Grande Prêmio Petrobras do Brasil 2009 – Corrida

E pronto! O campeonato terminou apesar de faltar uma corrida para o fim, com Jenson Button a conquistar o título para si e para a Brawn como já se esperava. Barrichello voltou a ter azar em casa, quando parecia ter-se finalmente livrado dele depois da brilhante pole position no Sábado

Para a Red Bull é o fim do sonho, apesar de Vettel ainda estar a discutir o vice com Rubinho. Kobayashi foi, de longe, a melhor estreia deste ano (desde Vettel, mesmo!), dando muito trabalho ao novo campeão do mundo, Nakajima, Fisichella,… Tudo pilotos que deverião estar muito acima do “rookie” nipónico!

Estou-me a esquecer de alguma coisa… Ah! É verdade: foi Mark Webber quem ganhou a corrida.

Não vencer era impossível

Apesar de muito eclipsado pela conquista do título de Button (tanto pelas câmaras de TV como na blogosfera), Mark Webber foi o justo vencedor de uma corrida em que foi perfeito de princípio a fim para conseguir os primeiros pontos desde o GP da Hungria, e a segunda vitória da carreira, com Kubica atrás de si.

O acidente monumental entre Trulli e Sutil (de que falarei em pormenor mais à frente) que levou, também, Alonso consigo ajudou bastante o australiano. Isto porque, não só arruinou a estratégia de Barrichello, como também se viu livre de dois adversários bastante sérios devido às suas estratégias.

Incidentes diversos provocam SC

Depois de todos os carros terem passado em segurança pelos “S de Senna” achámos que o GP do Brasil não iria trazer a sua habitual debandada inicial, mas “Físico” e “Kova” depressa comprovaram o contrário.

Heikki pisou com excessiva força o corrector na ânsia de passar Vettel, e isso foi fatal pois ao perder o controlo forçou Giancarlo a “fugir” para a relva, acabando com as aspirações de pontos para ambos quando precisam de reforçar as suas posições nas respectivas equipas.

Mais à frente, Sutil bloqueou um pneu para evitar Raikkonen (que tinha danificado a asa dianteira em Webber) e com isso viu-se na “mira” de Trulli. Mas aí o italiano exagerou pisando a relva, perdeu o controlo e destruiu o radiador de Sutil, indo cada um para seu lado… O Force India do alemão estava desgovernado e acabou por acertar em Alonso, vítima inocente do acidente.

Safety-Car para a pista, e mesmo assim houve mais acção: nas boxes estavam os dois finlandeses, Raikkonen e Kovalainen, devido aos seus incidentes. Mas vendo Kimi sair das boxes, Heikki quis-se apressar e levou a mangueira consigo. A gasolina continuou a deitar, e quando entrou em contacto com os escapes do outro finlandês incendiou.

Temeu-se o pior, mas o piloto da Ferrari nem parou, com o incêndio a estinguir-se sozinho. Kovalainen lá parou, e, num acto de “fairplay” os mecânicos da Brawn retiraram a mangueira para Heikki continuar.

Título arrumado

Como já disse mais à frente, Jenson Button conquistou o seu primeiro triunfo no campeonato mundial de Fórmula 1, conseguindo um título em que poucos acreditavam, com uma performance digna da conquista, indo com a faca nos dentes durante as primeiras voltas, e tendo a serenidade de não cometer loucuras quando tentou passar Kobayashi.

Quem sabe, agora que está libreto da pressão de ir com segurança, possa conseguir ir sem pressão para o Abu Dhabi lutar pela vitória.

Barrichello devia ir à bruxa antes de correr em Interlagos… Pela quarta vez em que conquista pole position na “sua casa”, não conseguiu ganhar a corrida. Tudo começou na largada, com a entrada do Safety-Car a destruir-lhe a estratégia, depois deu-se mal com o último jogo de pneus, e depois a defender-se de Hamilton o inglês furou-lhe o pneu traseiro!

Já Vettel foi muito consistente, porque apesar de o RB5 ter sido o carro a bater na pista brasileira, o alemão nunca desistiu do título, chegando em quarto e passando Button nas boxes graças a umas voltas-canhão “à la Schumi”.

Kobayashi e Hamilton brilhantes

Eram muitas as dúvidas em redor do que estes dois fariam na corrida.

Kobayashi tinha dado bons sinais no Japão, e não estava mal em Interlagos, mas as dúvidas relativas ao facto de ser um japonês na Toyota subsistiam. Eu próprio me incluo na lista!

No entanto foi incrível a capacidade com que progrediu pelo pelotão, dando muito trabalho a Jenson Button até o britânico lá o conseguir passar após 19 voltas (!), e num um-a-um com o compatriota Nakajima numa luta incrível saiu vitorioso.

Já Hamilton foi ainda melhor: a opção por um set up para seco parecia um erro gravíssimo na qualificação, mas foi perfeita para a corrida, pois a chuva não fez a aparição habitual no fim-de-semana. Dito isto, parece fácil, mas Lewis foi extraordinário chegando ao pódio, enganando-se na posição até ele e Kubica perceberem que estavam no lugar um do outro…

Leia também:
Fuji Television Japanese Grand Prix 2009 – Corrida
Singtel Singapore Grand Prix 2009 – Corrida
Gran Premio Santander d’Italia 2009 – Corrida

Post anterior: Grande Prêmio Petrobras do Brasil 2009 – Qualificação

  1. Ainda sem comentários.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: