Arquivo

Archive for the ‘Donington’ Category

Capa Autosport – Alta pressão no Brasil

14 de Outubro de 2009 Deixe um comentário

Mais uma edição da Capa Autosport que conta com previsões para o GP do Brasil que promete ser um dos GP’s mais emocionantes do ano com a possível decisão do título e a possibilidade de chuva a marcarem a ordem do dia.

Uma excelente análise sobre a situação das equipas que se vão estrear para 2010, a estranha fraca performance de Jenson Button na segunda metade da temporada, a estreia de Kobayashi, o regresso de Felipe Massa às pistas…

O estranho caso de Jenson Button

O Autosport dá enfâse ao “estranho caso” de Button não parecer querer o título… O inglês tem andado estranho ultimamente, isolando-se dos restantes membros do paddock quando sempre foi bastante sociável, e parecendo carecer de confiança. Isto mesmo com hipóteses muito realistas de título já em Interlagos, mas deve ser o fantasma Hamilton de 2007!

Destaque também para o facto de a Brawn estar a meio ponto do título mesmo no caso de uma dobradinha da Red Bull.

Ferrari abranda regresso de Massa

Como não podia deixar de ser o semanário dá uma página para a boa recuperação do brasileiro que testou esta semana um F2007 com pneus da GP2. No entanto na opinião deles o brasileiro foi abrandado pela Ferrari que estaria a tentar entrar com toda a borucracia possível para evitar a volta do piloto esta temporada…

Apesar de tudo acredita-se que Massa estará a 100% em 2010 pois os mais recentes testes realizados pela FIA mostram que ele recuperou completamente a visão do olho esquerdo. Melhor? Dará a bandeirada de xadrez no GP do Brasil. Melhor ainda? Se fosse para coroar uma vitória do seu amigo Barrichello!

Sangue novo na F1

Uma brilhante reportagem feita (como não podia deixar de ser) pelo eterno e brilhantíssimo Luís Vasconcelos, já colocada na íntegra pelo Speeder no seu blogue. Uma análise à situação de cada uma das novas equipas…

A Lotus mostra sinais de ser a melhor estreante graças ao budget, pessoal e instalações. Apesar de ter sido a última a inscrever-se para este mundial, a equipa vai ser das poucas estreantes que não estará condicionada pelo factor dinheiro podendo escolher o 2º carro sem preocupações monetárias. Heidfeld e Trulli são os principais candidatos para o 1º com o italiano em vantagem graças a Gascoygne.

O Team USF1 recebeu uma vistoria da parte da FIA com vista a garantir a viabilidade do projecto e isso pareceu convencer Bernie Ecclestone que é uma vaga garantida. No entanto a equipa provavelmente nem terá um, quanto mais dois americanos no lugar de piloto…

A Manor está cheia de controvérsia pelo alegado favorecimento (o processo aberto pela N Technology contra a FIA vai a tribunal para a semana), o apoio conferido pela Virgin deu estabilidade a uma equipa que vai optar por não usar túnel de vento. Parente e Senna são os nomes mais falados para a equipa.

A Campos (contra as principais expectativas) é a pior de todas, pois não tem patrocinadores nem pilotos confirmados, já para não falar de não existir nenhuma estrutura… Diz-se que a equipa vetou a Sauber para os obrigar a comprar-lhe a vaga no mundial, e que teria feito uma proposta a Piquet, mas esse andam com o nome queimado no circo!

Outros

Timo Glock não participa no GP do brasil em detrimento de Kobayashi; tampões de pneus proibidos para 2010 (para alegria da Renault…); GP de Mónaco com data antecipada; o facto de Glock se poder juntar a Kubica na Renault para tornar a marca francesa com hipóteses mais credíveis.

O facto da equipa USF1 ter “passado no teste” realizado pela FIA; Trulli vai experimentar um NASCAR mas garante que não quer ir para os EUA; Donington com o prazo a chegar ao fim (mas hoje já arranjou apoios necessários); e a morte de Jean Sage.

Leia também:
Capa Autosport – Lorenzo não atira a toalha!
Capa Autosport – Hamilton dá ajuda a Button
Capa Autosport – Renault F1 em risco!

Post anterior: Estou de volta, mas o que se passou?

Calendário 2010: Reflexões

29 de Setembro de 2009 Deixe um comentário

Após bastante tempo de espera no qual alguns blogues comentaram como a versão oficial da temporada estava a demorar bem mais do que a deste ano. A verdade é que o conflito FOTA vs FIA deitou tudo a perder, sem contar com os problemas de GP’s como Alemanha ou China… Mas isso é mais para daqui a pouco!

Do regresso do Canadá até à estreia do GP da Coreia, o calendário de 2010 promete muita acção nas suas 19 corridas, batendo o recorde de mais corridas por temporada. No entanto só da opinião do F1 Fanatic: 19 não é a mais, é a menos…

Os pontos de interrogação

Apesar de tudo dar a indicar que está tudo bem na F1 com apenas um “*” no GP do Canadá, a verdade é que esse não é o principal caso de dúvidas relativas às corridas… Os GP’s de Inglaterra, Alemanha e China estão bem piores!

O GP de Inglaterra começa a parecer seguro, pois Ecclestone disse que não ia dar mais tempo a Donington de se preparar, e que Silverstone tomaria o lugar na eventualidade. O GP da Alemanha já está um pouco mais resolvido, pois à semelhança do Canadá a questão é um decréscimo nos preços exigidos a Hockenheim.

A ronda de Shangai parece correr um grande perigo, porque, ao contrário dos GP’s europeus, Bernie não pensa sequer em baixar um cêntimo os preços. Isto quando os chineses devem dinheiro deste ano, e as exigências aumentarão para o ano, enquanto os organizadores nao encontram patrocinador…

Apesar dos comunicados oficiais, o GP do Canadá não pode ser já dado como certo, porque faltam acertar os pormenores financeiros (que em teoria deveriam ser os menos importantes…) e o período em que foi inserido levanta dúvidas acerca de ser praticável.

Pormenores

Para além das rondas mais tradicionais (a julgar pelo que aconteceu às rondas da Inglaterra e Alemanha, não sei se isso existe para Ecclestone…) existem outros pontos de surpreendentes. A manutenção da prova de Valência só foi garantido porque Mr. E não quer entregar a derrota, pois é óbvio que a pista não tem qualquer encanto.

O GP da Coreia constituiu alguma surpresa pelo facto de não estar muito bem preparado com muitas obras em decurso… Destaque também para as alterações na ordem das corridas, com o Barhein a receber pela segunda vez a primeira ronda do campeonato, e ainda também o regresso do Brasil como ronda final.

Portugal fora…

O autódromo do Algarve ficou de fora com alguma surpresa, pois mereceu fortes elogios de todos os pilotos de todas as categorias que lá passaram… Foi pena, porque tanto Mosley como Ecclestone deram a entender que o GP de Portugal poderia estar de volta, mas não aconteceu.

Enquanto Bernie tenta convencer os indianos a ajudarem o construcção do novo circuito, ensinando-lhe porque a F1 é um desporto (aposto que a lição nº1 foi que tal como no futebol podiam-se comprar os “árbitros”), nós temos uma cultura incrível pelo desporto e um autódromo construído e alvo de elogios! Aparentemente não resulta…

Calendário completo

14 Março – Barhain
28 Março – Austrália
4 Abril – Malásia
18 Abril – China
9 Maio – Espanha
23 Maio – Mónaco
30 Maio – Turquia
13 Junho – Canadá
27 Junho – Europa (Valência)
11 Julho – Inglaterra
25 Julho – Alemanha
1 Agosto – Hungria
29 Agosto – Bélgica
12 Setembro – Itália
26 Setembro – Singapura
3 Outubro – Japão
17 Outubro – Coreia do Sul
31 Outubro – Abu Dhabi
14 Novembro – Brasil

(ilustração gráfica assim que possível…)

Leia também:
Capa Autosport – Renault F1 em risco!
O regresso da Lotus… com Cosworth!
Agora é que está tudo tramado…

Post anterior: Singtel Singapore Grand Prix 2009 – Pontuação

Capa Autosport – Este miúdo é imparável!

11 de Agosto de 2009 Deixe um comentário

Capa Autosport - Este miúdo é imparável!

Peço desculpa pelo atraso da publicação, mas há que aproveitar enquanto o Verão dura para ir apanhar uns banhos de Sol… Enfim, mais vale tarde que nunca: eis os destaques do Autosport para esta semana.

Formiga guerreira: António Félix da Costa está a brilhar este ano na Fórmula Renault 2.0, conseguindo mais uma vitória dupla, a 4ª seguida (e 6ª da temporada). O português está realmente com perspectivas muito risonhas, podendo conquistar o título daqui a três provas. António está também num possível rumo à F3 Euroseries, lugar preferido das equipas de F1 para sondar talentos! Mais um candidato luso à fórmula máxima, seguindo as pisadas de Álvaro Parente.

Também na capa: O semanário refere também uma entrevista a Pat Symonds, com o projectista a afirmar que se sente enfastiado com os actuais regulamentos referentes aos “pit stops”, estando à espera de mais inovação nas estratégias sem a necessidade de reabastecer. O outro destaque é o português Victir Mlyakawa, que é engenheiro na Brawn GP. Uma entrevista em que ele refere o seu histórico: da Super Aguri à líder do campeonato Brawn!

BMW sem espaço de manobra: Após a renúncia dos germânicos em Peter Sauber tomar posse da equipa, as coisas estão muito negras. Ecclestone e Mosley não perderam tempo para colocar uma montadora de fora, levando a que quem comprar a estrutura de Hinwill, tenha ainda que passar a fase de escolha das equipas. Mesmo que o consiga (o que será difícil), não receberá os prémios referentes a este ano da BMW, por em teoria ser uma nova equipa… Enquanto Bernie poupa dinheiro, Villadelprat ainda acredita que poderá estar em Melbourne em 2010, pois é a estrutura mais qualificada para isso, a seguir à ex-BMW.

Schumi em dúvida: Um pouco atrasados, pois o alemão já não vai participar em Valência, o Autosport fala sobre o acidente que impediu o alemão de regressar, das alternativas mais credíveis: Gené e Fisichella (não referem nem uma única vez Badoer…). Falam também sobre Willy Weber e as suas declarações estranhas (como eu próprio já referi no Twitter) que fazem lembrar o nosso ex-ministro da Economia: quando diz algo acontece o contrário…

Outros: Desta vez, devido às férias prolongadas da F1, as breves são mesmo breves: a confirmação do GP do Canadá apenas surpreendeu pelos preços baixos de Ecclestone, mas o patrão da FOM, afirma que Indianápolis não voltará, deixando a F1 órfã do seu maior mercado… Donington parece cada vez menos provável com a mudança de empreiteiro, e Bourdais ganhou mais com a indemnização da Toro Rosso do que com o seu salários de 2008!