Arquivo

Archive for the ‘Fernando Alonso’ Category

Estou de volta, mas o que se passou?

12 de Outubro de 2009 2 comentários

Oi pessoal, estou de volta! É o mais simpático que posso dizer depois de ter estado sem publicar nada aqui no blogue muito tempo, mas a falta de tempo e um vírus informático em conjunto dão umas dores de cabeça dos diabos…

Por essa razão decidi fazer uma síntese de tudo o que aconteceu durante o tempo que estive “fora”. Foi uma semana bem agitada com as confirmações de rumores e lançamento de mais alguns, o facto de Glock continuar com problemas, e ainda a possibilidade de Massa voltar já após resultados positivos nos testes da FIA!

Depois de Alonso, mercado toma forma

Assim que Fernando Alonso confirmou a sua ida para a Ferrari foi ver o mercado inteiro a palpitar!

Primeiro foi a vez de Robert Kubica anunciar que vai “regressar às origens” ao ingressar na Renault, equipa na qual esteve ligado no início da sua carreira. Ninguém sabe o que fará ao volante do carro de Enstone para o ano nem o companheiro, mas ninguém espera que lute pelo título de 2010.

Agora, acredita-se que o acordo Barrichello-Rosberg está absolutamente garantido. Eu pensei que esperariam para ver quem ganhava o título para decidir, mas a Brawn nem pareceu importar-se… Possivelmente a decisão errada já que seria um grande “revés” financeiro se Rubinho fosse para a Williams com o título no bolso!

Massa pode voltar e Glock saiu

Depois do aparatoso acidente de Timo na qualificação para o GP do Japão, no qual o alemão levou alguns pontos resultantes de um corte na perna. Como já se esperava, o piloto da Toyota não está em condições para pilotar em Interlagos, e duvido muito sinceramente que consiga regressar antes de 2010…

Quem também não se espera ver de regresso às pistas (pelo menos com um carro de 2009) é Felipe Massa que apesar de testes positivos não está pronto fisicamente para o esforço exigido. Schumacher testou o F2007, tal como Massa o fez hoje, mas circularam rumores que o alemão tinha desmaiado ao volante com as forças G.

Por isso, e se Felipe não quiser ser humilhado por Kimi Raikkonen, numa altura em que o “Iceman” está num grande momento, o melhor que o brasileiro tem a fazer é esperar por 2010 para encarar o “desafio Alonso” de um modo mais correcto.

Mosley e Ecclestone falam, mas quem os ouve mesmo?

Para não variar muito os dois… dirigentes (para não lhes chamar outra coisa…) da Fórmula 1 voltaram a fazer das suas. Sem qualquer surpresa Bernie voltou a defender que com o sistema de medalhas era tudo muito melhor, e que as equipas tinham reagido com mais afinco… Eis o mau lado dos resultados do “Renaultgate”: Briatore já não está cá para o substituir!

Já o outro “chefão” decidiu avisar para que “certas pessoas comecem a preparar os seus advogados” pois revelou estar a preparar um livro de memórias no qual fará revelações explosivas. Há alguém no paddock que não tenha uma, só por acaso?

Leia também:
Capa Autosport – Mercedes quer comprar a Brawn
Como?!
Análises de Mercado 2010 – parte 2

Post anterior: Capa Autosport – Lorenzo não atira a toalha!

Capa Autosport – Lorenzo não atira a toalha!

7 de Outubro de 2009 Deixe um comentário

E para não variar muito voltei a ter problemas em manter uma regular presenção aqui no blog, porque quando finalmente tive tempo para “tratar” de tudo o que tinha atraso… quando me entra um Trojan pelo computador adentro! Devo ter partido um espelho, hã?

Enfim, lá consegui pôr isto a trabalhar tempo suficiente para dar tempo de fazer alguns posts. A “Capa Autosport” desta semana tem como principal destaque a vitória de Lorenzo no Estoril que o coloca com mais hipóteses de título ainda que diminutas; as vitórias de Vettel e do “meu” Sporting na F1 e Superleague, respectivamente.

Eis os destques completos em análise:

Button a seis pontos do título

Como não podia deixar de ser nesta altura do campeonato (literalmente), um ponto de situação da classificação da época. Button está realmente imparável e é muio complicado que alguém lhe roube o ceptro agora! Na realidade, mesmo com a aproximação de Vettel (a apenas 2 pontos de Barrichello) fica tudo na mesma.

Tal como em 2007 temos dois pilotos da mesma equipa na frente com o título quase assegurado, e ainda um “outsider” que apareceu mais forte na última corrida. Por isso como eu disse não descontem “Baby Schumacher” das contas para já!

Pequeno pormenor para a possibilidade de Massa regressar já para Interlagos, pois o brasileiro fará hoje testes em Paris e no caso de luz verde, vai testar (como Schumacher) o F2007 com pneus de GP2, pois seria uma imposição da FIA e não um verdadeiro pedido…

Ferrari confirma Alonso

Na última edição não me alonguei muito sobre o calendário de 2010 porque já o tinha feito no blogue, e é também isso que vou fazer sobre a ida de Fernando para a Scuderia que já analisei aqui. No entanto, há uma pequena caixa sobre o facto de a Williams ter vetado a entrada de uma 14ª equipa alegando que obviamente se abrirá uma vaga…

Mercado em ebulição

Mais um ponto de situação dos mercados de pilotos que mostra como este ano está tudo de pantanas com as equipas e pilotos com menos de metade dos lugares atribuídos… Da novela sobre a troca de equipa de Barrichello e Rosberg, as situações de Kovalainen e Glock até à possibilidade de Trulli se juntar a Gascoygne! Já para não falar de Kubica que acabou de se juntar à Renault hoje.

Tem cara de míudo, mas…

… a ele ninguém o engana! Foi este o título que Luís vasconcelos deu à sua análise à corrida do último fim-de-semana com uma grande vitória de Sebastian Vettel. A continuação da Ferrari à frente da McLaren, as polémicas penalizações na qualificação, a vantagem que Rosberg ganhou quando devia ter abrandado, e ainda a possível continuação da Toyota na F1 graças ao pódio de Trulli…

Outros

Senna e Parente como principais hipóteses para compôr a equipa Virgin/Manor, a brilhante estreia de Kobayashi nos treinos livres à chuva, a confirmação de Alguersuari e Buemi na Toro Rosso para 2010, Webber nos estreantes GP3, Ecclestone impõe prazos a Donington e Montreal, o GP da Alemanha confirmado até 2016, e ainda problemas com a Fuji TV…

Agora é que vai ser a sério!

30 de Setembro de 2009 Deixe um comentário

Finalmente depois de 2 anos de muita especulação, finalmente Fernando Alonso foi garantido como piloto da Ferrari para a temporada de 2010. O anúncio era apenas uma questão de tempo, porque ninguém tinha a mais pequena dúvida que, após o deslize de Montezemolo para a Marca, o espanhol seria confirmado ao lado de Felipe Massa…

O resto do pelotão estava em compasso de espera desta decisão para tomar as suas iniciativas para um novo emprego, no que promete ser um Big Bang de transferências em poucos meses, depois desta temporada ter sido um fiasco nesse capítulo (apenas Vettel se moveu “internamente”…).

Detalhes e seguimentos

Esta contratação da Ferrari coloca-a como uma das poucas equipas que já têm o seu line-up completo para o próximo ano. No entanto já se estão a assistir a “movimentos nos bastidores” com Alonso a levar para a Scuderia alguns técnicos com quem já trabalhou na tentativa de ganhar espaço interno na sua estadia de 3 anos na equipa…

Eis um excerto do comunicado da Ferrari:

“Estamos muito contentes de dar as boas-vindas a mais um piloto vencedor, que mostrou todo o seu incrível talento ao ganhar dois campeonatos do mundo até esta data.

“É claro que gostaríamos de agradecer ao Kimi tudo o que fez pela Ferrari: no seu primeiro ano connosco ganhou o título, contribuindo para a história da Ferrari, e desempenhando um papel fundamental na conquista dos títulos de Constructores de 2007 e 2008.

“Mesmo numa época difícil como esta, mostrou todo o seu extraordinário talento com excelentes resultados, incluindo a grande vitória em Spa e estamos certos que partilharemos bons tempos juntos nas últimas três corridas desta temporada.”
Scuderia Ferrari

Só um pormenor aqui: normalmente, uma equipa, quando contrata um piloto, fala ostensivamente sobre os defeitos do anterior, ou seja, as razões que os levaram a optar pelo outro. Se reparar, a Ferrari só fala sobre como Raikkonen tem talento, é empenhado e contribuiu para a marca da Scuderia.

Por outras palavras, percebe-se que a contratação de Fernando foi um capricho de Montezemolo e Domenicalli, e não porque o finlandês deixou algo a desejar!

“Silly season” começa

Após esta novela se ter finalmente concretizado, todos os dependentes da decisão vão começar um bailado sem fim.

Kimi deverá ir para a McLaren, Barrichello e Rosberg poderão trocar de equipa, Kovalainen procurará um lugar na Renault ou Toyota, Kubica reatará negociações com a Renault, etc. A decisão da grande parte dos citados estava simplesmente em compasso de espera, e agora as transferências vão começar a sério!

Leia também:
O regresso da Lotus… com Cosworth!
Já chega não acham?!
“Físico” na “Rossa”

Post anterior: Calendário 2010: reflexões

Singtel Singapore Grand Prix 2009 – Pontuação

28 de Setembro de 2009 Deixe um comentário

Após mais uma corrida de Fórmula 1 chega a altura de analisar quem esteve bem e quem esteve mal na noite de Singapura. Na altura de colocar os pontos nos “is” foi Hamilton quem esteve extremamente bem, Button fez apenas o necessário, e Alguersuari que nunca encontrou o ritmo, não só nesta corrida como também desde que chegou à Hungria…

Sem mais demoras eis as pontuações da corrida de ontem:

Lewis Hamilton: O fim-de-semana não começou bem, pois o carro nunca respondeu, mas o trabalho da equipa na noite de Sexta que colocou o McLaren no topo nos treinos, e depois na qualificação, desta vez com uma mãozinha de Barrichello. Na corrida foi perfeito, e nem um problema no KERS e as pressões de Vettel o colocaram em baixo. Nota 10.

Timo Glock: Nos treinos a Toyota não fez nada de especial, e isso reflectiu-se nas suas performances, mas a maneira como se superiorizou a Trulli com um carro lentíssimo foi brilhante, numa altura em que a base de Colónia está sob pressão da administração. Logo, este pódio não só o ajuda a ele como ao moral da equipa inteira! Nota 9 (demasiado ajudado por erros dos outros).

Fernando Alonso: Quando a Renault mais precisava esteve de volta o piloto que ganhou os campeonatos de 2005 e 2006. Foi absolutamente brilhante na largada, mas pecou por ser demasiado agressivo nas voltas seguintes. Apesar de alguma ajuda, mereceu mais este pódio que a vitória do ano passado… Nota 9.

Sebastian Vettel: Seria o provável vencedor da corrida, mas o acidente de Barrichello complicou-lhe a vida, e depois a sua estratégia era a mais desadequada não conseguindo a vital passagem a Hamilton. No seu lado fica a recuperação de um “drive-through” por um problema no limitador e um espelho retrovisor pouco cooperante… Nota 8.

Jenson Button: Foi patético na qualificação e na partida ao ver que Barrichello nunca conseguiria marcar muito mais que dois pontos não correu riscos e arrastou-se pela grelha… Depois contou com o azar no pit stop de Barrichello e uma estratégia mais bem adaptada para acabar na frente de Rubens. Nota 6.

Rubens Barrichello: O brasileiro fez o possível, mas finalmente teve que trocar a caixa de velocidades e caiu para uma posição em que a sua estratégia era péssima! Não pôde fazer muito na corrida e o motor morreu no último pit stop, mas sem aquele erro na classificação… Nota 7.

Heikki Kovalainen: Na qualificação tinha a desculpa de não ter tido tempo, mas na corrida perdeu de imediato posições para os Brawn quando tinha KERS (tal como em Monza), e nem com grandes falhas de outros conseguiu ir além de 7º enquanto o seu companheiro ganhou… Nota 5.

Robert Kubica: O polaco sofreu com o carro, e as melhorias da BMW não se revelaram tão eficazes como o previsto, vendo-se forçado a aguentar Nakajima e Raikkonen no final da corrida. Nota 6.

Kazuki Nakajima: O japonês voltou a não pontuar, e nem com algumas falhas de outros pilotos conseguiu chegar aos pontos num fim-de-semana em que a Williams esteve bem… E, acabou mais perto de Raikkonen que de Kubica. Nota 4.

Kimi Raikkonen: O finlandês viu-se confrontado com um carro fraquíssimo que nem para os pontos pareceu ser candidato. Defendeu-se com pouco ânimo dos carros do meio do pelotão, e fez apenas o suficiente baixando o preço do seu contracto para a Ferrari! Nota 6.

Nico Rosberg: O alemão merecia muito mais neste fim-de-semana e foi cruel o modo como perdeu o pódio. Aquele erro foi um pouco estúpido, mas no resto do fim-de-semana foi soberbo e merece um carro ganhador para 2010. Nota 8.

Jarno Trulli: O italiano foi patético durante toda a prova enquanto o seu companheiro deu que falar. Deverá ser a sua última temporada, porque está sem mercado nenhum… Nota 3.

Giancarlo Fisichella: O italiano tinha mais uma corrida de adaptação, mas numa altura em que o F60 era um carro de meio do pelotão não podia ter feito muito mais, mas tal como sempre perdeu o ânimo por completo perante dificuldades… Nota 5.

Vitantonio Liuzzi: O que se passou?! Depois de ter deixado no ar que merecia uma oportunidade de continuar a correr na F1 em Monza, foi uma sombra de si mesmo em Singapura, não reagindo bem ao facto de o Force India ter voltado ao fundo da grelha. Nota 4.

Jaime Alguersuari: Mais uma corrida em que mostrou que apenas permanece na categoria graças à condição de jovem espanhol do programa Red Bull… Na minha opinião teve grandes culpas no incidente Sutil X Heidfeld pois seguia 2s mais lento que Raikkonen, e este já não ia propriamente depressa! Nota 2.

Sebastien Buemi: Voltou a mostrar os níveis vistos no início do ano perante a melhoria da Toro Rosso (ou terá sido a descida da Force India?), e parecia ir terminar no Top Ten antes dos travões lhe acabarem a corrida. Se Loeb substituir alguém em Abu Dhabi, torna-se óbvio: não será ele! Nota 6.

Mark Webber: O australiano tinham uma missão simples: acabar na frente de Vettel e Button para mostrar que ainda poderia ser campeão. Mas uma má partida e travões com problemas relegaram-no ao papel (agora oficial) de ajudante de Sebastian… Nota 4.

Adrian Sutil: O alemão sofreu uma quebra psicológica após se ter dado conta que o VJM-02 já não era o mesmo de Monza, e na corrida era óbvio que se estava a enfurecer com Alguersuari, pois o espanhol não o deixava passar e isso levou-o a cometer o erro de querer voltar de imediato acabando com a sua corrida e a de Heidfeld. Nota 4.

Nick Heidfeld: Depois de lhe terem “roubado” o lugar que tinha na Q3, era claro que estava apenas a fazer uma autêntica sessão de testes. Mesmo assim não desistiu e foi a determinação (ou será casmurrice) de Sutil a atirá-lo para fora… Os insultos que fez ao alemão tinha uma óbvia razão de ser: um fim-de-semana para esquecer! Nota 5 (pela performance na qualificação).

Romain Grosjean: Mais um fim-de-semana para esquecer com o franco-suíço a ter sofrido de uma indisposição e a estranha decisão de não o substituir foi desastrosa! Ainda bateu Liuzzi, mas isso não é um feito, e desistiu após 5 voltas… Mesmo doente, há que lembrar que Hamilton acabou em 2º em Valência (2008) com uma febre. Nota 1.

Leia também:
Gran Premio Santander d’Italia 2009 – Pontuação
ING Belgian Grand Prix 2009 – Pontuação
Telefónica Grand Prix of Europe 2009 – Pontuação

Post anterior: Singtel Singapore Grand Prix 2009 – Corrida

Singtel Singapore Grand Prix 2009 – Corrida

27 de Setembro de 2009 Deixe um comentário

Grande corrida com um grande resultado final que tornou Lewis Hamilton no mais vencedor no período 2007-2009! Apesar de algumas opiniões insistentes em como o GP da Singapura é dos mais aborrecidos e que devia sair do calendário creio que estão errados: considero esta corrida emocionante graças à mudança de protagonistas.

Enfim, numa corrida em que Button garantiu por certo o título mundial, Rosberg e Vettel cometeram erros cruciais que nos roubaram a hipótese de ver uma luta a três pela vitória nas voltas finais. A 4 se contarmos com Glock, que fez uma corrida fenomenal, ainda que sem chegar perto de Hamilton!

Domínio de Hamilton e brilho de Glock

Por mais que se tente discordar é impossível: Lewis esteve inspirado na noite de Singapura, ganhando muito tempo no início da prova com um carro mais pesado. Quando o Safety-Car apareceu, por causa do acidente Heidfeld-Sutil, Vettel revelou-se um forte adversário mas tal como na Turquia não conseguiu passar, mesmo estando mais leve.

Depois de também ele ter cometido um erro, Hamilton limitou-se a controlar a corrida, nem se dando ao trabalho de andar ao nível de Glock, pois o alemão já vinha muito atrás quando começou a bater os tempos do britânico…

Timo esteve excelente, ganhando uma posição a Alonso nas primeiras voltas, e passando Webber depois porque a Red Bull o tinha mandado fazer por medo a uma penalização por ter ido para fora da pista no combate com Alonso. As falhas de Rosberg e Vettel colocaram-no na segunda posição nunca tendo sido ameaçado por Alonso.

Travões dão dores de cabeça a Red Bull

A Red Bull (e com isto também me refiro à Toro Rosso) esteve péssima. Por mais que as performances até tenha sido bem melhores que nas corridas anteriores, a verdade é que os carros de Adrian Newey sempre se mostraram demasiado frágeis…

Prova disso foi o espelho retrovisor de Vettel se ter soltado em plena recta, depois de ter ficado deformado durante várias voltas, e ainda os problemas de travões que assombraram Sebastian no final da corrida, e que já tinham colocado o seu companheiro e os Toro Rosso de fora da corrida!

No entanto não foram apenas os travões que causaram problemas a Alguersuari, que (na minha opinião) foi o causador do acidente entre Heidfeld e Sutil, para além de ter feito sobreaquecer o último…

Para Mark Webber foi muito pior: o título foi-se e agora será forçado a ajudar Vettel a tentar alcançar os Brawn.

Quem os viu e quem os vê

Ferrari, Force India e Williams estiveram muito diferentes das performances vistas nas últimas duas corridas: só que enquanto isso foi pela positiva na Williams, foi pela negativa nas duas primeiras…

Depois de terem conquistado os primeiros pontos, esperava-se que os VJM-02 chegassem (pelo menos) ao Top Ten. Nada disso aconteceu e o único representante de Vijay Mallya acabou na última posição… A Ferrari não se pode ficar a rir, pois o “Iceman” apenas chegou em 10º, e “Físico” só conseguiu chegar na frente de Liuzzi (que esteve muito menos impressionante em comparação com Monza)!

Já os carros de Sir Frank viram o regresso aos bons tempos, e parecia que finalmente iriam facturar um pódio, mas o facto de Rosberg se ter baralhado e colocado o carro inteiro sobre a linha das boxes (1ª vez na história)… Um “drive-through” era óbvio e Nakajima voltou a não estar à altura do carro.

Mensagens de apoio para “desapoiar”

No final da corrida Fernando Alonso esteve no mínimo estranho: não perdeu tempo a festejar, foi o primeiro a chegar ao line-up dos três primeiros, cumprimentou Glock e não Hamilton (isto já é um pouco mais justificável…) e mal festejou o melhor resultado da temporada num dos tempos mais difíceis da equipa.

O pior ficou reservado para o final quando afirmou dedicar o pódio a Flavio Briatore… O desagrado da equipa foi óbvio, pois o italiano fez declarações de vingança após a decisão do Conselho no mínimo estranhas! Uma prova que o espanhol deve estar de partida para a Ferrari, como o presidente da Scuderia já deixou escapar…

Button com uma mão na taça

A corrida de hoje foi obviamente a consagração de Button: é absolutamente irrealista que Barrichello consiga tirar metade dos pontos disponíveis a Button em 3 corridas (15 em 30). O inglês sorriu como nunca no final pois nem precisava de acabar na frente de Rubinho para consolidar a sua posição.

Rubens perdeu as hipóteses de acabar na frente de Button após ter deixado o motor “morrer” na última paragem… Mesmo assim se Button não ganhar uma corrida até ao final do ano não merece o título, pois assim só terá ganho quando o Brawn foi o dominador indiscutível!

Leia também:
Singtel Singapore Grand Prix 2009 – Qualificação
Gran Premio Santander d’Italia 2009 – Pontuação
Gran Premio Santander d’Italia 2009 – Corrida

Post anterior: Singtel Singapore Grand Prix 2009 – Qualificação

Renault suspensa… mas não para já!

21 de Setembro de 2009 Deixe um comentário

Tal como todos esperávamos as decisões do Conselho Mundial reverteram a favor da Renault tendo em conta as circunstâncias. Briatore e Symonds foram os “sacrifícios” resultantes desta polémica, mas até Ari Vatanen concorda: Piquet não deveria ter recebido imunidade…

Uma pena suspensa de 2 anos foi o resultado da “brincadeira” de Singapura, e tal como no caso da McLaren no início do ano, a sentença só será executada, caso até 2011 tome parte nalguma artimanha considerada igualmente grave. A dúvida é se Piquet conseguirá voltar a guiar um F1 na vida…

Actualização: Bob Bell toma o lugar de Flavio Briatore até ao final do ano.

Pena suspensa, mas como?

Talvez tenham percebido mal o título: considero que a pena que a FIA impôs à Renault foi perfeita, mas creio que ao contrário da McLaren que na sentença estava escrito que tornar-se-ia efectiva se quebrassem aquela secção específica do regulamento, os franceses têm um caso um pouco mais complicado nas mãos.

É que no veredicto, os representantes da Federação disseram que a pena seria “activada” caso a Renault se envolvesse nalguma polémica grande… Ou seja, os franceses não têm garantias sobre o que a FIA considerará de grande polémica, pois eles já perdoaram o caso dos extractores, mas puniram a McLaren por uma simples mentira!

Briatore afastado, Symonds… assim assim!

O principal “alvo” desta investida da FIA no “Renaultgate” foi o manager da Renault Flavio Briatore. O italiano (ao contrário de Stepney no “Stepneygate”) está expulso até uma data não fornecida, ou seja, foi o último capítulo de uma carreira em que jogou sujo vezes de mais…

O ex-dirigente da equipa de Enstone foi também proibido de ser o responsável pelas carreiras de pilotos, o que significa que Webber, Alonso, Grosjean e Piquet (ainda que este já não estivesse nas contas do italiano) estão no mercado em busca de quem lhes queira gerir as carreiras.

O outro afectado que nem precisou de comparecer perante o Conselho Mundial foi Symonds. O estrategista (ou melhor: ex-estrategista) da Renault está impedido de se juntar a qualquer competição organizada pela FIA durante 5 anos. Uma das hipóteses para se manter no activo é juntando-se à GP2 que não é organizada pela Federação…

Pilotos safos

Piquet e Alonso foram dois pilotos que saíram sem qualquer dano às investigações de Mosley. O brasileiro revelou tudo a troco da imunidade, mas realmente a obsessão do britânico em atingir Briatore levou “Mad” Max a ignorar o facto de o principal interveniente ter escapado…

Já no caso do bicampeão mundial Alonso foi tudo menos claro: apesar de se insistir que o espanhol não soube de nada, a verdade é que a estranha estratégia de 3 paragens levanta muitas suspeitas. De novo tal como no “Stepneygate” valeu Ecclestone querer preservar relativa paz no seio da Fórmula 1…

Leia também:
“Renaultgate” continua nos cartoons e no paddock
Agora é que está tudo tramado…
Análises de mercado – parte 1

Post anterior: Capa Autosport: Mercedes quer comprar a Brawn
Post seguinte: Capa Autosport: Renault F1 em risco!

Capa Autosport – Armindo Campeão do Mundo!

9 de Setembro de 2009 Deixe um comentário

Com algum atraso vem aí a “Capa Autosport” apreciem os principais pontos de destaque de um dos melhores semanários de F1.

Destaque: A grande vitória de Armindo Araújo no Campeonato do Mundo de Produção de Ralis tem a frente da edição, pois são as cores nacionais no título. No entanto ainda não se sabe se esta conquista é definitiva, porque Al-Attiyah apelou da penalização imposta na Grécia. Só a 6 de Outubro poderemos tirar conclusões…

Renault em apuros: Depois das supostas acções dos franceses em Singapura, a FIA continua a investigar a fundo e muito sangue ainda vai correr acerca do acidente de Nelson Piquet. Aliás, todos os episódios ligados a esta trama acabam no brasileiro, que deverá ter acabado com a sua carreira de piloto, pelo menos, na F1.

O Autosport lembra ainda que no passado todos os géneros de truques foram usados desde pneus especiais até gasolinas vitaminadas. Isto coloca em perigo a história do mundial para sempre!

Finalmente Fisichella: A edição de 3ª feira não foi a tempo de colocar Liuzzi como piloto da Force India para Monza, no entanto colocam-no como candidato, e que Petrov lutará com ele pelo segundo carro para 2010. Todos os pormenores sobre a ida de “Físico” para a Ferrari aqui.

Fala-se também que Kubica esteve perto de conseguir o lugar em Maranello, pois acredita-se que Peter Sauber, se conseguir salvar a equipa (o que é um grande “se”), usará motores Ferrari (tal como fazia na Sauber com os Petronas).

Outros: Para além das previsões para o próximo GP, o semanário tem também artigos sobre a possibilidade de investidores com ligações a Chandhock poder entrar na F1 através da BMW. A ida de Fernando Alonso a Oviedo, é alvo de uma pequena caixa com a assistência recorde e a mudança de nome de uma rua para o seu nome.

Na área “Pit Stop” vêm três destaques: o facto de Ross Brawn ter sido multado em 800€ e de não ter tido a sua carta apreendida por andar a 160km/h numa área em que o máximo permitido era 80km/h; o GP de Coreia do Sul avança, mesmo sem o apoio orçamental do governo; e ainda o facto de a USF1 se ter juntado à FOTA.

Álvaro Parente está por toda a parte com a vitória na segunda corrida no Estoril, pois era a sua primeira participação na Superlegue Formula, e o facto de o ter conseguido às custas de Bourdais anima muito. O francês acabou por conseguir ganhar a corrida dos prémios. Ainda a vitória de Rossi, que coloca o italiano mais perto do título.

Aproveito também para dizer que após o GP da Itália, o blogue não vai poder continuar a sr actualizado com tanta frequência como nestes dois meses, porque o “trabalho” está de regresso (quem vir o meu perfil perceberá porque estou a colocar os parênteses)…