Arquivo

Archive for the ‘Regulamento’ Category

Que venha 2010 para nos divertirmos…

20 de Agosto de 2009 Deixe um comentário

Após meses de batalhas, guerrilhas, birras e encenações chega finalmente ao fim a cavalgada de Mosley nos regulamentos. Sim, porque eu duvido que tenha sido ele ter as ideias principais do regulamento! “Mad” Max não tem princípios suficientes para colocar a F1 em paz…

Enfim, a F1 está de volta à serenidade com a publicação dos regulamentos que ficaram em vigor até 2012. As medidas prometem trazer de volta paz, sossego, e, acima de tudo, competição mais saudável para a competição. Eis os principais pontos dos regulamentos:

Reabastecimentos proibidos: Após 16 anos com o combustível a poder ser colocado nas paragens juntamente com as trocas de pneus, chega ao fim. Para além dos grandes perigos associados, os reabastecimentos retiraram muita acção da pista, que se passou a desenrolar nas boxes…

Qualificação: Apesar da duração das 3 sessões classificatórias continuarem na mesma, existem alterações. Em vez de cinco, oito carros passarão a ser eliminados na Q1 e Q2. A “Superpole” continuará com o “clube restrito” de apenas 10 carros.

A FIA conseguiu ter juízo e não obrigou os pilotos a correrem na qualificação com o depósito cheio para a corrida, voltando a “pole position” a ter outro significado para quem a conquista. Tudo para evitar que aconteça o mesmo que na Hungria

Sistema de medalhas foi ao ar: Apesar das últimas palavras de Bernie Ecclestone em relação às possibilidades de Vettel conquistar o título fossem maiores com o “seu” sistema de medalhas, as regras dos pontos não se alteraram.

Acho que não devemos ir ao exagero de apenas premiar os 3 primeiros, mas o sistema tem que favorecer um pouco mais quem ganha. Bom mesmo era o sistema da FOTA (12-9-7-5-4-3-2-1)…

Regras de testes e KERS mantidos: Tal como o F1 Fanatic também acredito que as pessoas julgaram o KERS demasiado depressa, e numa altura em que o peso mínimo dos carros será aumentado creio que as equipas se vão sentir mais tentadas a transformar os 15kg extra em mais 80 cavalos, e não em mais peso…

Sem surpresas, a FOTA insistiu e conseguiu manter a regra de não haver testes durante a temporada. No entanto, isto vai acabar por impossibilitar o ingresso de piltos novos a meio da temporada (Alguersuari, Badoer, Grosjean) como se fazia há uns anos atrás (Kubica, Vettel).

No entanto, o geral das regras está melhor do que há uns anos atrás, e pode ser que a estabilidade dos regulamentos ajude os técnicos a transformarem estes camiões, em algo mais imaginativo. Alguém se lembra dos flancos do Honda de 2006?

E você, o que acha das regras para 2010?

Uma questão de linhagens…

8 de Agosto de 2009 1 comentário

As medidas anti-montadoras de Mosley, têm atingido o seu objectivo...

Após as sucessivas investidas de Max Mosley contra o desporto este ano, afectando (e muito) o desenho dos carros, e fazendo vários tentativas de afastar as montadoras. Isso culminou no abandono da Honda e da BMW. Isto levou à criação da Brawn, e, provavelmente vai levar a mais uma equipa independente se juntar ao campeonato com a ausência da BMW.

Em vários ataques da FOTA às equipas que a FIA tinha para consideração, o assunto base era o facto de as equipas que se inscreviam não terem qualquer historial, levando aos casos da Lotus e Brabham a ganharem vida própria… Mas, e se eu lhe dissesse que as equipas que disputam o campeonato (tanto de pilotos como de constructores) vêm das linhagens de nomes como Tyrrell e Stewart?

É verdade. As duas equipas que lutam pelo campeonato este ano, Red Bull e Brawn, vêm de tempos anteriores. Ora vejamos as duas equipas de topo de 2009:

A Brawn vem da linhagem da vencedora de títulos Tyrrell

Brawn: A equipa britânica que dominou o início desta temporada, tem raízes muito profundas, desde 1968, para ser mais preciso. Os títulos mundiais, da então Tyrrell, com o grande Jackie Stewart eram uma miragem distante nos últimos anos de vida. Os problemas financeiras levaram a equipa a ser comprada pela BAT (British American Tobacco).

Após essa compra, a equipa nunca mais fez resultados de relevo, ainda que em 2004 quase tenham ganho uma corrida, e facturaram 11 pódios. O que acabou a equipa foi a relação chegado com a Honda que optou por comprar a BAR em 2006. O primeiro ano, deu uma vitória e vários pódios, mas os dois seguintes foram decepcionantes, até a equipa se tornar a Brawn GP.

Jackie Stewart criou a Stewart GP, que actualmente é conhecida como Red Bull

Red Bull: A equipa austríaca tem uma história bem mais pequena. Quando Jackie Stewart criou a sua equipa a partir do nada em 1997, as dúvidas dissiparam-se, pois no ano de estreia Rubinho conquistou pontos regularmente e um pódio no Mónaco. No ano seguinte as coisas não correram tão bem, mas em 1999 a equipa estava logo atrás de McLaren e Ferrari, conquistando uma pole em Magny-Cours e uma vitória em Nurburgring.

Stewart revelou-se mais perspicaz que Prost com a equipa, vendendo a Stewart GP quando estava na mó de cima para a Jaguar. Em boa hora o fez porque os dois primeiros anos correram muito mal, levando à venda da equipa para a Red Bull em 2005. Desde então a equipa austríaca tem sido caracterizada como equipa do meio da tabela, mas este ano luta pelo título mundial… Uma curiosidade da marca de bebidas: desde 2004, que os números 14 e 15 são de carros com patrocínio Red Bull (Jaguar em 2004, Red Bull de 2005 a 2007 e 2009, e Toro Rosso em 2008).

Outras equipas também têm alguma história: Renault vem da Toleman, BMW vem da Sauber, Toro Rosso da Minardi e Force India da boa e velha Jordan.

Capa Autosport – Fim-de-semana louco na F1

28 de Julho de 2009 Deixe um comentário

À semelhança do Continental Circus decidi começar a cobrir mais o produto nacional português. Sendo mais patriota vou mostrar-vos o Autosport e o que podem encontrar nele acerca de F1 esta semana.

Acidente de Massa: Especial acerca do estado de saúde do brasileiro, com os casos de objectos voadores, tal como o Capelli, a estranha coincidência de Massa com Henry Surtees, e, mostram também quem deverá substituí-lo. Segundo eles, Badoer, Gené e Schumacher não são indicados, e que é Fisichella (!) quem o deveria fazer.

Novo pacto de Concórdia: falam também que os regulamentos da próxima época já estão definidos, e que apenas falta assinatura da FIA. Falam também que a FIA pediu à Lola para continuar o programa de F1, devido aos problemas da Manor. A promoção da última continua a levantar suspeitas, com Prodrive e Epsilon Euskadi a juntarem-se à N Technology para processar a FIA. A Williams estará a tentar reduzir bastante os custos, pois prevê-se que haja ruptura com a Toyota, e Sir Frank terá que voltar a comprar os motores da Cosworth, já não falando no abandono dos patrocinadores…

Tudo à espera: O semanário fala também que o campeonato está com muitas trocas de pilotos agendadas, com o teste de Senna com a Brawn a marcar a luta que está a haver entre ele, Barrichello, Glock e Heidfeld pelo segundo Brawn; a Williams está em busca de uma dupla nova, pois Nakajima irá com os motores Toyota e Roberg está de malas aviadas para a BMW, Barrichello e Heidfeld são os nomes dados como certos para acompanhar Nico Hulkenberg; e a renovação de Webber com a Red Bull, com o australiano a ficar apenas garantido por mais um ano (contra os 3 que ele queria), mas com cortes salariais.

Outros: Villeneuve tenta regressar à F1, Ferrari tem em curso uma revolução de balneário, Piquet e Briatore trocam palavras azedas, Montreal deverá regressar para 2010, BMW continua a apostar em 2009, USF1 entra em contactos com Wurz e de la Rosa, duas semanas com as fábricas das equipas fechadas, e Williams teve problemas na Hungria, pois o nome “Williams” estava registado por uma empresa de Budapeste… Não nos esquecendo das análises às corridas: do Autosport e as minhas dentro de breves instantes.

Renault suspensa

26 de Julho de 2009 Deixe um comentário

A equipa francesa vai ser suspensa do próximo GP da Europa, após os incidentes envolvendo a roda solta de Fernando Alonso. Após a situação do reabastecimento do espanhol em que um mecânico não aparafusou como deve ser a roda dianteira direita do R29 o que levou a que a protecção da jante perfurasse o pneu, arremessando-o contra a barreira, e obrigando o piloto a voltar às boxes, mas acabou por abandonar.

A suspensão será de apenas uma corrida, mas poderá complicar as aspirações de Pat Symonds em chegar a terceiro lugar no campeonato de constructores, obrigando a equipa de Enstone a “saltar” o GP da Europa em Valência, ou seja, logo na casa de Fernando Alonso. Isto para além de afectar a Renault no campeonato, deverá também afectar a atendência do público ao paddock valenciano, pois sem o ídolo principal, Alguersuari não deverá chamar muitas atenções… A penalização foi colocado pois, a equipa não avisou o piloto do que se estava a passar por rádio.

No entanto, antes que julguemos a decisão da FIA, devemos pensar no que aconteceu na F2 em Brands Hatch a Henry Surtees. F1_Girl no Twitter foi rápida no gatilho:

“Para aqueles que questionam a suspensão da Renault: se aquela roda tivesse acertado noutro carro ou piloto, continuaria a achar injusta a penalização imposta?”

Bem jogado.

Actualização: A equipa vai apelar da decisão da FIA, com uma audiência marcada durante o período de “férias” da F1. A equipa já pagou os 6000€ de apelo.

Um pouco de bom senso

24 de Junho de 2009 Deixe um comentário

Hoje, FIA e FOTA tomaram uma decisão que finalmente vai trazer paz de volta à F1. Max Mosley desistiu das suas loucuras de tecto orçamental, cedendo perante após ter sido atacado por todos os envolvidos no desporto automóvel, desistindo também à tentação de se recandidatar nas eleições da FIA. O presidente da FIA aproveitou este acordo da melhor maneira, porque a “coisa” estava a ficar preta, arranjando assim a desculpa necessário para a não-recandidatação.

Os regulamentos não têm nada a ver com as propostas (ou melhor, imposições) que a FIA tinha aceite, sendo as regars do próximo ano uma autêntica cópia das deste ano, o que até pode ser bom para dar estabilidade aos projectistas para recomeçarem a transformar estes carros com as “linhas” do passado (nalgum sítio que os regulamentos se tenham esquecido…). Por um lado, fiquei um pouco triste com este acordo, porque as equipas vão continuar assim reféns das excentricidades dos dirigentes da FIA e da ganância de Ecclestone. Por isso, começar de novo até soava bem…

Apesar de, em mais uma guerra entre equipas e dirigentes, se ter chegado novamente a um acordo para salvar a existência da F1, a associação dos contructores esteve mais próxima do que nunca a criar um campeonato. Se em 1981 ocorreu uma corrida, esta acabou por não ter seguimento, pois as montadores não apoiaram a iniciativa; os acontecimentos deste ano quase provocaram um colapso verdadeiro deste desporto. A FIA tem estado a ver até onde vai a corda ao longo dos anos, e este ano talvez tenham descoberto que foi o limite…

Cisão confirmada

19 de Junho de 2009 Deixe um comentário

A FOTA anunciou hoje de manhã que retirou as suas entradas condicionais do campeonato, mas não as vai colocar incondicionais, vai mesmo sair da Fórmula 1. A associação das equipas confirmou que no final deste ano irão retirar-se da Fórmula 1, para criar a sua própria competição onde vão criar as suas próprias regras de retenção de custos, sem o polémico tecto orçamental. Alternativas de estações de televisão, e circuitos não faltam, sendo que na parte dos circuitos tenha mesmo que haver uma selecção dadas as escolhas disponíveis: Silverstone, Magny-Cours, Imola, Hockenheim, Indianápolis, Montreal e Portimão estão disponíveis; Mónaco vai para onde a Ferrari for; Dubai e Qatar fariam as rondas asiáticas; Adelaide e Jacarepaguá podem dar uma mãozinha caso seja necessário; e ainda os actuais circuitos de F1 que podem romper contracto com Ecclestone, como a China.

Na resposta da FIA lê-se que as equipas da FOTA foram irresponsáveis com o futuro e bem-estar do futuro do desporto automóvel, que provavelmente já tinham tomado esta decisão há muito tempo, e que andaram a brincar ao gato e ao rato este tempo todo. O presidente da FIA também disse que estava desapontado, mas não surpreso com esta decisão, continuando a achar que as equipas se voltarão a inscrever para o próximo ano até ao prazo limite (hoje). Diz também que se não o fizerem, a lista definitiva aparecerá amanhã. Mas, quem se juntará a Williams, Force India, USGPE, Campos e Manor? A Lola desistiu, “Lotus” e “Brabham” estão em processos legais, e a Lola desistiu. A única equipa com meios suficientes será a Prodrive…

E agora, que faço eu? É óbvio que seguirei a GP1 em primeiro plano, mas não sei se vou sequer continuar a seguir a F1…

Grandes nomes sem ligações

13 de Junho de 2009 Deixe um comentário

Durante todos os dias, até à publicação da lista de sexta-feira, os detentores dos nomes Lotus e Brabham ameaçaram levar a cabo acções legais se outras equipas usassem os seus nomes sem o consentimento das entidades das antigas equipas de Fórmula 1.

Isto aconteceu de um modo assustadoramente simples: as equipas da FOTA no desejo de colocar alguma pressão sobre a FIA na decisão do tecto orçamental argumentou que as equipas que se figuravam como possibilidades não tinham história alguma, que eram equipas sem historial nas movimentações do desporto automóvel máximo. Logo, um personagem de seu nome Max Mosley terá dado uma ligeira dica para as equipas novas usarem nomes históricos. Daí, a Litespeed inscreveu-se sob o nome Lotus, a Formtech com Brabham, e uma inscrição da March, que no entanto não instalações, ou pessoal. A Superfund acabou por ser uma inscrição “a brincar”, ou seja, uma publicidade grátis à sua marca.

Por mais que Mosley achasse que isto acabaria com os rumores, as equipas da FOTA ainda cascaram mais nestas equipas, pois os detentores dos nomes Lotus e Brabham iniciaram processos legais. Mesmo se não o tivessem feito, estas equipas nao tinham quasiqueres ligações ao passado das equipas, e não tinham tecnologias, instalações ou pessoal qualificado para trabalhar no desenvolvimento dos carros…