Arquivo

Archive for the ‘FOTA’ Category

Que venha 2010 para nos divertirmos…

20 de Agosto de 2009 Deixe um comentário

Após meses de batalhas, guerrilhas, birras e encenações chega finalmente ao fim a cavalgada de Mosley nos regulamentos. Sim, porque eu duvido que tenha sido ele ter as ideias principais do regulamento! “Mad” Max não tem princípios suficientes para colocar a F1 em paz…

Enfim, a F1 está de volta à serenidade com a publicação dos regulamentos que ficaram em vigor até 2012. As medidas prometem trazer de volta paz, sossego, e, acima de tudo, competição mais saudável para a competição. Eis os principais pontos dos regulamentos:

Reabastecimentos proibidos: Após 16 anos com o combustível a poder ser colocado nas paragens juntamente com as trocas de pneus, chega ao fim. Para além dos grandes perigos associados, os reabastecimentos retiraram muita acção da pista, que se passou a desenrolar nas boxes…

Qualificação: Apesar da duração das 3 sessões classificatórias continuarem na mesma, existem alterações. Em vez de cinco, oito carros passarão a ser eliminados na Q1 e Q2. A “Superpole” continuará com o “clube restrito” de apenas 10 carros.

A FIA conseguiu ter juízo e não obrigou os pilotos a correrem na qualificação com o depósito cheio para a corrida, voltando a “pole position” a ter outro significado para quem a conquista. Tudo para evitar que aconteça o mesmo que na Hungria

Sistema de medalhas foi ao ar: Apesar das últimas palavras de Bernie Ecclestone em relação às possibilidades de Vettel conquistar o título fossem maiores com o “seu” sistema de medalhas, as regras dos pontos não se alteraram.

Acho que não devemos ir ao exagero de apenas premiar os 3 primeiros, mas o sistema tem que favorecer um pouco mais quem ganha. Bom mesmo era o sistema da FOTA (12-9-7-5-4-3-2-1)…

Regras de testes e KERS mantidos: Tal como o F1 Fanatic também acredito que as pessoas julgaram o KERS demasiado depressa, e numa altura em que o peso mínimo dos carros será aumentado creio que as equipas se vão sentir mais tentadas a transformar os 15kg extra em mais 80 cavalos, e não em mais peso…

Sem surpresas, a FOTA insistiu e conseguiu manter a regra de não haver testes durante a temporada. No entanto, isto vai acabar por impossibilitar o ingresso de piltos novos a meio da temporada (Alguersuari, Badoer, Grosjean) como se fazia há uns anos atrás (Kubica, Vettel).

No entanto, o geral das regras está melhor do que há uns anos atrás, e pode ser que a estabilidade dos regulamentos ajude os técnicos a transformarem estes camiões, em algo mais imaginativo. Alguém se lembra dos flancos do Honda de 2006?

E você, o que acha das regras para 2010?

Alternativa alemã – Lausitzring

14 de Agosto de 2009 Deixe um comentário

Irá haver GP da Alemanha em 2010, sem Nurburgring ou Hockenheim?

Aquando das lutas entre a FIA e a FOTA… OK, elas ainda continuam, mas agora será mais complicada uma interferência da Federação graças ao novo Pacto de Concórdia. Mas como eu dizia, na altura em que as equipas retiraram as suas inscrições e disseram que abandonariam a F1 no final do ano, entregaram o esboço do calendário.

Nós, os portugueses, lembramo-nos muito bem, pois esse esboço tinha Portimão no calendário. Mas, devido ao facto de o Nurburgring não ter capacidade financeira para organizar a prova todos os anos consecutivamente, e do Hockenheim ter retirado a sua participação para 2010, levou a associação das equipas a escolher outro circuito para o GP da Alemanha…

Nenhum blogue levantou quaisquer publicações acerca do assunto, e eu mesmo só reparei nisso quando as “pazes” já estavam feitas. O circuito de que eu estou a falar é o Lausitzring.

Vista aérea do circuito de Lausitzring na Alemanha Oriental

O circuito que começou sendo uma mina de carvão, faz lembrar bastante Indianápolis, com o circuito principal a ser uma pista com uma recta com as tribunas mesmo ao lado, e o resto da volta a ser em áreas em que o público está mais afastado. Ao lado desta parte do complexo existe uma oval (das poucas na Europa), as bancadas têm grande capacidade. As duas pistas podem-se ligar para corridas de Endurance com 11km, mas mais vulgarmente o percurso total é usada para testes e não eventos de destaque.

Desde 2000 que o circuito tem sido usado em provas, como de DTM ou Superbikes, mas após 1 ano de competição veio uma mancha negra, levando à morte de Michele Alboreto (ex-piloto F1, para quem não sabe), e levando também Alex Zanardi a perder as pernas na oval. No entanto, nenhum destes acidentes teve a ver com o layout da pista, sendo o EuroSpeedway considerado bastante seguro.

A F3 Euroseries é uma das categorias que passa pelo Lausitzring

No vídeo que se segue, pode-se ver uma volta da A1GP em 2005, em que se torna óbvio que se a pista quiser acolher a F1, precisa ainda de algumas obras de alargamento de pista e escapatórias, pois os muros estão demasiado próximos nalguns sectores… Veja por si mesmo:

Novo single no YouTube

13 de Agosto de 2009 Deixe um comentário

Após o grande êxito conseguido com as visualizações do vídeo do Blá-Blá-Blá-rrichello muito publicitado por todos os blogues (F1 Fanatic, RTP F1, Blog do Capelli,…) o utilizador do YouTube TheRatterdotcom lançou um novo êxito que começa a fazer fãs pelo mundo inteiro, e do qual já consta o abandono da BMW.

Este novo vídeo contem as manias da FIA contra as equipas, o abandono da BMW e de Ron Dennis, a FOTA, as listas das inscrições para a temporada de 2010, e, ainda, a voz de Eddie Jordan a cantarolar… O título? I predict a FIA-ght!, traduzindo “eu prevejo uma luta (fight)”.

Este novo vídeo, com música de The Khazi Cheeks “I Predict a Riot” (se não estou em erro), tem algumas passagens interessantes, mas antes deixem-me também avisar de outro vídeo adicionado: Kimi – a smile? (Kimi, um sorriso?), em que se goza com o facto de Raikkonen raramente sorrir, com a letra a ser muito explícita… “I can’t smile” (eu nã consigo sorrir)!

Mas eis as passagens traduzidas de “I predict a FIA-ght”:

“Eles vêem o ponto de vista deles, mas não o dos outros… um homem chamada Ron Dennis foi derrotado… o velhote A-poleão… O que eu não percebo do Max é que ele é só um homem num fato a pressionar as equipas… ele disse que os custos eram preocupantes, ele quer tornar as coisas um pouco chatas… Eu prevejo uma rebelião… Eu prevejo uma rebelião…”

Uma questão de linhagens…

8 de Agosto de 2009 1 comentário

As medidas anti-montadoras de Mosley, têm atingido o seu objectivo...

Após as sucessivas investidas de Max Mosley contra o desporto este ano, afectando (e muito) o desenho dos carros, e fazendo vários tentativas de afastar as montadoras. Isso culminou no abandono da Honda e da BMW. Isto levou à criação da Brawn, e, provavelmente vai levar a mais uma equipa independente se juntar ao campeonato com a ausência da BMW.

Em vários ataques da FOTA às equipas que a FIA tinha para consideração, o assunto base era o facto de as equipas que se inscreviam não terem qualquer historial, levando aos casos da Lotus e Brabham a ganharem vida própria… Mas, e se eu lhe dissesse que as equipas que disputam o campeonato (tanto de pilotos como de constructores) vêm das linhagens de nomes como Tyrrell e Stewart?

É verdade. As duas equipas que lutam pelo campeonato este ano, Red Bull e Brawn, vêm de tempos anteriores. Ora vejamos as duas equipas de topo de 2009:

A Brawn vem da linhagem da vencedora de títulos Tyrrell

Brawn: A equipa britânica que dominou o início desta temporada, tem raízes muito profundas, desde 1968, para ser mais preciso. Os títulos mundiais, da então Tyrrell, com o grande Jackie Stewart eram uma miragem distante nos últimos anos de vida. Os problemas financeiras levaram a equipa a ser comprada pela BAT (British American Tobacco).

Após essa compra, a equipa nunca mais fez resultados de relevo, ainda que em 2004 quase tenham ganho uma corrida, e facturaram 11 pódios. O que acabou a equipa foi a relação chegado com a Honda que optou por comprar a BAR em 2006. O primeiro ano, deu uma vitória e vários pódios, mas os dois seguintes foram decepcionantes, até a equipa se tornar a Brawn GP.

Jackie Stewart criou a Stewart GP, que actualmente é conhecida como Red Bull

Red Bull: A equipa austríaca tem uma história bem mais pequena. Quando Jackie Stewart criou a sua equipa a partir do nada em 1997, as dúvidas dissiparam-se, pois no ano de estreia Rubinho conquistou pontos regularmente e um pódio no Mónaco. No ano seguinte as coisas não correram tão bem, mas em 1999 a equipa estava logo atrás de McLaren e Ferrari, conquistando uma pole em Magny-Cours e uma vitória em Nurburgring.

Stewart revelou-se mais perspicaz que Prost com a equipa, vendendo a Stewart GP quando estava na mó de cima para a Jaguar. Em boa hora o fez porque os dois primeiros anos correram muito mal, levando à venda da equipa para a Red Bull em 2005. Desde então a equipa austríaca tem sido caracterizada como equipa do meio da tabela, mas este ano luta pelo título mundial… Uma curiosidade da marca de bebidas: desde 2004, que os números 14 e 15 são de carros com patrocínio Red Bull (Jaguar em 2004, Red Bull de 2005 a 2007 e 2009, e Toro Rosso em 2008).

Outras equipas também têm alguma história: Renault vem da Toleman, BMW vem da Sauber, Toro Rosso da Minardi e Force India da boa e velha Jordan.

Capa Autosport – Fim-de-semana louco na F1

28 de Julho de 2009 Deixe um comentário

À semelhança do Continental Circus decidi começar a cobrir mais o produto nacional português. Sendo mais patriota vou mostrar-vos o Autosport e o que podem encontrar nele acerca de F1 esta semana.

Acidente de Massa: Especial acerca do estado de saúde do brasileiro, com os casos de objectos voadores, tal como o Capelli, a estranha coincidência de Massa com Henry Surtees, e, mostram também quem deverá substituí-lo. Segundo eles, Badoer, Gené e Schumacher não são indicados, e que é Fisichella (!) quem o deveria fazer.

Novo pacto de Concórdia: falam também que os regulamentos da próxima época já estão definidos, e que apenas falta assinatura da FIA. Falam também que a FIA pediu à Lola para continuar o programa de F1, devido aos problemas da Manor. A promoção da última continua a levantar suspeitas, com Prodrive e Epsilon Euskadi a juntarem-se à N Technology para processar a FIA. A Williams estará a tentar reduzir bastante os custos, pois prevê-se que haja ruptura com a Toyota, e Sir Frank terá que voltar a comprar os motores da Cosworth, já não falando no abandono dos patrocinadores…

Tudo à espera: O semanário fala também que o campeonato está com muitas trocas de pilotos agendadas, com o teste de Senna com a Brawn a marcar a luta que está a haver entre ele, Barrichello, Glock e Heidfeld pelo segundo Brawn; a Williams está em busca de uma dupla nova, pois Nakajima irá com os motores Toyota e Roberg está de malas aviadas para a BMW, Barrichello e Heidfeld são os nomes dados como certos para acompanhar Nico Hulkenberg; e a renovação de Webber com a Red Bull, com o australiano a ficar apenas garantido por mais um ano (contra os 3 que ele queria), mas com cortes salariais.

Outros: Villeneuve tenta regressar à F1, Ferrari tem em curso uma revolução de balneário, Piquet e Briatore trocam palavras azedas, Montreal deverá regressar para 2010, BMW continua a apostar em 2009, USF1 entra em contactos com Wurz e de la Rosa, duas semanas com as fábricas das equipas fechadas, e Williams teve problemas na Hungria, pois o nome “Williams” estava registado por uma empresa de Budapeste… Não nos esquecendo das análises às corridas: do Autosport e as minhas dentro de breves instantes.

Hitler na Fórmula 1…

22 de Julho de 2009 Deixe um comentário

Enquanto navegava pelo fórum do F1 Fanatic deparei-me com um vídeo hilariante que retrata como seria a F1 com o ditador alemão Adolf Hitler nos comandos. O filme é (se não estou em erro) a Queda, que retrata vida de Hitler nos bunkers de Berlim no final da guerra. Só que os internautas do YouTube colocaram legendas inglesas com comentários bastante espirituosos…

O vídeo surgiu após as declarações de Bernie Ecclestone sobre as ditaduras e as críticas à democracia. De uma maneira ou outra o britânico deixou uma marca… Para quem não sabe inglês, eis alguns excertos do vídeo abaixo:

“Abandonaremos Berlim bem cedo e iremos pela auto-estrada do Sudoeste. Viajaremos com os comissários, mas pararemos primeiro no McDonalds para tomar o pequeno-almoço”.

Hitler: “Com alguma sorte veremos os Ferrari para o ano em Hockenheim”. Alguém o avisa que a FOTA não participará na F1 para 2010, e o alemão manda sair quem apoia isto. Mais de metade abandonam a sala…

“Isto é demais! … Chamem o Max ou aquele troll pequeno e obriguem-nos a fazer algo para resolver esta merda! … Já é mau o suficiente que estejam a mudar corridas para a Ásia! … O que raio é a seguir? O GP da Rússia para o Stalin?! … Ferrari e FOTA querem uma guerra, pois vão tê-la! Eu vou dar cabo do Luca di Mussolini como fiz com o Lorde Dennis. Vou suspender as licenças dos pilotos e vou conquistar as suas fábricas. Contratem os pilotos para guiar os meus panzers, e obriguem os projectistas a modernizar o meu Luftwaffe! [alguém começa a chorar, e ouve-se uma voz de conforto: Não te preocupes, o Alonso já guia um tanque!].

Estaremos no fim de uma era?

17 de Julho de 2009 Deixe um comentário

Ontem, Jean Todt anunciou num comunicado que mandou cartas a membros da FIA avisando que se vai candidatar para presidente da FIA, já tendo mesmo preparado os possíveis nomes da lista que é necessário entregar para se tornar candidato. Há muito que esta notícia era esperada no seguimento de Max Mosley ter afirmado que não se iria recandidatar, pois acha que deve passar mais tempo com a família devido à perda recente (o filho), e que está a ficar demasiado velho para o cargo. O inglês aproveitou também para expressar o seu apoio a Todt, podendo assim continuar a controlar a federação, puxando os cordelinhos na sombra.

No entanto, pode ser que o gangue de Mosley tenha um adversário de peso no ex-campeão do mundo de ralis, Ari Vatanen. O finlandês planeia fazer tudo o que se podia esperar dele nas actuais condições económicas e desportivas: trazer harmonia à FIA, ajudar os grandes contructores a permanecerem na F1 e nos ralis, e dar o controlo da Federação de volta aos clubes que são “os seus legítimos proprietários”. Tudo isto promete fazer com que se abandonem as manias e hábitos de fazer a vontade de apenas quem está no poder, um sistema do qual Ecclestone se revelou um grande fã a semana passada…Bernie está mesmo com muitos problemas, porque a CVC Capital Partners acaboupor afastá-lo dos acordos que estão a ser feitos com a FOTA e colocou Mosley entre a espada e a parede com uma ameaça de acções legais. A N Technology (uma das candidatas a nova equipa) está mesmo em tribunal com a FIA na sequência de uma escolha de equipas algo estranha por parte da Federação. Mas, Ecclestone tem mesmo que temer pelo seu posto, pois a CVC prepara-se para lhe tirar o tapete debaixo dos pés, com Briatore a poder tomar as rédeas da FOM. Ou seja, pela primeira vez em muitos anos poderemos não ter que aturar nem Mosley, nem Ecclestone… A isto é que eu chamo “start fresh”!