Arquivo

Archive for the ‘Mark Webber’ Category

Grande Prêmio Petrobras do Brasil 2009 – Corrida

19 de Outubro de 2009 Deixe um comentário

E pronto! O campeonato terminou apesar de faltar uma corrida para o fim, com Jenson Button a conquistar o título para si e para a Brawn como já se esperava. Barrichello voltou a ter azar em casa, quando parecia ter-se finalmente livrado dele depois da brilhante pole position no Sábado

Para a Red Bull é o fim do sonho, apesar de Vettel ainda estar a discutir o vice com Rubinho. Kobayashi foi, de longe, a melhor estreia deste ano (desde Vettel, mesmo!), dando muito trabalho ao novo campeão do mundo, Nakajima, Fisichella,… Tudo pilotos que deverião estar muito acima do “rookie” nipónico!

Estou-me a esquecer de alguma coisa… Ah! É verdade: foi Mark Webber quem ganhou a corrida.

Não vencer era impossível

Apesar de muito eclipsado pela conquista do título de Button (tanto pelas câmaras de TV como na blogosfera), Mark Webber foi o justo vencedor de uma corrida em que foi perfeito de princípio a fim para conseguir os primeiros pontos desde o GP da Hungria, e a segunda vitória da carreira, com Kubica atrás de si.

O acidente monumental entre Trulli e Sutil (de que falarei em pormenor mais à frente) que levou, também, Alonso consigo ajudou bastante o australiano. Isto porque, não só arruinou a estratégia de Barrichello, como também se viu livre de dois adversários bastante sérios devido às suas estratégias.

Incidentes diversos provocam SC

Depois de todos os carros terem passado em segurança pelos “S de Senna” achámos que o GP do Brasil não iria trazer a sua habitual debandada inicial, mas “Físico” e “Kova” depressa comprovaram o contrário.

Heikki pisou com excessiva força o corrector na ânsia de passar Vettel, e isso foi fatal pois ao perder o controlo forçou Giancarlo a “fugir” para a relva, acabando com as aspirações de pontos para ambos quando precisam de reforçar as suas posições nas respectivas equipas.

Mais à frente, Sutil bloqueou um pneu para evitar Raikkonen (que tinha danificado a asa dianteira em Webber) e com isso viu-se na “mira” de Trulli. Mas aí o italiano exagerou pisando a relva, perdeu o controlo e destruiu o radiador de Sutil, indo cada um para seu lado… O Force India do alemão estava desgovernado e acabou por acertar em Alonso, vítima inocente do acidente.

Safety-Car para a pista, e mesmo assim houve mais acção: nas boxes estavam os dois finlandeses, Raikkonen e Kovalainen, devido aos seus incidentes. Mas vendo Kimi sair das boxes, Heikki quis-se apressar e levou a mangueira consigo. A gasolina continuou a deitar, e quando entrou em contacto com os escapes do outro finlandês incendiou.

Temeu-se o pior, mas o piloto da Ferrari nem parou, com o incêndio a estinguir-se sozinho. Kovalainen lá parou, e, num acto de “fairplay” os mecânicos da Brawn retiraram a mangueira para Heikki continuar.

Título arrumado

Como já disse mais à frente, Jenson Button conquistou o seu primeiro triunfo no campeonato mundial de Fórmula 1, conseguindo um título em que poucos acreditavam, com uma performance digna da conquista, indo com a faca nos dentes durante as primeiras voltas, e tendo a serenidade de não cometer loucuras quando tentou passar Kobayashi.

Quem sabe, agora que está libreto da pressão de ir com segurança, possa conseguir ir sem pressão para o Abu Dhabi lutar pela vitória.

Barrichello devia ir à bruxa antes de correr em Interlagos… Pela quarta vez em que conquista pole position na “sua casa”, não conseguiu ganhar a corrida. Tudo começou na largada, com a entrada do Safety-Car a destruir-lhe a estratégia, depois deu-se mal com o último jogo de pneus, e depois a defender-se de Hamilton o inglês furou-lhe o pneu traseiro!

Já Vettel foi muito consistente, porque apesar de o RB5 ter sido o carro a bater na pista brasileira, o alemão nunca desistiu do título, chegando em quarto e passando Button nas boxes graças a umas voltas-canhão “à la Schumi”.

Kobayashi e Hamilton brilhantes

Eram muitas as dúvidas em redor do que estes dois fariam na corrida.

Kobayashi tinha dado bons sinais no Japão, e não estava mal em Interlagos, mas as dúvidas relativas ao facto de ser um japonês na Toyota subsistiam. Eu próprio me incluo na lista!

No entanto foi incrível a capacidade com que progrediu pelo pelotão, dando muito trabalho a Jenson Button até o britânico lá o conseguir passar após 19 voltas (!), e num um-a-um com o compatriota Nakajima numa luta incrível saiu vitorioso.

Já Hamilton foi ainda melhor: a opção por um set up para seco parecia um erro gravíssimo na qualificação, mas foi perfeita para a corrida, pois a chuva não fez a aparição habitual no fim-de-semana. Dito isto, parece fácil, mas Lewis foi extraordinário chegando ao pódio, enganando-se na posição até ele e Kubica perceberem que estavam no lugar um do outro…

Leia também:
Fuji Television Japanese Grand Prix 2009 – Corrida
Singtel Singapore Grand Prix 2009 – Corrida
Gran Premio Santander d’Italia 2009 – Corrida

Post anterior: Grande Prêmio Petrobras do Brasil 2009 – Qualificação

Anúncios

Grande Prêmio Petrobras do Brasil 2009 – Qualificação

18 de Outubro de 2009 1 comentário

Numa das sessões de qualificação mais demoradas da história (não digo a mais demorada porque não tenho a certeza), que durou aproximadamente 3 horas, Rubens Barrichello conseguiu pole position no seu território e relança o mundial com as péssimas performances de Button e Vettel.

Depois de termos voltado a ver Button e a sua família super descontraídos durante a 6ª feira e um Vettel sorridente, tudo mudou com as caras sombrias de regresso aos dois homens que lutam pelo título. Vettel perdeu o título, e mesmo com chuva é demasiado anormal que consiga um pódio no circuito… A não ser que Webber se estampe contra o muro, claro!

Título com novo fôlego

A brilhante performance de Barrichello aliada à sorte que teve na Q2, ao acabar em 10º com a ameaça de Kobayashi o mandar para fora a acabar com um erro do japonês na parte final da prova.

Button e Vettel fizeram péssimos resultados quando tinham evidenciado bons resultados durante os treinos livres. Jenson ainda se compreendeu porque nunca foi bom à chuva (apesar da 1ª vitória na Hungria), mas Sebastian tinham a fama do mestre da chuva, e o modo como parou o carro nas boxes diz tudo: adeus título…

Ameaças a Barrichello

Para ameaçar o “conto de fadas” de Rubinho em casa, estão Webber, Sutil e Trulli que parecem ter os carros, as capacidades e as estratégias para conseguirem incomodar bastante o brasileiro.

Apesar de não ter ficado muito claro o que Mark Webber deverá fazer na corrida para ajudar a equipa e Vettel a conseguirem atrasar a decisão, o simples facto de o australiano estar mais pesado que Rubens deverá dar o bom espectáculo na largada.

Sutil e Trulli têm mostrado não estarem apenas a fazer figura na F1 nas últimas provas, mas é óbvio que ambos devem ser levados a sério. No entanto a motivação inconstante de Jarno e os excessivos erros sob pressão de Adrian (Shangai e Nurburgring) mostram que os seus principais adversários serão eles próprios!

Toro Rosso e Williams aos pontos…

Depois de ter passado toda a segunda parte da época na cauda do pelotão com as melhorias da Force India, a Toro Rosso esteve bastante bem em Interlagos mesmo com o line-up inexperiente, com Alguersuari a ficar na Q2, e Buemi a partir de 6º lugar (a sua melhor qualificação de sempre) mesmo sendo o mais pesado da Q3!

Já Williams mostrava ser a mais forte candidata à pole position na Q1 e Q2, mas inexplicavelmente e apesar de terem uma estratégia igual aos do topo ficaram em 7º e 9º.

Mau tempo e acidentes assustam a FIA

Depois de termos achado que tínhamos atingido o fundo do poço com a qualificação do GP do Japão, creio que conhecemos profundidades maiores em Interlagos… O mau tempo já tinha feito das suas no 3º treino livre, mas na qualificação foi o descalabro.

Fisichella rodou e o motor morreu e bloqueou a pista. Aí entendeu-se a demora para recomeçar. Depois começou a Q2, e Liuzzi perdeu o controle na recta da meta. Apesar da esctaculariedade do acidente, o italiano saiu a pé.

Aí sim creio que foi um disparate aquele tempo imenso (quase uma hora) que os comissários perderam para finalmente recomeçarem o treino, quando, na minha opinião, as condições não estavam assim tão melhores na hora do recomeço…

“Os comissários da FIA são como as velhinhas, cheios de cautelas excessivas,
e enquanto isso não mudar vamos ter mais cenas tristas como as de hoje…”

Jaques Laffite sobre o GP da China

E não é que ele tinha razão…

Leia também:
Fuji Television Japanese Grand Prix 2009 – Qualificação
Singtel Singapore Grand Prix 2009 – Qualificação
Gran Premio Santander d’Italia 2009 – Qualificação

Post anterior: Grande Prêmio Petrobras do Brasil 2009 – Previsões

ING Belgian Grand Prix 2009 – Pontuações

31 de Agosto de 2009 Deixe um comentário

Após um belo fim-de-semana com exibições de ouro de Fischella e Raikkonen, chega a altura das avaliações. Já devem ter reparado que não há imagem de topo como no último GP, mas o programa de edição de imagem tem dado problemas… Passemos de conversa fiada às avaliações.

Ferrari: A primeira vitória do ano para a Scuderia tem nota pessoal de Kimi Raikkonen. O finlandês está a causar dores de cabeça a Montezemolo, pois o “Iceman” está dar exibições fantásticas! O seu sentido de oportunidade tem sido brilhante: 10. Um F60 na frente e um atrás, Badoer deverá ter feito a sua última corrida na F1, com uma exibição terrível: 1.

Force India: Após algumas corridas em que deixou muito a desejar, “Físico” foi de uma perfeição soberba, com a vitória a não ter sido uma miragem, mas sim uma forte possibilidade: 10. O seu companheiro não fez nada, num dia em que Giancarlo brilhou: 5.

Red Bull: Após a qualificação deficiente dos RBR, a corrida ia sempre ser complicada. Mas, Vettel conseguiu aproveitar a baixa de Button para recuperar terreno, ainda que tenha sido mais por abandonos dos outros: 7. Webber esteve irreconhecível, não acompanhando o seu colega, e quase acertando em Heidfled no pitlane, levando um “drive-through” que lhe roubou a possibilidade de pontuar: 4.

BMW Sauber: Com a subida de forma da BMW, vieram finalmente resultados animadores, com os pilotos a fazerem o esperado sem errar. Kubica fez uma corrida regular: 8. Já Heidfeld deu a sensação que poderia ter feito melhor: 7.

McLaren: Após corridas em que os MP4-24 foram a referência para o resto do pelotão (especialmente o carro de Hamilton), a realidade dura voltou. Lewis não conseguiu fazer bem nas poucas curvas que realizou, mas o acidente não foi culpa sua: 4. Já Kovalainen continua a tentar justificar uma renovação, com um sexto posto, numa corrida em que teve que recuperar terreno: 7.

Brawn: Após os carros de Ross Brawn terem recuperado algum ritmo em Valência, foi notória que em Spa as temperaturas não foram amigáveis para os BGP001. No entanto, isso não justifica a péssima qualificação de Button, que está a ficar na sombra de Barrichello há demasiado tempo: 4. Já Rubens, apesar de ter falhado na partida, fez uma corrida brilhante recuperando para os pontos, e aguentando-se em pista quando o motor começou a importunar: 9.

Williams: Após promessas de pódio, Sir Frank não deverá ter ficado contente com o ponto de Rosberg. O alemão conseguiu pontuar, mesmo com problemas de acerto, merecendo um carro melhor para o seu talento: 8. Nakajima voltou a decepcionar, e desta vez ficou mesmo em último (não contei o Badoer por razões óbvias…): 3.

Toyota: Depois de uma boa qualificação, com pesos aceitáveis, esperava-se (pelo menos) ver um Toyota nos pontos. Nada disso aconteceu com Trulli a desperdiçar mais uma vitória (a primeira foi no Barhain) na traseira de um Ferrari: 4. Glock passou o tempo todo no anonimato, e perdeu três lugares em relação à partida, mas poderia ter ganho alguns pontos sem o problema no reabastecimento: 6.

Toro Rosso: Com a subida brilhante da Force India, coube à Toro Rosso ser a pior equipa. Alguersuari eliminou Hamilton, e ainda tentou colocar as culpas no inglês: 2. E Buemi não pôde fazer nada contra o péssimo ritmo do STR04: 4.

Renault: Após as promessas deixadas na pista do Hungaroring, e os pontos de Valência, esperava-se uma Renault apta a voos mais altos. Alonso ainda tentou com muito combustível, mas mais um problema na colocação da roda acabou a sua corrida, apesar de ter resultado num toque em Heidfeld: 6. Grosjean voltou a acabar com as suas hipóteses na 1ª volta, e desta vez abandonou no local… Briatore tem vindo a perder terreno na luta de palavras com Piquet: 2 (esta classificação serve tanto para o piloto com para Flavio).

Telefónica Grand Prix of Europe – Previsões

19 de Agosto de 2009 Deixe um comentário

As bancadas já estão de pé em Valência [Fonte: Valencia Street Circuit]

Após muita espera, finalmente, a F1 está de regresso aos “assuntos sérios” com a chegada do paddock à estância mediterrânica do porto de Valência. O circuito, apesar de ser citadino e uma recente aquisição, é um dos mais aborrecidos do plantel, pois existem áreas em que se atingem os 300 km/h, e as ultrapassagens são impossíveis devido à falta de aderência fora das áreas da trajectória ideal.

O ano passado Felipe Massa ganhou a prova autoritariamente, algo que este ano não acontecerá, já que o brasileiro nem participa. A única (sim, leu bem) ultrapassagem da prova de 2008 foi na 45ª volta, quando Nakajima “aliviou” Barrichello… da penúltima posição. O brasileiro afirmou que quer melhorar a performance para este ano. Mas também se não o conseguir, isso significará um ataque cardíaco a Ross Brawn…

Depois de muitas corridas em baixo, a Brawn está obrigada a ganhar no circuito junto ao porto, pois a forte calor (36ºC) e as curvas de alta baixa velocidade não são o “género” da Red Bull… Webber, quando lhe perguntaram o que esperava desta corrida, disse:

“Estou ansioso que cheguemos a Spa…”

Enquanto os potenciais campeões discutem o título, Ferrari e McLaren tentarão manter os ritmos vistos no Hungaroring, enquanto Raikkonen tentará provar à Ferrari que ainda vale o suficiente para não rescindir contracto. Williams tentará intrometer-se, mas apenas Rosberg o deverá fazer. É preciso esperar, também, para ver se a Renault continua com o ritmo visto na Hungria…

Toyota deverá sofrer para conseguir chegar aos pontos, enquanto as alterações impostas por Toro Rosso e Force India terão que surtir efeitos para os vermos lutar por posições mais acima do pelotão. Espero ainda ver que valor terá Alguersuari depois de ter sido cuidadoso no Hungaroring. A BMW continua a apostar nesta temporada, levando mais alterações para (mais uma vez) tentar encurtar a distância para os outros…

Desenho do circuito:

Folha de corrida:

Novela: Schumacher e Massa na Ferrari

3 de Agosto de 2009 Deixe um comentário

Schumacher testa o F2007 no Mugello

Após os testes de Michael Schumacher com o Ferrari F2007 da colecção de um milionário, a confusão já estalou na F1, pois o carro tinha pneus “slicks”. A Ferrari é acusada de ter testado (ou seja, testou pneus) durante a temporada, quando isso é rigorosamente proibido no regulamento. No entanto, Schumacher afirma que os pneus usados eram realmente “slicks”, mas que eram os desta temporada de GP2…

Isto coloca em risco o próximo teste do alemão com o carro deste ano, pois algumas equipas que tinham aceite o teste, começam a temer que a Scuderia aproveite-se indevidamente deste. BMW e Williams estão entre os queixosos, dizendo-se que no caso da equipa de Sir Frank, é uma vingança à suspensão aplicada pela FOTA…

Ecclestone aproveitou o regresso do alemão da melhor maneira, pois pretende encher as bancadas das próximas corridas. Alguns pilotos como Hamilton e Webber também estão a gostar da ideia do hepta-campeão voltar, com o australiano a dizer mesmo que Schumi vai ganhar uma corrida este ano.

Felipe Massa ficou com mazelas visíveis no olho esquerdo

O homem que Schumacher está a substituir, Felipe Massa, saiu esta manhã do hospital dando uma entrevista à saída. O brasileiro, afirmou que quer regressar o mais depressa possível ao volante, chegando ao ponto de querer participar já em Valência! Aproveitou também para agradecer a todos que o ajudaram: médicos do hospital, os de pista, a todos que lhe mandaram mails, e, ainda, a Deus por se encontrar vivo.

Mesmo assim, a marca foi deixada tanto no subconsciente do piloto como na sua cara…

Actualização: Frank Williams é contra o teste de Schumacher, impedindo-o de testar com o F60. Também, confira a entrevista completa a Felipe Massa.

ING Magyar Nagydíj 2009 – Corrida

29 de Julho de 2009 Deixe um comentário

Após um dos mais emocionantes GP’s da Hungria, se é que isso existe no Hungaroring, Lewis Hamilton conquistou o melhor resultado da temporada, devendo também aliviar a pressão que a equipa tinha nos seus ombros após os brilhantes resultados da Brawn terem tentado a Mercedes. O britânico aproveitou da melhor maneira o KERS na largada, e assim que percebeu que era a melhor hipótese de uma vitória nesta temporada, Lewis passou Webber por fora e perseguiu Alonso até este abandonar, chegando a ter uma liderança de 15s. O seu companheiro foi menos impressionante, pois com dois abandonos à sua frente, ganhou apenas uma posição, ganhando mais pontos dentro da equipa do que na prova…

Na Ferrari, o acidente de Massa na qualificação, deixou um ambiente pesado, com a equipa a prestar-lhe homenagem antes da largada com uma placa: “Força Felipe, estamos sempre contigo”. Raikkonen deve-se ter sentido na obrigação de animar a equipa, pois fez uma brilhante performance, agressiva (valeu-lhe uma investigação dos comissários) e digna do Iceman que foi em tempos. A Renault parecia estar no caminho certo para, pelo menos, um pódio, mas uma roda mal aparafusada valeu a suspensão para o próximo GP. Assim que o espanhol abandonou, Briatore abandonou o seu posto, pois, na sua opinião, por Piquet não valia a pena ficar… O brasileiro deverá mesmo ser substituído por Grosjean para Spa.

Nos candidatos ao título, Webber foi o melhor classificado numa corrida em que foi excessivamente cuidadoso, perdendo a oportunidade de diminuir a margem de Button e aumentar a vantagem para Vettel que abandonou com problemas de suspensão como resultado do toque de Raikkonen. A Brawn fez pior, numa corrida em que devia ter voltado a ganhar, Jenson Button voltou a não conseguir andar bem, ficando com apenas dois pontos e uma liderança pontual muito magra. Barrichello não conseguiu recuperar da má qualificação, ganhando duas posições apenas por abandonos. A Williams está cada vez melhor com Rosberg a chegar num quarto posto, não ameaçado por Kovalainen. Nakajima é que não está a dar o que devia, e mesmo pressionando Trulli nas últimas voltas, continua a zero no campeonato, enquanto o seu companheiro faz exibições brilhantes.

Os dois Toyota recuperaram bem após a péssima qualificação, num circuito onde é complicado ultrapassar, conseguindo entra nos pontos, com Glock a bater Trulli. Toro Rosso e Force India não tiveram tantas melhoras como o esperado com Buemi a ser batido por Alguersuari, e Fisichella não impressionou após o abandono do seu colega. Kubica perdeu a paciência com a equipa, pois o polaco não gostou do facto de a equipa quase ter celebrado o facto de terem sido mais rápidos na corrida que na qualificação… O comunicado do abandono da F1, mesmo assim, apanhou todos de surpresa, pois esperava-se que Toyota ou Renault o fizessem primeiro.

ING Magyar Nagydíj 2009 – Previsões

23 de Julho de 2009 Deixe um comentário

Após um intervalo de duas semanas em relação à corrida do GP da Alemanha, com uma semana com mais rumores e aspirações acerca dos campeonatos e das trocas de pilotos, aproveitei para tornar mais activas as análises de meio ano das equipas. A Force India seguir-se-á a seguir a esta publicação, colocando termo a duas semanas em que praticamente nada aconteceu…

Esta ronda húngara deverá decidir como será o campeonato daqui em diante: se a Brawn conseguir vencer esta corrida graças às temperaturas mais elvadas (ao contrários de Silverstone e Nurburgring) Jenson Button passará a ter mais moral para usar a sua (ainda) elevada vantagem pontual; mas, caso a Red Bull volte a mostrar que é competitiva em qualquer tipo de circuito, ou em quaisquer temperaturas, Vettel e Webber passarão a sentir-se mais confiantes e a equipa não deverá sentir a necessidade de “eleger” um primeiro piloto


Deverá ser interessante verificar quem conseguirá ficar logo atrás dos líderes, com Ferrari, Toyota e Williams a terem entrado numa feroz luta pela posição de terceira força do mundial, e a possibilidade de uma vitória mais para o fim do campeonato. Renault e McLaren estão a fazer esforços desesperados para acompanharem o ritmo dos outros, e se correr tudo como na última corrida, os carros que lutaram pelo título em 2005 poderão finalmente concorrer a pontos…

No entanto, a BMW deverá ser a equipa que mais vai estar atarefada no Hungaroring, pois com a estreia do duplo difusor da Toro Rosso, e com a Force India a melhorar a olhos vistos a cada corrida que passa, é de esperar que os carros bávaros fiquem logo na Q1… Isto com pilotos como Heidfeld e Kubica, que desperdício! Uma coisa é certa será uma corrida muito interessante, ainda por cima com possibilidade de chuva. 😉


Acualização: Peço desculpa pelo esquecimento, mas estive ocupado com o anuário e a preparar as análises de meio ano, a edição “Próxima corrida – Hungria” ficou em falta, ei-la: