Archive

Archive for the ‘FIA’ Category

Grande Prêmio Petrobras do Brasil 2009 – Qualificação

18 de Outubro de 2009 1 comentário

Numa das sessões de qualificação mais demoradas da história (não digo a mais demorada porque não tenho a certeza), que durou aproximadamente 3 horas, Rubens Barrichello conseguiu pole position no seu território e relança o mundial com as péssimas performances de Button e Vettel.

Depois de termos voltado a ver Button e a sua família super descontraídos durante a 6ª feira e um Vettel sorridente, tudo mudou com as caras sombrias de regresso aos dois homens que lutam pelo título. Vettel perdeu o título, e mesmo com chuva é demasiado anormal que consiga um pódio no circuito… A não ser que Webber se estampe contra o muro, claro!

Título com novo fôlego

A brilhante performance de Barrichello aliada à sorte que teve na Q2, ao acabar em 10º com a ameaça de Kobayashi o mandar para fora a acabar com um erro do japonês na parte final da prova.

Button e Vettel fizeram péssimos resultados quando tinham evidenciado bons resultados durante os treinos livres. Jenson ainda se compreendeu porque nunca foi bom à chuva (apesar da 1ª vitória na Hungria), mas Sebastian tinham a fama do mestre da chuva, e o modo como parou o carro nas boxes diz tudo: adeus título…

Ameaças a Barrichello

Para ameaçar o “conto de fadas” de Rubinho em casa, estão Webber, Sutil e Trulli que parecem ter os carros, as capacidades e as estratégias para conseguirem incomodar bastante o brasileiro.

Apesar de não ter ficado muito claro o que Mark Webber deverá fazer na corrida para ajudar a equipa e Vettel a conseguirem atrasar a decisão, o simples facto de o australiano estar mais pesado que Rubens deverá dar o bom espectáculo na largada.

Sutil e Trulli têm mostrado não estarem apenas a fazer figura na F1 nas últimas provas, mas é óbvio que ambos devem ser levados a sério. No entanto a motivação inconstante de Jarno e os excessivos erros sob pressão de Adrian (Shangai e Nurburgring) mostram que os seus principais adversários serão eles próprios!

Toro Rosso e Williams aos pontos…

Depois de ter passado toda a segunda parte da época na cauda do pelotão com as melhorias da Force India, a Toro Rosso esteve bastante bem em Interlagos mesmo com o line-up inexperiente, com Alguersuari a ficar na Q2, e Buemi a partir de 6º lugar (a sua melhor qualificação de sempre) mesmo sendo o mais pesado da Q3!

Já Williams mostrava ser a mais forte candidata à pole position na Q1 e Q2, mas inexplicavelmente e apesar de terem uma estratégia igual aos do topo ficaram em 7º e 9º.

Mau tempo e acidentes assustam a FIA

Depois de termos achado que tínhamos atingido o fundo do poço com a qualificação do GP do Japão, creio que conhecemos profundidades maiores em Interlagos… O mau tempo já tinha feito das suas no 3º treino livre, mas na qualificação foi o descalabro.

Fisichella rodou e o motor morreu e bloqueou a pista. Aí entendeu-se a demora para recomeçar. Depois começou a Q2, e Liuzzi perdeu o controle na recta da meta. Apesar da esctaculariedade do acidente, o italiano saiu a pé.

Aí sim creio que foi um disparate aquele tempo imenso (quase uma hora) que os comissários perderam para finalmente recomeçarem o treino, quando, na minha opinião, as condições não estavam assim tão melhores na hora do recomeço…

“Os comissários da FIA são como as velhinhas, cheios de cautelas excessivas,
e enquanto isso não mudar vamos ter mais cenas tristas como as de hoje…”

Jaques Laffite sobre o GP da China

E não é que ele tinha razão…

Leia também:
Fuji Television Japanese Grand Prix 2009 – Qualificação
Singtel Singapore Grand Prix 2009 – Qualificação
Gran Premio Santander d’Italia 2009 – Qualificação

Post anterior: Grande Prêmio Petrobras do Brasil 2009 – Previsões

Estou de volta, mas o que se passou?

12 de Outubro de 2009 2 comentários

Oi pessoal, estou de volta! É o mais simpático que posso dizer depois de ter estado sem publicar nada aqui no blogue muito tempo, mas a falta de tempo e um vírus informático em conjunto dão umas dores de cabeça dos diabos…

Por essa razão decidi fazer uma síntese de tudo o que aconteceu durante o tempo que estive “fora”. Foi uma semana bem agitada com as confirmações de rumores e lançamento de mais alguns, o facto de Glock continuar com problemas, e ainda a possibilidade de Massa voltar já após resultados positivos nos testes da FIA!

Depois de Alonso, mercado toma forma

Assim que Fernando Alonso confirmou a sua ida para a Ferrari foi ver o mercado inteiro a palpitar!

Primeiro foi a vez de Robert Kubica anunciar que vai “regressar às origens” ao ingressar na Renault, equipa na qual esteve ligado no início da sua carreira. Ninguém sabe o que fará ao volante do carro de Enstone para o ano nem o companheiro, mas ninguém espera que lute pelo título de 2010.

Agora, acredita-se que o acordo Barrichello-Rosberg está absolutamente garantido. Eu pensei que esperariam para ver quem ganhava o título para decidir, mas a Brawn nem pareceu importar-se… Possivelmente a decisão errada já que seria um grande “revés” financeiro se Rubinho fosse para a Williams com o título no bolso!

Massa pode voltar e Glock saiu

Depois do aparatoso acidente de Timo na qualificação para o GP do Japão, no qual o alemão levou alguns pontos resultantes de um corte na perna. Como já se esperava, o piloto da Toyota não está em condições para pilotar em Interlagos, e duvido muito sinceramente que consiga regressar antes de 2010…

Quem também não se espera ver de regresso às pistas (pelo menos com um carro de 2009) é Felipe Massa que apesar de testes positivos não está pronto fisicamente para o esforço exigido. Schumacher testou o F2007, tal como Massa o fez hoje, mas circularam rumores que o alemão tinha desmaiado ao volante com as forças G.

Por isso, e se Felipe não quiser ser humilhado por Kimi Raikkonen, numa altura em que o “Iceman” está num grande momento, o melhor que o brasileiro tem a fazer é esperar por 2010 para encarar o “desafio Alonso” de um modo mais correcto.

Mosley e Ecclestone falam, mas quem os ouve mesmo?

Para não variar muito os dois… dirigentes (para não lhes chamar outra coisa…) da Fórmula 1 voltaram a fazer das suas. Sem qualquer surpresa Bernie voltou a defender que com o sistema de medalhas era tudo muito melhor, e que as equipas tinham reagido com mais afinco… Eis o mau lado dos resultados do “Renaultgate”: Briatore já não está cá para o substituir!

Já o outro “chefão” decidiu avisar para que “certas pessoas comecem a preparar os seus advogados” pois revelou estar a preparar um livro de memórias no qual fará revelações explosivas. Há alguém no paddock que não tenha uma, só por acaso?

Leia também:
Capa Autosport – Mercedes quer comprar a Brawn
Como?!
Análises de Mercado 2010 – parte 2

Post anterior: Capa Autosport – Lorenzo não atira a toalha!

Renault suspensa… mas não para já!

21 de Setembro de 2009 Deixe um comentário

Tal como todos esperávamos as decisões do Conselho Mundial reverteram a favor da Renault tendo em conta as circunstâncias. Briatore e Symonds foram os “sacrifícios” resultantes desta polémica, mas até Ari Vatanen concorda: Piquet não deveria ter recebido imunidade…

Uma pena suspensa de 2 anos foi o resultado da “brincadeira” de Singapura, e tal como no caso da McLaren no início do ano, a sentença só será executada, caso até 2011 tome parte nalguma artimanha considerada igualmente grave. A dúvida é se Piquet conseguirá voltar a guiar um F1 na vida…

Actualização: Bob Bell toma o lugar de Flavio Briatore até ao final do ano.

Pena suspensa, mas como?

Talvez tenham percebido mal o título: considero que a pena que a FIA impôs à Renault foi perfeita, mas creio que ao contrário da McLaren que na sentença estava escrito que tornar-se-ia efectiva se quebrassem aquela secção específica do regulamento, os franceses têm um caso um pouco mais complicado nas mãos.

É que no veredicto, os representantes da Federação disseram que a pena seria “activada” caso a Renault se envolvesse nalguma polémica grande… Ou seja, os franceses não têm garantias sobre o que a FIA considerará de grande polémica, pois eles já perdoaram o caso dos extractores, mas puniram a McLaren por uma simples mentira!

Briatore afastado, Symonds… assim assim!

O principal “alvo” desta investida da FIA no “Renaultgate” foi o manager da Renault Flavio Briatore. O italiano (ao contrário de Stepney no “Stepneygate”) está expulso até uma data não fornecida, ou seja, foi o último capítulo de uma carreira em que jogou sujo vezes de mais…

O ex-dirigente da equipa de Enstone foi também proibido de ser o responsável pelas carreiras de pilotos, o que significa que Webber, Alonso, Grosjean e Piquet (ainda que este já não estivesse nas contas do italiano) estão no mercado em busca de quem lhes queira gerir as carreiras.

O outro afectado que nem precisou de comparecer perante o Conselho Mundial foi Symonds. O estrategista (ou melhor: ex-estrategista) da Renault está impedido de se juntar a qualquer competição organizada pela FIA durante 5 anos. Uma das hipóteses para se manter no activo é juntando-se à GP2 que não é organizada pela Federação…

Pilotos safos

Piquet e Alonso foram dois pilotos que saíram sem qualquer dano às investigações de Mosley. O brasileiro revelou tudo a troco da imunidade, mas realmente a obsessão do britânico em atingir Briatore levou “Mad” Max a ignorar o facto de o principal interveniente ter escapado…

Já no caso do bicampeão mundial Alonso foi tudo menos claro: apesar de se insistir que o espanhol não soube de nada, a verdade é que a estranha estratégia de 3 paragens levanta muitas suspeitas. De novo tal como no “Stepneygate” valeu Ecclestone querer preservar relativa paz no seio da Fórmula 1…

Leia também:
“Renaultgate” continua nos cartoons e no paddock
Agora é que está tudo tramado…
Análises de mercado – parte 1

Post anterior: Capa Autosport: Mercedes quer comprar a Brawn
Post seguinte: Capa Autosport: Renault F1 em risco!

O regresso da Lotus… com Cosworth!

15 de Setembro de 2009 2 comentários

E a FIA divulgou a 13ª equipa do mundial de 2010: será a mítica Lotus que está de regresso já para 2010!

A Federação mostrou-se “impressionada” com a inscrição da BMW Sauber, mas colocou-a como 14ª vaga, ou seja, caso mais alguma equipa falhe os bávaros tomarão o seu lugar… Isto é tudo muito bonito no papel, mas é óbvio que ninguém vai investir numa equipa porque “se calhar vão participar”!

Actualização: Apesar de ainda não terem a certeza se conseguiram uma vaga no grida, quer seja através de uma 14ª equipa ou do abandono de outra, a BMW foi comprada pela suíça Qadbak Investments (veja fundo do post).

Com base em Inglaterra

Como o Speeder noticiou há algum tempo, o nome Lotus será apoiado por empresas da Malásia, com a principal companhia a ser a 1Malaysia F1 Team Sdn Bhd, com o manager a ser Tony Fernandes que é também o dono da Air Asia, patrocinador da Williams. O director técnico será o regressado Mike Gascoyne.

Apesar de apresentar um bom line-up de patrocinadores e alguns técnicos com um passado ou presente de Fórmula 1 torna-se óbvia a principal causa da escolha da equipa: os motores Cosworth… Com eles estimam-se perdas de perto de 3s devido ao facto dos ingleses nunca mais terem tratado dos propulsores.

A base inicial da equipa será no Reino Unido em Norfolk a 10 milhas da fábrica da Lotus Cars. A estrutura foi também a inicial da Toyota até se mudarem para a Alemanha. Tal como os japoneses, os malaios também planeiam mudar-se, estando-se a preparar uma estrutura que ficará próxima ao circuito de Sepang.

Fim da linha para Sauber, será mesmo?

É óbvio que por trás de toda a decisão está Max Mosley, que só neste ano conseguiu mandar abaixo Ron Dennis e uma montadora, e não parece ter acabado ainda (falta a Renault…)! Numa altura em que Peter Sauber afirmou que as negociações estavam numa fase crítica vem uma equipa que supostamente ia comprar as instalações de Hinwill!

No entanto creio que deve ser outro plano: a FIA colocou a Sauber de prevenção, ou seja, caso outra equipa falhe, só que isto é numa altura em que estamos em pleno “Renaultgate”. Por outras palavras, Briatore Mosley planeia destruir Briatore e afastar a Renault da F1 de maneira a colocar a equipa de Peter Sauber de volta às corridas!

Isto porque apesar de a FIA dizer que planeia verificar se é possível expandir o campeonato para 14 equipas, ou seja, 28 carros… Já imaginaram como seria o GP do Mónaco assim?

UPDATE: BMW garante apoios

Apesar de ter acabado de ser anunciada a volta da Lotus, a BMW vende a equipa à Qadbak Investments, um grupo suíço. No entanto, continuo a achar que os dirigentes deveriam ter assinado o Pacto de Concórdia: agora, se esta equipa entrar, tal como a Brawn não será classificada como sucessora dos bávaros.

Por outras palavras, Bernie Ecclestone arranjou maneira de poupar mais uns milhões, pois a nova equipa não receberá o dinheiro dos prémios de 2009! Ainda para mais com o F1.09 a melhorar a cada corrida, quem ganha com essa súbida de forma é o Mr. E…

Leia também:
Análises de mercado – parte 2
Visuais novos
Estará a F1 a ficar sem motores?

Post anterior: Gran Premio Santander d’Italia 2009 – Pontuação
Post seguinte: Capa Autosport – Mercedes quer comprar a Brawn

"Renaultgate" continua nos cartoons e no paddock

14 de Setembro de 2009 Deixe um comentário

Numa das minhas pesquisas pelo Google, encontrei isto:

O desporto inteiro está marcado com esta praga, que pode ameaçar a Fórmula 1 para sempre. Como se não bastasse o escândalo de espionagem da McLaren em 2007, e os mais recentes problemas entre a FIA e FOTA que por pouco não causavam danos absolutamente irreparáveis…

O mais recente capítulo foi o de Flavio Briatore afirmando que a mudança de Piquet de Oxford para Londres se deveu a uma suposta relação homossexual do brasileiro com um homem mais velhos… Nota-se que o manager da Renault está simplesmente a disparar em todas as direcções, tentando acertar em alguém pelo caminho.

Já para não falar no próprio Nelsinho que insiste que disse toda a verdade à FIA. O seu pai, momentos antes do post, afirmou que Fernando Alonso sabia de toda a trama… Esperemos os próximos capítulos!

É quase certo que a questão não se ficará pelo tribunal, e ainda por cima, se lerem o regulamento um dos pontos principais é que qualquer tentativa de manipulação de resultados não é permitida. Se o “Stepneygate” foi considerado manipulação por espionagem, o que se pode dizer do “Renaultgate” que foi feito em plena corrida nas barbas da FIA?

Leia também:
Agora é que está tudo tramado…
Conspirações nocturnas
Renault absolvida salva Valência

Post anterior: Como?!
Post seguinte: Gran Premio Santander d’Italia 2009 – Pontuação

Agora é que está tudo tramado…

11 de Setembro de 2009 Deixe um comentário

Rumores não faltavam para tentar justificar ou descobrir tudo o que se passou relativo ao “Renaultgate”, mas agora é que parece que “o caldo entornou” para os lados de Enstone. Um depoimento assinado por Nelsinho Piquet foi para às mãos do F1sa.com que o colocou à disposição de todos.

No depoimento prestado por Piquet, está tudo desde as confirmações de que Symonds e Briatore mandaram o brasileiro chocar contra o muro logo após a paragem de Alonso, de modo a favorecer o espanhol. Diz também que apenas aceitou colaborar, porque Flavio lhe tinha dito que era o necessário para ver o seu contracto renovado, pois ele estava impedido de negociar com outras equipas.

No mesmo documento, está escrito que a curva foi escolhido por estar longe do alcance das gruas e guindastes, o que obrigaria à entrada do Safety-Car. Mais preocupante ainda é que no sentido da segurança, apenas Pat Symonds disse para ele não se ferir, quando aquele acidente poderia não só ter ferido o piloto como os comissários e público que estavam perto!

Após todos estes eventos, Piquet afirma que o assunto foi esquecido, pois apenas Briatore disse discretamente “obrigado” após a corrida.

No entanto a equipa parece desesperada em salva guardar a equipa de escândalos potencialmente desastrosas, já que minutos antes deste post declararam que iriam começar acções legais contra a família Piquet, por “extorsão e alegações falsas”…

No entanto, eis a minha questão: alguma vez um piloto tramaria a própria equipa simplesmente por ter sido demitido? Já imaginaram como teria feito o Barrichello se tivesse esse tipo de temperamento com a Ferrari?!

Portanto tal como o Capelli, acredito que esta história está muito mal contada, e que mesmo um julgamento da FIA não deverá desenterrar “os podres” da equipa francesa. Algum de muito profundo aconteceu, e explica porque Piquet não saiu logo da equipa, e ainda teve a “oportunidade” na Hungria…

No entanto está a faltar um pormenor bem grande: quem sabe desta trama? Muitos defendem que o mais provável é ter ficado tudo entre Piquet, Briatore e Symonds. Isto porque no documento de Piquet lê-se que o engenheiro teria ficado surpreso com a natureza com base no acidente, por outras palavras, achou muito estranho o brasileiro não ter travado.

Conspirações nocturnas

31 de Agosto de 2009 Deixe um comentário

Durante aquele acidente bizarro que envolveu Lewis Hamilton, Jaime Alguersuari, Jenson Button e Romain Grosjean, Reginaldo Leme surpreendeu tudo e todos (o que é difícil tendo em conta que o outro homem de reportagem é Galvão Bueno) ao afirmar que Grosjean deveria estar a tentar fazer com que Alonso passasse para a frente da corrida!

Ainda por cima numa altura em que Piquet está fora da Renault, todos começámos a lembrar daquela vitória no GP da Singapura de Fernando. Na altura o Renault do espanhol tinha-o deixado mal na qualificação. Após a sua primeira paragem, que aconteceu cedo, Piquet “espetou-se” e trouxe o SC.

As regras do Safety-Car diziam que o pitlane ficaria fechado durante esse período. Isso levou Alonso a dar o “pulo do gato” e a ganhar a corrida com uma margem de 7s sobre Rosberg. Agora, a FIA afirma que irá investigar a possibilidade de Piquet o ter feito a pedido de Briatore!

O italiano era bem provável de o fazer, já que se muita gente provavelmente pensou em fazê-lo, Briatore seria o único a ter a ousadia de o fazer. Ainda por cima, Nelsinho não estava a fazer uma boa temporada (tal como este ano…) e a curva em questão era de baixa velocidade: por outras palavras não traria muitos riscos…

Além disso, na volta de aquecimento, o brasileiro parecia estar a “ensaiar” a batida que mais tarde faria na mesma curva:

Na realidade, não tenho quaisquer dúvidas que tenha sido esse o caso, já que Flavio Briatore também era “patrão” de Schumacher, quando o alemão fez aquele chega ‘pra lá em Damon Hill para garantir o título de 1994!

Será que Mosley está a tentar mandar abaixo mais uma montadora, antes de se aposentar? Muito plausível na realidade, e a Renault terá que se preparar, pois memórias do caso de espionagem de 2007 não deverão estar muito longe…