferrari, como o presidente da Scuderia já deixou escapar…

Button com uma mão na taça

A corrida de hoje foi obviamente a consagração de Button: é absolutamente irrealista que Barrichello consiga tirar metade dos pontos disponíveis a Button em 3 corridas (15 em 30). O inglês sorriu como nunca no final pois nem precisava de acabar na frente de Rubinho para consolidar a sua posição.

Rubens perdeu as hipóteses de acabar na frente de Button após ter deixado o motor “morrer” na última paragem… Mesmo assim se Button não ganhar uma corrida até ao final do ano não merece o título, pois assim só terá ganho quando o Brawn foi o dominador indiscutível!

Leia também:
Singtel Singapore Grand Prix 2009 – Qualificação
Gran Premio Santander d’Italia 2009 – Pontuação
Gran Premio Santander d’Italia 2009 – Corrida

Post anterior: Singtel Singapore Grand Prix 2009 – Qualificação