Arquivo

Archive for the ‘Nico Rosberg’ Category

Fuji Television Japanese Grand Prix 2009 – Corrida

4 de Outubro de 2009 Deixe um comentário

Finalmente a Red Bull e Vettel mostraram a equipa que dominou no meio da temporada, apagando as más memórias vividas mais recentemente! Apesar de ter feito, na prática, uma sessão de testes durante a corrida, Webber ainda conseguiu achar o seu ritmo no final, marcando a volta mais rápida da prova.

Ao contrário do que se previa não foi uma prova emocionante. Na realidade, acho que foi a mais tediosa da temporada inteira pois houve poucas ultrapassagens, e nem no cronómetro tivemos lutas dignas desse nome… Os momentos altos do fim-de-semana foram mesmo o grid completamente trocado e os acidentes na qualificação.

Tão perto e tão longe

É assim que se pode classificar a corrida de Sebastian Vettel e consequente situação de campeonato, pois o alemão está num momento fantástico, mas a sua situação de campeonato, ainda que tenha melhorado graças à fraca corrida dos Brawn. O alemão está a apenas 2 pontos de Barrichello. Se a equipa do brasileiro continuar assim, Sebastian poderá ser levado a sério para o título.

O alemão dominou absolutamente os acontecimentos, não deixando Hamilton chegar-se nas fundamentais 2 primeiras voltas. A partir daí foi bastante monótono, pois estava mais pesado que o inglês. O resultado foi importante para a Red Bull porque Webber não conseguiu recuperar dos problemas de Sábado, e parou duas vezes nas 4 voltas iniciais.

No entanto, ainda se conseguiu redimir efectuando nas voltas finais o recorde de tempo da corrida.

Brawn decepciona

Os britânicos sabiam que os RB5 seriam os melhores na pista japonesa, mas esperava-se que os carros de Ross Brawn conseguissem chegar ao pódio. O resultado final foram dois carros nos derradeiros lugares pontuáveis e muitas dores de cabeça para Barrichello, que ganhou apenas 1 ponto ao seu rival.

Corre-se o risco de, pela segunda vez consecutiva, vermos um britânico sagrar-se campeão do mundo no GP do Brasil às custas de um brasileiro… Só faltaria Rubens celebrar o título durante 30 segundos para ser uma cópia!

Toyota e McLaren cumpriram o seu “papel”

Depois dos resultados obtidos na qualificação, ambas as equipas sabiam exactamente o que iria acontecer: um piloto lá na frente, o outro no anonimato (ainda que no caso dos japoneses tenha sido forçado)… Trulli e Hamilton tomaram parte no único duelo de jeito desta corrida, com o italiano a ser passado na largada para voltar à frente no último pit stop.

Os seus companheiros tiveram destino diferente: Glock viu-se impedido de participar devido ao seu acidente que ameaça colocá-lo de fora o resta da época; e Kovalainen voltou a envolver-se num acidente em que tem grandes culpas (o outro foi com Barrichello na Turquia) com Sutil, terminando longe dos pontos e da possibilidade de ter o contracto renovado…

Ferrari e Williams correm correram só com um

Tanto a Scuderia como a equipa de Sir Frank, viram-se obrigados a verem os seus carros alternarem entre um ritmo forte e fracas exibições… Raikkonen e Rosberg foram constantes e chegaram logo atrás dos 3 primeiros com conduções limpas e constantes. No caso do finlandês foi uma boa resposta à entrada de Alonso para o seu lugar!

Já Nakajima e Fisichella não fizeram nada de especial, com o primeiro a não conseguir que o facto de correr em casa lhe melhorasse a performance, e “Físico” a juntar-se a Badoer no grupo dos italianos que não vingaram na Ferrari… A não ser, claro, que consiga pontuar nas duas últimas provas do mundial.

Safety-Car chamado no final

Quando nos minutos finais se achava que já nada aconteceria, Alguersuari perdeu o controlo do carro antes da chicane final, destruindo um placard, o seu STR04, e ainda largando um pneu que atravessou a pista duas vezes: onde estão as suspensões agora, hein FIA?

O SC era uma escolha óbvia, e por pouco não tínhamos mais uma corrida que encerrava atrás dele como na Austrália. No entanto, isto voltou a trazer problemas de pilotos com bandeiras amarelas, pois Rosberg teve o seu 5º lugar ameaçado até se comprovar pela telemetria que o alemão tinha abrandado…

Leia também:
Singtel Singapore Grand Prix 2009 – Corrida
Gran Premio Santander d’Italia 2009 – Corrida
ING Belgian Grand Prix 2009 – Corrida

Post anterior: Fuji Television Japanese Grand Prix 2009 – Qualificação

Anúncios

Singtel Singapore Grand Prix 2009 – Pontuação

28 de Setembro de 2009 Deixe um comentário

Após mais uma corrida de Fórmula 1 chega a altura de analisar quem esteve bem e quem esteve mal na noite de Singapura. Na altura de colocar os pontos nos “is” foi Hamilton quem esteve extremamente bem, Button fez apenas o necessário, e Alguersuari que nunca encontrou o ritmo, não só nesta corrida como também desde que chegou à Hungria…

Sem mais demoras eis as pontuações da corrida de ontem:

Lewis Hamilton: O fim-de-semana não começou bem, pois o carro nunca respondeu, mas o trabalho da equipa na noite de Sexta que colocou o McLaren no topo nos treinos, e depois na qualificação, desta vez com uma mãozinha de Barrichello. Na corrida foi perfeito, e nem um problema no KERS e as pressões de Vettel o colocaram em baixo. Nota 10.

Timo Glock: Nos treinos a Toyota não fez nada de especial, e isso reflectiu-se nas suas performances, mas a maneira como se superiorizou a Trulli com um carro lentíssimo foi brilhante, numa altura em que a base de Colónia está sob pressão da administração. Logo, este pódio não só o ajuda a ele como ao moral da equipa inteira! Nota 9 (demasiado ajudado por erros dos outros).

Fernando Alonso: Quando a Renault mais precisava esteve de volta o piloto que ganhou os campeonatos de 2005 e 2006. Foi absolutamente brilhante na largada, mas pecou por ser demasiado agressivo nas voltas seguintes. Apesar de alguma ajuda, mereceu mais este pódio que a vitória do ano passado… Nota 9.

Sebastian Vettel: Seria o provável vencedor da corrida, mas o acidente de Barrichello complicou-lhe a vida, e depois a sua estratégia era a mais desadequada não conseguindo a vital passagem a Hamilton. No seu lado fica a recuperação de um “drive-through” por um problema no limitador e um espelho retrovisor pouco cooperante… Nota 8.

Jenson Button: Foi patético na qualificação e na partida ao ver que Barrichello nunca conseguiria marcar muito mais que dois pontos não correu riscos e arrastou-se pela grelha… Depois contou com o azar no pit stop de Barrichello e uma estratégia mais bem adaptada para acabar na frente de Rubens. Nota 6.

Rubens Barrichello: O brasileiro fez o possível, mas finalmente teve que trocar a caixa de velocidades e caiu para uma posição em que a sua estratégia era péssima! Não pôde fazer muito na corrida e o motor morreu no último pit stop, mas sem aquele erro na classificação… Nota 7.

Heikki Kovalainen: Na qualificação tinha a desculpa de não ter tido tempo, mas na corrida perdeu de imediato posições para os Brawn quando tinha KERS (tal como em Monza), e nem com grandes falhas de outros conseguiu ir além de 7º enquanto o seu companheiro ganhou… Nota 5.

Robert Kubica: O polaco sofreu com o carro, e as melhorias da BMW não se revelaram tão eficazes como o previsto, vendo-se forçado a aguentar Nakajima e Raikkonen no final da corrida. Nota 6.

Kazuki Nakajima: O japonês voltou a não pontuar, e nem com algumas falhas de outros pilotos conseguiu chegar aos pontos num fim-de-semana em que a Williams esteve bem… E, acabou mais perto de Raikkonen que de Kubica. Nota 4.

Kimi Raikkonen: O finlandês viu-se confrontado com um carro fraquíssimo que nem para os pontos pareceu ser candidato. Defendeu-se com pouco ânimo dos carros do meio do pelotão, e fez apenas o suficiente baixando o preço do seu contracto para a Ferrari! Nota 6.

Nico Rosberg: O alemão merecia muito mais neste fim-de-semana e foi cruel o modo como perdeu o pódio. Aquele erro foi um pouco estúpido, mas no resto do fim-de-semana foi soberbo e merece um carro ganhador para 2010. Nota 8.

Jarno Trulli: O italiano foi patético durante toda a prova enquanto o seu companheiro deu que falar. Deverá ser a sua última temporada, porque está sem mercado nenhum… Nota 3.

Giancarlo Fisichella: O italiano tinha mais uma corrida de adaptação, mas numa altura em que o F60 era um carro de meio do pelotão não podia ter feito muito mais, mas tal como sempre perdeu o ânimo por completo perante dificuldades… Nota 5.

Vitantonio Liuzzi: O que se passou?! Depois de ter deixado no ar que merecia uma oportunidade de continuar a correr na F1 em Monza, foi uma sombra de si mesmo em Singapura, não reagindo bem ao facto de o Force India ter voltado ao fundo da grelha. Nota 4.

Jaime Alguersuari: Mais uma corrida em que mostrou que apenas permanece na categoria graças à condição de jovem espanhol do programa Red Bull… Na minha opinião teve grandes culpas no incidente Sutil X Heidfeld pois seguia 2s mais lento que Raikkonen, e este já não ia propriamente depressa! Nota 2.

Sebastien Buemi: Voltou a mostrar os níveis vistos no início do ano perante a melhoria da Toro Rosso (ou terá sido a descida da Force India?), e parecia ir terminar no Top Ten antes dos travões lhe acabarem a corrida. Se Loeb substituir alguém em Abu Dhabi, torna-se óbvio: não será ele! Nota 6.

Mark Webber: O australiano tinham uma missão simples: acabar na frente de Vettel e Button para mostrar que ainda poderia ser campeão. Mas uma má partida e travões com problemas relegaram-no ao papel (agora oficial) de ajudante de Sebastian… Nota 4.

Adrian Sutil: O alemão sofreu uma quebra psicológica após se ter dado conta que o VJM-02 já não era o mesmo de Monza, e na corrida era óbvio que se estava a enfurecer com Alguersuari, pois o espanhol não o deixava passar e isso levou-o a cometer o erro de querer voltar de imediato acabando com a sua corrida e a de Heidfeld. Nota 4.

Nick Heidfeld: Depois de lhe terem “roubado” o lugar que tinha na Q3, era claro que estava apenas a fazer uma autêntica sessão de testes. Mesmo assim não desistiu e foi a determinação (ou será casmurrice) de Sutil a atirá-lo para fora… Os insultos que fez ao alemão tinha uma óbvia razão de ser: um fim-de-semana para esquecer! Nota 5 (pela performance na qualificação).

Romain Grosjean: Mais um fim-de-semana para esquecer com o franco-suíço a ter sofrido de uma indisposição e a estranha decisão de não o substituir foi desastrosa! Ainda bateu Liuzzi, mas isso não é um feito, e desistiu após 5 voltas… Mesmo doente, há que lembrar que Hamilton acabou em 2º em Valência (2008) com uma febre. Nota 1.

Leia também:
Gran Premio Santander d’Italia 2009 – Pontuação
ING Belgian Grand Prix 2009 – Pontuação
Telefónica Grand Prix of Europe 2009 – Pontuação

Post anterior: Singtel Singapore Grand Prix 2009 – Corrida

Singtel Singapore Grand Prix 2009 – Corrida

27 de Setembro de 2009 Deixe um comentário

Grande corrida com um grande resultado final que tornou Lewis Hamilton no mais vencedor no período 2007-2009! Apesar de algumas opiniões insistentes em como o GP da Singapura é dos mais aborrecidos e que devia sair do calendário creio que estão errados: considero esta corrida emocionante graças à mudança de protagonistas.

Enfim, numa corrida em que Button garantiu por certo o título mundial, Rosberg e Vettel cometeram erros cruciais que nos roubaram a hipótese de ver uma luta a três pela vitória nas voltas finais. A 4 se contarmos com Glock, que fez uma corrida fenomenal, ainda que sem chegar perto de Hamilton!

Domínio de Hamilton e brilho de Glock

Por mais que se tente discordar é impossível: Lewis esteve inspirado na noite de Singapura, ganhando muito tempo no início da prova com um carro mais pesado. Quando o Safety-Car apareceu, por causa do acidente Heidfeld-Sutil, Vettel revelou-se um forte adversário mas tal como na Turquia não conseguiu passar, mesmo estando mais leve.

Depois de também ele ter cometido um erro, Hamilton limitou-se a controlar a corrida, nem se dando ao trabalho de andar ao nível de Glock, pois o alemão já vinha muito atrás quando começou a bater os tempos do britânico…

Timo esteve excelente, ganhando uma posição a Alonso nas primeiras voltas, e passando Webber depois porque a Red Bull o tinha mandado fazer por medo a uma penalização por ter ido para fora da pista no combate com Alonso. As falhas de Rosberg e Vettel colocaram-no na segunda posição nunca tendo sido ameaçado por Alonso.

Travões dão dores de cabeça a Red Bull

A Red Bull (e com isto também me refiro à Toro Rosso) esteve péssima. Por mais que as performances até tenha sido bem melhores que nas corridas anteriores, a verdade é que os carros de Adrian Newey sempre se mostraram demasiado frágeis…

Prova disso foi o espelho retrovisor de Vettel se ter soltado em plena recta, depois de ter ficado deformado durante várias voltas, e ainda os problemas de travões que assombraram Sebastian no final da corrida, e que já tinham colocado o seu companheiro e os Toro Rosso de fora da corrida!

No entanto não foram apenas os travões que causaram problemas a Alguersuari, que (na minha opinião) foi o causador do acidente entre Heidfeld e Sutil, para além de ter feito sobreaquecer o último…

Para Mark Webber foi muito pior: o título foi-se e agora será forçado a ajudar Vettel a tentar alcançar os Brawn.

Quem os viu e quem os vê

Ferrari, Force India e Williams estiveram muito diferentes das performances vistas nas últimas duas corridas: só que enquanto isso foi pela positiva na Williams, foi pela negativa nas duas primeiras…

Depois de terem conquistado os primeiros pontos, esperava-se que os VJM-02 chegassem (pelo menos) ao Top Ten. Nada disso aconteceu e o único representante de Vijay Mallya acabou na última posição… A Ferrari não se pode ficar a rir, pois o “Iceman” apenas chegou em 10º, e “Físico” só conseguiu chegar na frente de Liuzzi (que esteve muito menos impressionante em comparação com Monza)!

Já os carros de Sir Frank viram o regresso aos bons tempos, e parecia que finalmente iriam facturar um pódio, mas o facto de Rosberg se ter baralhado e colocado o carro inteiro sobre a linha das boxes (1ª vez na história)… Um “drive-through” era óbvio e Nakajima voltou a não estar à altura do carro.

Mensagens de apoio para “desapoiar”

No final da corrida Fernando Alonso esteve no mínimo estranho: não perdeu tempo a festejar, foi o primeiro a chegar ao line-up dos três primeiros, cumprimentou Glock e não Hamilton (isto já é um pouco mais justificável…) e mal festejou o melhor resultado da temporada num dos tempos mais difíceis da equipa.

O pior ficou reservado para o final quando afirmou dedicar o pódio a Flavio Briatore… O desagrado da equipa foi óbvio, pois o italiano fez declarações de vingança após a decisão do Conselho no mínimo estranhas! Uma prova que o espanhol deve estar de partida para a Ferrari, como o presidente da Scuderia já deixou escapar…

Button com uma mão na taça

A corrida de hoje foi obviamente a consagração de Button: é absolutamente irrealista que Barrichello consiga tirar metade dos pontos disponíveis a Button em 3 corridas (15 em 30). O inglês sorriu como nunca no final pois nem precisava de acabar na frente de Rubinho para consolidar a sua posição.

Rubens perdeu as hipóteses de acabar na frente de Button após ter deixado o motor “morrer” na última paragem… Mesmo assim se Button não ganhar uma corrida até ao final do ano não merece o título, pois assim só terá ganho quando o Brawn foi o dominador indiscutível!

Leia também:
Singtel Singapore Grand Prix 2009 – Qualificação
Gran Premio Santander d’Italia 2009 – Pontuação
Gran Premio Santander d’Italia 2009 – Corrida

Post anterior: Singtel Singapore Grand Prix 2009 – Qualificação

Singtel Singapore Grand Prix 2009 – Qualificação

26 de Setembro de 2009 Deixe um comentário

Mais uma brilhante sessão de qualificação de Lewis Hamilton que voltou a aproveitar a boa forma da McLaren para conseguir a 3ª pole position da temporada na segunda vez que os carros voltaram a correr à noite num GP.

Apesar de ter sido interrompida pelo acidente de Barrichello na Q3, a sessão tinha apenas 27 segundos para terminar, e os comissários deram-na por terminada logo de seguida. Isto impediu que víssemos um grande duelo pela pole entre Hamilton, Vettel e Rosberg nos momentos finais, mas permitiu que outros não perdessem posições para carros mais rápidos.

Candidatos: Red Bull melhora, Brawn mal

Tanto a Brawn (com o novo patrocínio da Canon) como a Red Bull conseguiram ter fins-de-semana aceitáveis até à altura da qualificação, mas enquanto os austríacos conseguiram voltar aos primeiros lugares, a equipa de Ross Brawn ficou no meio da tabela…

Webber impressionou no último momento da Q2, mas tirando isso passou o tempo todo na sombra de Vettel. O alemão brilhou, pois agora que percebeu que não ganhará o título sendo cauteloso, decidiu acabar a época em grande mesmo que não ganhe o título!

Já a dupla Brawn terá que se recompor: Button não continuou a forma vista em Monza, estando de novo arrastado para o fundo do poço, ficando novamente na Q2. Barrichello tinha tudo para partir da primeira fila, mas um erro levou-o a embater no muro, e mesmo partindo à frente do companheiro com a penalização de troca da caixa de velocidades, podia ter aproveitado melhor o dia-não de Jenson…

Recuperação da Williams, queda da Ferrari

Depois de ter grandes dúvidas acerca da sua competitividade em Monza, a Williams regressou em força para a frente do pelotão por pouco não voltando a fazer uma pole position! Rosberg partirá pela primeira vez da 1ª fila do grid, e vejamos os pesos porque depois de (em teoria e não-oficialmente) ter ganho o ano passado na sua opinião, tem a hipótese de o voltar a fazer este ano…

Já o seu colega continua a ser uma chicane ambulante, que não deverá ter mercado algum para o ano, nem mesmo na Toyota!

Já a Ferrari fez o caminho inverso, provavelmente terminando assim os pódios consecutivos, porque a não ser que Raikkonen esteja leve e Fisichella se estampe depois do seu reabastecimento creio que até pontos serão complicados…

“Físico” até esteve bem tendo em conta que apenas usou o carro uma vez há duas semanas, e que o F60 perdeu muita competitividade em Singapura, por isso desenganasse quem diz que Badoer se está a rir pois o italiano nem com o melhor carro saiu de último em Spa!

Bom trabalho para McLaren e BMW

As duas equipas de motores alemães estiveram bem na sessão, com as últimas alterações do ano para ambas a surtirem efeito. A McLaren viu Kovalainen no último lugar da Q3, pois o finlandês perdeu a sua segunda tentativa devido ao acidente de Barrichello, no entanto coube a Hamilton mostrar o potencial dos MP4-24. Ou terá sido uma questão de peso?

Já a BMW colocou fortes avanços aerodinâmicos e se estiverem pesados podem chegar ao pódio com facilidade…

Extremos opostos e desilusões

Toyota e Renault foram extremos opostos internos, pois enquanto Alonso e Glock chegaram à Q3 em boas posições, Grosjean e Trulli fizeram muito mal. Apesar do escândalo “Renaultgate” ter deixado marcas brancas (literalmente) na equipa, o carro (pelo menos nas mãos de Alonso) esteve bem.

Já Force India e Toro Rosso estiveram também estranhas em relação ao habitual. Enquanto os indianos abandonavam a frente do grid para “os velhos tempos”, a segunda equipa da Red Bull conseguiu melhorar um pouco levando pela primeira vez em muito tempo um carro até à Q2.

Leia também:

Gran Premio Santander d’Italia 2009 – Pontuação
Gran Premio Santander d’Italia 2009 – Corrida
Gran Premio Santander d’Italia 2009 – Qualificação

Post anterior: Capa Autosport – Renault F1 em risco!
Post seguinte: Singtel Singapore Grand Prix 2009 – Corrida

Análises de Mercado 2010 – parte 1

2 de Setembro de 2009 Deixe um comentário

A todos os que esperavam a análise ao Autosport peço desculpa, pois apenas virá para as 15h. Em vez disso vêem as análises à situação do mercado de pilotos (e de motores, que este ano também está a ser giro).

Ferrari

Após as brilhantes exibições de Raikkonen, a equipa tem um belo problema pela frente, pois já ninguém (nem o finlandês) tem a certeza se será despedido no final do ano para dar lugar a Alonso… Daí que a Ferrari seja a única equipa que pretende colocar 3 carros em pista.

Luca Badoer e Marc Gené têm tentado, mas (especialmente o italiano) não deverão ser mantidos, pois Domenicalli quer dar lugar a jovens. Schumacher tem agendado um teste com o F60 para o final do ano, e se Badoer e Gené não ficarem poderá ser um valioso piloto de testes…

McLaren

A McLaren tem um problema parecido ao da Ferrari, porque apesar dos rumores de cisão entre a equipa com a Mercedes e Hamilton, estes parecem ter desaparecido. Gary Paffett deverá, mais uma vez, desempenhar a função de piloto de testes que nunca chega a pilotar o carro…

Para o segundo carro, há três candidatos: Raikkonen poderá regressar a Woking, onde lutou pelo título em 2003 e 2005, mas o salário parece impeditivo; Kovalainen tenta manter o lugar, mas não me parece que isso aconteça, apesar de ter pontuado nas últimas quatro corridas; a melhor opção parece ser Rosberg que com o abandono da BMW teve que procurar outras equipas.

Ao contrário da Ferrari que só procura “dentro de casa”, a McLaren faz o contrário e o pobre De la Rosa, já merecia uma oportunidade.

Renault

Com todos os problemas que tiveram com os comissários no GP da Hungria, agora estão outra vez em tribunal pelas infracções de Singapura. Grosjean está a ter este ano, a sua adaptação à F1 para 2010. Di Grassi deverá ficar mais uma temporada na GP2, para seguir mais tarde o mesmo caminho que Kovalainen, Piquet e o próprio Grosjean seguiram.

Para a Renault existem poucas opções para o outro carro, pois Raikkonen e Kovalainen são hipóteses muito ténues, em especial o “Iceman” pelo salário exigido. Alonso poderá manter-se na equipa caso Kimi seja mantido na Ferrari, mas Kubica (esqueci-me de o pôr na imagem…) parece ser a melhor escolha.

Williams

A excelente época de Hulkenberg na GP2, já lhe trouxe um lugar reservado na equipa para 2010, mas a principal novidade é o motor da Renault que passará a equipar os carros de Sir Frank com a condição de deixarem Kubica para os franceses, o que não parece agradar-lhes de todo.

Barrichello e Heidfeld parece ter os seus lugares garantidos nas equipas a que pertencem (ainda que o alemão esteja condicionado pela possibilidade dessa mesma equipa não participar…). Rosberg continua a ser “perseguido” por Frank Williams, mas não me parece que o inglês seja bem sucedido…

Campos

Antes que perguntem, não. A foto não é do carro da Campos para 2010 (apesar de os motores Cosworth conferirem atrasos previstos de 4s…), mas sim de Adrián Campos na Minardi, porque foi a única foto com resolução aceitável que encontrei.

Enfim, de la Rosa está garantido na equipa, com os 10 anos de experiência, e os patrocínios da Repsol darem uma mãozinha. Para o outro lugar, não faltam candidatos, com a própria equipa com dúvidas na escolha, já que colocaram a mesma pergunta no seu Facebook

ING Belgian Grand Prix 2009 – Pontuações

31 de Agosto de 2009 Deixe um comentário

Após um belo fim-de-semana com exibições de ouro de Fischella e Raikkonen, chega a altura das avaliações. Já devem ter reparado que não há imagem de topo como no último GP, mas o programa de edição de imagem tem dado problemas… Passemos de conversa fiada às avaliações.

Ferrari: A primeira vitória do ano para a Scuderia tem nota pessoal de Kimi Raikkonen. O finlandês está a causar dores de cabeça a Montezemolo, pois o “Iceman” está dar exibições fantásticas! O seu sentido de oportunidade tem sido brilhante: 10. Um F60 na frente e um atrás, Badoer deverá ter feito a sua última corrida na F1, com uma exibição terrível: 1.

Force India: Após algumas corridas em que deixou muito a desejar, “Físico” foi de uma perfeição soberba, com a vitória a não ter sido uma miragem, mas sim uma forte possibilidade: 10. O seu companheiro não fez nada, num dia em que Giancarlo brilhou: 5.

Red Bull: Após a qualificação deficiente dos RBR, a corrida ia sempre ser complicada. Mas, Vettel conseguiu aproveitar a baixa de Button para recuperar terreno, ainda que tenha sido mais por abandonos dos outros: 7. Webber esteve irreconhecível, não acompanhando o seu colega, e quase acertando em Heidfled no pitlane, levando um “drive-through” que lhe roubou a possibilidade de pontuar: 4.

BMW Sauber: Com a subida de forma da BMW, vieram finalmente resultados animadores, com os pilotos a fazerem o esperado sem errar. Kubica fez uma corrida regular: 8. Já Heidfeld deu a sensação que poderia ter feito melhor: 7.

McLaren: Após corridas em que os MP4-24 foram a referência para o resto do pelotão (especialmente o carro de Hamilton), a realidade dura voltou. Lewis não conseguiu fazer bem nas poucas curvas que realizou, mas o acidente não foi culpa sua: 4. Já Kovalainen continua a tentar justificar uma renovação, com um sexto posto, numa corrida em que teve que recuperar terreno: 7.

Brawn: Após os carros de Ross Brawn terem recuperado algum ritmo em Valência, foi notória que em Spa as temperaturas não foram amigáveis para os BGP001. No entanto, isso não justifica a péssima qualificação de Button, que está a ficar na sombra de Barrichello há demasiado tempo: 4. Já Rubens, apesar de ter falhado na partida, fez uma corrida brilhante recuperando para os pontos, e aguentando-se em pista quando o motor começou a importunar: 9.

Williams: Após promessas de pódio, Sir Frank não deverá ter ficado contente com o ponto de Rosberg. O alemão conseguiu pontuar, mesmo com problemas de acerto, merecendo um carro melhor para o seu talento: 8. Nakajima voltou a decepcionar, e desta vez ficou mesmo em último (não contei o Badoer por razões óbvias…): 3.

Toyota: Depois de uma boa qualificação, com pesos aceitáveis, esperava-se (pelo menos) ver um Toyota nos pontos. Nada disso aconteceu com Trulli a desperdiçar mais uma vitória (a primeira foi no Barhain) na traseira de um Ferrari: 4. Glock passou o tempo todo no anonimato, e perdeu três lugares em relação à partida, mas poderia ter ganho alguns pontos sem o problema no reabastecimento: 6.

Toro Rosso: Com a subida brilhante da Force India, coube à Toro Rosso ser a pior equipa. Alguersuari eliminou Hamilton, e ainda tentou colocar as culpas no inglês: 2. E Buemi não pôde fazer nada contra o péssimo ritmo do STR04: 4.

Renault: Após as promessas deixadas na pista do Hungaroring, e os pontos de Valência, esperava-se uma Renault apta a voos mais altos. Alonso ainda tentou com muito combustível, mas mais um problema na colocação da roda acabou a sua corrida, apesar de ter resultado num toque em Heidfeld: 6. Grosjean voltou a acabar com as suas hipóteses na 1ª volta, e desta vez abandonou no local… Briatore tem vindo a perder terreno na luta de palavras com Piquet: 2 (esta classificação serve tanto para o piloto com para Flavio).

ING Belgian Grand Prix 2009 – Corrida

30 de Agosto de 2009 1 comentário

Spa-Francorchamps sempre teve a tradição de sediar corridas excitantes, e esta não foi excepção. A primeira vitória do ano para Raikkonen e Ferrari em 2009, era há muito esperada, e o facto de ter acontecido na Bélgica não passa despercebido a ninguém… O finlandês usou da melhor maneira o KERS, para se encostar a Fisichella, e mais tarde usou-o novamente para passar o italiano!

“Físico” brilhou, podendo mesmo ter ganho a corrida, já que o seu Force India estava mais rápido que o F60. Na conferência afirmou estar um pouco desiludido por não ter ganho, pois acabou a pouco tempo de Kimi. Os seus companheiros estiveram longe dos pontos, com Badoer a, provavelmente, ser substituído para o próximo GP…

A Red Bull conseguiu colocar Vettel de regrsso à luta pelo título, com um pódio que se deveu mais a azares de outros, que à sua condução. Webber poderia ter ganho mais terreno, pois estava em 5º, mas o facto de quase ter eliminado Heidfeld no pitlane, custou-lhe um “drive-through” e pontos preciosos…

Após o anúncio do fecho das fábricas da BMW, Mario Theissen afirmou estar empenhado em abandonar competitivamente. Parece que sim, dado o ritmo dos F1.09 em Spa! Apesar do pódio não ter sido conseguido, foi o melhor resultado da equipa este ano, a primeira vez que ambos os carros pontuam numa corrida este ano.

Após duas corridas em grande para a McLaren, a corrida belga foi um regresso ao passado, com Hamilton a ser eliminado na carambolada da 1ª volta, e Kovalainen na sombra e brilhante para conquistar 3 pontos que lhe podem valer o lugar de 2010. Button também se envolveu no acidente com Hamilton, mas tal como o inglês não teve culpa…

Barrichello desperdiçou uma oportunidade de ouro para tirar a desvantagem para Jenson, mas um problema na largada (sim, outro…) obrigou-o a mudar de estratégia, e ainda teve que dar atenção ao motor nas duas últimas voltas, quando se preparava para pressionar Kovalainen… Toro Rosso voltou a estar condenada ao fim do pelotão, com a subida de forma dos Force India. Alguersuari colocou ainda as culpas em Hamilton num acidente, em que foi o principal culpado…

A Toyota não esteve melhor, não conseguindo pontos, quando uma vitória parecia estar nas mãos de Trulli, só que tudo acabou na traseira de Raikkonen com a asa da frente a ter que ser mudada, e mais tarde os travões acabaram tudo. Glock nem se viu, não despotelando a atenção das câmaras…

A Williams nunca se adaptou bem ao circuito, e o ponto solitário de Rosberg soube a muito pouco. Mesmo assim, Nakajima fez pior numa corrida desastrada, apenas na frente de Badoer (ou seja, ninguém na prática…)! A Renault teve um dia para esquecer com Grosjean a eliminar Button, e Alonso teve novamente problemas na paragem (desta vez devido a um toque na 1ª curva), e a equipa não queria arriscar mais um episódio como na Hungria, mandando-o parar…

PS: Desculpem, mas as pontuações terão que ficar para amanhã, mais para o final de tarde: vou estar ocupado. Posso garantir que a espera vai compensar! =D