Archive

Archive for Setembro, 2009

Agora é que vai ser a sério!

30 de Setembro de 2009 Deixe um comentário

Finalmente depois de 2 anos de muita especulação, finalmente Fernando Alonso foi garantido como piloto da Ferrari para a temporada de 2010. O anúncio era apenas uma questão de tempo, porque ninguém tinha a mais pequena dúvida que, após o deslize de Montezemolo para a Marca, o espanhol seria confirmado ao lado de Felipe Massa…

O resto do pelotão estava em compasso de espera desta decisão para tomar as suas iniciativas para um novo emprego, no que promete ser um Big Bang de transferências em poucos meses, depois desta temporada ter sido um fiasco nesse capítulo (apenas Vettel se moveu “internamente”…).

Detalhes e seguimentos

Esta contratação da Ferrari coloca-a como uma das poucas equipas que já têm o seu line-up completo para o próximo ano. No entanto já se estão a assistir a “movimentos nos bastidores” com Alonso a levar para a Scuderia alguns técnicos com quem já trabalhou na tentativa de ganhar espaço interno na sua estadia de 3 anos na equipa…

Eis um excerto do comunicado da Ferrari:

“Estamos muito contentes de dar as boas-vindas a mais um piloto vencedor, que mostrou todo o seu incrível talento ao ganhar dois campeonatos do mundo até esta data.

“É claro que gostaríamos de agradecer ao Kimi tudo o que fez pela Ferrari: no seu primeiro ano connosco ganhou o título, contribuindo para a história da Ferrari, e desempenhando um papel fundamental na conquista dos títulos de Constructores de 2007 e 2008.

“Mesmo numa época difícil como esta, mostrou todo o seu extraordinário talento com excelentes resultados, incluindo a grande vitória em Spa e estamos certos que partilharemos bons tempos juntos nas últimas três corridas desta temporada.”
Scuderia Ferrari

Só um pormenor aqui: normalmente, uma equipa, quando contrata um piloto, fala ostensivamente sobre os defeitos do anterior, ou seja, as razões que os levaram a optar pelo outro. Se reparar, a Ferrari só fala sobre como Raikkonen tem talento, é empenhado e contribuiu para a marca da Scuderia.

Por outras palavras, percebe-se que a contratação de Fernando foi um capricho de Montezemolo e Domenicalli, e não porque o finlandês deixou algo a desejar!

“Silly season” começa

Após esta novela se ter finalmente concretizado, todos os dependentes da decisão vão começar um bailado sem fim.

Kimi deverá ir para a McLaren, Barrichello e Rosberg poderão trocar de equipa, Kovalainen procurará um lugar na Renault ou Toyota, Kubica reatará negociações com a Renault, etc. A decisão da grande parte dos citados estava simplesmente em compasso de espera, e agora as transferências vão começar a sério!

Leia também:
O regresso da Lotus… com Cosworth!
Já chega não acham?!
“Físico” na “Rossa”

Post anterior: Calendário 2010: reflexões

Calendário 2010: Reflexões

29 de Setembro de 2009 Deixe um comentário

Após bastante tempo de espera no qual alguns blogues comentaram como a versão oficial da temporada estava a demorar bem mais do que a deste ano. A verdade é que o conflito FOTA vs FIA deitou tudo a perder, sem contar com os problemas de GP’s como Alemanha ou China… Mas isso é mais para daqui a pouco!

Do regresso do Canadá até à estreia do GP da Coreia, o calendário de 2010 promete muita acção nas suas 19 corridas, batendo o recorde de mais corridas por temporada. No entanto só da opinião do F1 Fanatic: 19 não é a mais, é a menos…

Os pontos de interrogação

Apesar de tudo dar a indicar que está tudo bem na F1 com apenas um “*” no GP do Canadá, a verdade é que esse não é o principal caso de dúvidas relativas às corridas… Os GP’s de Inglaterra, Alemanha e China estão bem piores!

O GP de Inglaterra começa a parecer seguro, pois Ecclestone disse que não ia dar mais tempo a Donington de se preparar, e que Silverstone tomaria o lugar na eventualidade. O GP da Alemanha já está um pouco mais resolvido, pois à semelhança do Canadá a questão é um decréscimo nos preços exigidos a Hockenheim.

A ronda de Shangai parece correr um grande perigo, porque, ao contrário dos GP’s europeus, Bernie não pensa sequer em baixar um cêntimo os preços. Isto quando os chineses devem dinheiro deste ano, e as exigências aumentarão para o ano, enquanto os organizadores nao encontram patrocinador…

Apesar dos comunicados oficiais, o GP do Canadá não pode ser já dado como certo, porque faltam acertar os pormenores financeiros (que em teoria deveriam ser os menos importantes…) e o período em que foi inserido levanta dúvidas acerca de ser praticável.

Pormenores

Para além das rondas mais tradicionais (a julgar pelo que aconteceu às rondas da Inglaterra e Alemanha, não sei se isso existe para Ecclestone…) existem outros pontos de surpreendentes. A manutenção da prova de Valência só foi garantido porque Mr. E não quer entregar a derrota, pois é óbvio que a pista não tem qualquer encanto.

O GP da Coreia constituiu alguma surpresa pelo facto de não estar muito bem preparado com muitas obras em decurso… Destaque também para as alterações na ordem das corridas, com o Barhein a receber pela segunda vez a primeira ronda do campeonato, e ainda também o regresso do Brasil como ronda final.

Portugal fora…

O autódromo do Algarve ficou de fora com alguma surpresa, pois mereceu fortes elogios de todos os pilotos de todas as categorias que lá passaram… Foi pena, porque tanto Mosley como Ecclestone deram a entender que o GP de Portugal poderia estar de volta, mas não aconteceu.

Enquanto Bernie tenta convencer os indianos a ajudarem o construcção do novo circuito, ensinando-lhe porque a F1 é um desporto (aposto que a lição nº1 foi que tal como no futebol podiam-se comprar os “árbitros”), nós temos uma cultura incrível pelo desporto e um autódromo construído e alvo de elogios! Aparentemente não resulta…

Calendário completo

14 Março – Barhain
28 Março – Austrália
4 Abril – Malásia
18 Abril – China
9 Maio – Espanha
23 Maio – Mónaco
30 Maio – Turquia
13 Junho – Canadá
27 Junho – Europa (Valência)
11 Julho – Inglaterra
25 Julho – Alemanha
1 Agosto – Hungria
29 Agosto – Bélgica
12 Setembro – Itália
26 Setembro – Singapura
3 Outubro – Japão
17 Outubro – Coreia do Sul
31 Outubro – Abu Dhabi
14 Novembro – Brasil

(ilustração gráfica assim que possível…)

Leia também:
Capa Autosport – Renault F1 em risco!
O regresso da Lotus… com Cosworth!
Agora é que está tudo tramado…

Post anterior: Singtel Singapore Grand Prix 2009 – Pontuação

Singtel Singapore Grand Prix 2009 – Pontuação

28 de Setembro de 2009 Deixe um comentário

Após mais uma corrida de Fórmula 1 chega a altura de analisar quem esteve bem e quem esteve mal na noite de Singapura. Na altura de colocar os pontos nos “is” foi Hamilton quem esteve extremamente bem, Button fez apenas o necessário, e Alguersuari que nunca encontrou o ritmo, não só nesta corrida como também desde que chegou à Hungria…

Sem mais demoras eis as pontuações da corrida de ontem:

Lewis Hamilton: O fim-de-semana não começou bem, pois o carro nunca respondeu, mas o trabalho da equipa na noite de Sexta que colocou o McLaren no topo nos treinos, e depois na qualificação, desta vez com uma mãozinha de Barrichello. Na corrida foi perfeito, e nem um problema no KERS e as pressões de Vettel o colocaram em baixo. Nota 10.

Timo Glock: Nos treinos a Toyota não fez nada de especial, e isso reflectiu-se nas suas performances, mas a maneira como se superiorizou a Trulli com um carro lentíssimo foi brilhante, numa altura em que a base de Colónia está sob pressão da administração. Logo, este pódio não só o ajuda a ele como ao moral da equipa inteira! Nota 9 (demasiado ajudado por erros dos outros).

Fernando Alonso: Quando a Renault mais precisava esteve de volta o piloto que ganhou os campeonatos de 2005 e 2006. Foi absolutamente brilhante na largada, mas pecou por ser demasiado agressivo nas voltas seguintes. Apesar de alguma ajuda, mereceu mais este pódio que a vitória do ano passado… Nota 9.

Sebastian Vettel: Seria o provável vencedor da corrida, mas o acidente de Barrichello complicou-lhe a vida, e depois a sua estratégia era a mais desadequada não conseguindo a vital passagem a Hamilton. No seu lado fica a recuperação de um “drive-through” por um problema no limitador e um espelho retrovisor pouco cooperante… Nota 8.

Jenson Button: Foi patético na qualificação e na partida ao ver que Barrichello nunca conseguiria marcar muito mais que dois pontos não correu riscos e arrastou-se pela grelha… Depois contou com o azar no pit stop de Barrichello e uma estratégia mais bem adaptada para acabar na frente de Rubens. Nota 6.

Rubens Barrichello: O brasileiro fez o possível, mas finalmente teve que trocar a caixa de velocidades e caiu para uma posição em que a sua estratégia era péssima! Não pôde fazer muito na corrida e o motor morreu no último pit stop, mas sem aquele erro na classificação… Nota 7.

Heikki Kovalainen: Na qualificação tinha a desculpa de não ter tido tempo, mas na corrida perdeu de imediato posições para os Brawn quando tinha KERS (tal como em Monza), e nem com grandes falhas de outros conseguiu ir além de 7º enquanto o seu companheiro ganhou… Nota 5.

Robert Kubica: O polaco sofreu com o carro, e as melhorias da BMW não se revelaram tão eficazes como o previsto, vendo-se forçado a aguentar Nakajima e Raikkonen no final da corrida. Nota 6.

Kazuki Nakajima: O japonês voltou a não pontuar, e nem com algumas falhas de outros pilotos conseguiu chegar aos pontos num fim-de-semana em que a Williams esteve bem… E, acabou mais perto de Raikkonen que de Kubica. Nota 4.

Kimi Raikkonen: O finlandês viu-se confrontado com um carro fraquíssimo que nem para os pontos pareceu ser candidato. Defendeu-se com pouco ânimo dos carros do meio do pelotão, e fez apenas o suficiente baixando o preço do seu contracto para a Ferrari! Nota 6.

Nico Rosberg: O alemão merecia muito mais neste fim-de-semana e foi cruel o modo como perdeu o pódio. Aquele erro foi um pouco estúpido, mas no resto do fim-de-semana foi soberbo e merece um carro ganhador para 2010. Nota 8.

Jarno Trulli: O italiano foi patético durante toda a prova enquanto o seu companheiro deu que falar. Deverá ser a sua última temporada, porque está sem mercado nenhum… Nota 3.

Giancarlo Fisichella: O italiano tinha mais uma corrida de adaptação, mas numa altura em que o F60 era um carro de meio do pelotão não podia ter feito muito mais, mas tal como sempre perdeu o ânimo por completo perante dificuldades… Nota 5.

Vitantonio Liuzzi: O que se passou?! Depois de ter deixado no ar que merecia uma oportunidade de continuar a correr na F1 em Monza, foi uma sombra de si mesmo em Singapura, não reagindo bem ao facto de o Force India ter voltado ao fundo da grelha. Nota 4.

Jaime Alguersuari: Mais uma corrida em que mostrou que apenas permanece na categoria graças à condição de jovem espanhol do programa Red Bull… Na minha opinião teve grandes culpas no incidente Sutil X Heidfeld pois seguia 2s mais lento que Raikkonen, e este já não ia propriamente depressa! Nota 2.

Sebastien Buemi: Voltou a mostrar os níveis vistos no início do ano perante a melhoria da Toro Rosso (ou terá sido a descida da Force India?), e parecia ir terminar no Top Ten antes dos travões lhe acabarem a corrida. Se Loeb substituir alguém em Abu Dhabi, torna-se óbvio: não será ele! Nota 6.

Mark Webber: O australiano tinham uma missão simples: acabar na frente de Vettel e Button para mostrar que ainda poderia ser campeão. Mas uma má partida e travões com problemas relegaram-no ao papel (agora oficial) de ajudante de Sebastian… Nota 4.

Adrian Sutil: O alemão sofreu uma quebra psicológica após se ter dado conta que o VJM-02 já não era o mesmo de Monza, e na corrida era óbvio que se estava a enfurecer com Alguersuari, pois o espanhol não o deixava passar e isso levou-o a cometer o erro de querer voltar de imediato acabando com a sua corrida e a de Heidfeld. Nota 4.

Nick Heidfeld: Depois de lhe terem “roubado” o lugar que tinha na Q3, era claro que estava apenas a fazer uma autêntica sessão de testes. Mesmo assim não desistiu e foi a determinação (ou será casmurrice) de Sutil a atirá-lo para fora… Os insultos que fez ao alemão tinha uma óbvia razão de ser: um fim-de-semana para esquecer! Nota 5 (pela performance na qualificação).

Romain Grosjean: Mais um fim-de-semana para esquecer com o franco-suíço a ter sofrido de uma indisposição e a estranha decisão de não o substituir foi desastrosa! Ainda bateu Liuzzi, mas isso não é um feito, e desistiu após 5 voltas… Mesmo doente, há que lembrar que Hamilton acabou em 2º em Valência (2008) com uma febre. Nota 1.

Leia também:
Gran Premio Santander d’Italia 2009 – Pontuação
ING Belgian Grand Prix 2009 – Pontuação
Telefónica Grand Prix of Europe 2009 – Pontuação

Post anterior: Singtel Singapore Grand Prix 2009 – Corrida

Singtel Singapore Grand Prix 2009 – Corrida

27 de Setembro de 2009 Deixe um comentário

Grande corrida com um grande resultado final que tornou Lewis Hamilton no mais vencedor no período 2007-2009! Apesar de algumas opiniões insistentes em como o GP da Singapura é dos mais aborrecidos e que devia sair do calendário creio que estão errados: considero esta corrida emocionante graças à mudança de protagonistas.

Enfim, numa corrida em que Button garantiu por certo o título mundial, Rosberg e Vettel cometeram erros cruciais que nos roubaram a hipótese de ver uma luta a três pela vitória nas voltas finais. A 4 se contarmos com Glock, que fez uma corrida fenomenal, ainda que sem chegar perto de Hamilton!

Domínio de Hamilton e brilho de Glock

Por mais que se tente discordar é impossível: Lewis esteve inspirado na noite de Singapura, ganhando muito tempo no início da prova com um carro mais pesado. Quando o Safety-Car apareceu, por causa do acidente Heidfeld-Sutil, Vettel revelou-se um forte adversário mas tal como na Turquia não conseguiu passar, mesmo estando mais leve.

Depois de também ele ter cometido um erro, Hamilton limitou-se a controlar a corrida, nem se dando ao trabalho de andar ao nível de Glock, pois o alemão já vinha muito atrás quando começou a bater os tempos do britânico…

Timo esteve excelente, ganhando uma posição a Alonso nas primeiras voltas, e passando Webber depois porque a Red Bull o tinha mandado fazer por medo a uma penalização por ter ido para fora da pista no combate com Alonso. As falhas de Rosberg e Vettel colocaram-no na segunda posição nunca tendo sido ameaçado por Alonso.

Travões dão dores de cabeça a Red Bull

A Red Bull (e com isto também me refiro à Toro Rosso) esteve péssima. Por mais que as performances até tenha sido bem melhores que nas corridas anteriores, a verdade é que os carros de Adrian Newey sempre se mostraram demasiado frágeis…

Prova disso foi o espelho retrovisor de Vettel se ter soltado em plena recta, depois de ter ficado deformado durante várias voltas, e ainda os problemas de travões que assombraram Sebastian no final da corrida, e que já tinham colocado o seu companheiro e os Toro Rosso de fora da corrida!

No entanto não foram apenas os travões que causaram problemas a Alguersuari, que (na minha opinião) foi o causador do acidente entre Heidfeld e Sutil, para além de ter feito sobreaquecer o último…

Para Mark Webber foi muito pior: o título foi-se e agora será forçado a ajudar Vettel a tentar alcançar os Brawn.

Quem os viu e quem os vê

Ferrari, Force India e Williams estiveram muito diferentes das performances vistas nas últimas duas corridas: só que enquanto isso foi pela positiva na Williams, foi pela negativa nas duas primeiras…

Depois de terem conquistado os primeiros pontos, esperava-se que os VJM-02 chegassem (pelo menos) ao Top Ten. Nada disso aconteceu e o único representante de Vijay Mallya acabou na última posição… A Ferrari não se pode ficar a rir, pois o “Iceman” apenas chegou em 10º, e “Físico” só conseguiu chegar na frente de Liuzzi (que esteve muito menos impressionante em comparação com Monza)!

Já os carros de Sir Frank viram o regresso aos bons tempos, e parecia que finalmente iriam facturar um pódio, mas o facto de Rosberg se ter baralhado e colocado o carro inteiro sobre a linha das boxes (1ª vez na história)… Um “drive-through” era óbvio e Nakajima voltou a não estar à altura do carro.

Mensagens de apoio para “desapoiar”

No final da corrida Fernando Alonso esteve no mínimo estranho: não perdeu tempo a festejar, foi o primeiro a chegar ao line-up dos três primeiros, cumprimentou Glock e não Hamilton (isto já é um pouco mais justificável…) e mal festejou o melhor resultado da temporada num dos tempos mais difíceis da equipa.

O pior ficou reservado para o final quando afirmou dedicar o pódio a Flavio Briatore… O desagrado da equipa foi óbvio, pois o italiano fez declarações de vingança após a decisão do Conselho no mínimo estranhas! Uma prova que o espanhol deve estar de partida para a Ferrari, como o presidente da Scuderia já deixou escapar…

Button com uma mão na taça

A corrida de hoje foi obviamente a consagração de Button: é absolutamente irrealista que Barrichello consiga tirar metade dos pontos disponíveis a Button em 3 corridas (15 em 30). O inglês sorriu como nunca no final pois nem precisava de acabar na frente de Rubinho para consolidar a sua posição.

Rubens perdeu as hipóteses de acabar na frente de Button após ter deixado o motor “morrer” na última paragem… Mesmo assim se Button não ganhar uma corrida até ao final do ano não merece o título, pois assim só terá ganho quando o Brawn foi o dominador indiscutível!

Leia também:
Singtel Singapore Grand Prix 2009 – Qualificação
Gran Premio Santander d’Italia 2009 – Pontuação
Gran Premio Santander d’Italia 2009 – Corrida

Post anterior: Singtel Singapore Grand Prix 2009 – Qualificação

Singtel Singapore Grand Prix 2009 – Qualificação

26 de Setembro de 2009 Deixe um comentário

Mais uma brilhante sessão de qualificação de Lewis Hamilton que voltou a aproveitar a boa forma da McLaren para conseguir a 3ª pole position da temporada na segunda vez que os carros voltaram a correr à noite num GP.

Apesar de ter sido interrompida pelo acidente de Barrichello na Q3, a sessão tinha apenas 27 segundos para terminar, e os comissários deram-na por terminada logo de seguida. Isto impediu que víssemos um grande duelo pela pole entre Hamilton, Vettel e Rosberg nos momentos finais, mas permitiu que outros não perdessem posições para carros mais rápidos.

Candidatos: Red Bull melhora, Brawn mal

Tanto a Brawn (com o novo patrocínio da Canon) como a Red Bull conseguiram ter fins-de-semana aceitáveis até à altura da qualificação, mas enquanto os austríacos conseguiram voltar aos primeiros lugares, a equipa de Ross Brawn ficou no meio da tabela…

Webber impressionou no último momento da Q2, mas tirando isso passou o tempo todo na sombra de Vettel. O alemão brilhou, pois agora que percebeu que não ganhará o título sendo cauteloso, decidiu acabar a época em grande mesmo que não ganhe o título!

Já a dupla Brawn terá que se recompor: Button não continuou a forma vista em Monza, estando de novo arrastado para o fundo do poço, ficando novamente na Q2. Barrichello tinha tudo para partir da primeira fila, mas um erro levou-o a embater no muro, e mesmo partindo à frente do companheiro com a penalização de troca da caixa de velocidades, podia ter aproveitado melhor o dia-não de Jenson…

Recuperação da Williams, queda da Ferrari

Depois de ter grandes dúvidas acerca da sua competitividade em Monza, a Williams regressou em força para a frente do pelotão por pouco não voltando a fazer uma pole position! Rosberg partirá pela primeira vez da 1ª fila do grid, e vejamos os pesos porque depois de (em teoria e não-oficialmente) ter ganho o ano passado na sua opinião, tem a hipótese de o voltar a fazer este ano…

Já o seu colega continua a ser uma chicane ambulante, que não deverá ter mercado algum para o ano, nem mesmo na Toyota!

Já a Ferrari fez o caminho inverso, provavelmente terminando assim os pódios consecutivos, porque a não ser que Raikkonen esteja leve e Fisichella se estampe depois do seu reabastecimento creio que até pontos serão complicados…

“Físico” até esteve bem tendo em conta que apenas usou o carro uma vez há duas semanas, e que o F60 perdeu muita competitividade em Singapura, por isso desenganasse quem diz que Badoer se está a rir pois o italiano nem com o melhor carro saiu de último em Spa!

Bom trabalho para McLaren e BMW

As duas equipas de motores alemães estiveram bem na sessão, com as últimas alterações do ano para ambas a surtirem efeito. A McLaren viu Kovalainen no último lugar da Q3, pois o finlandês perdeu a sua segunda tentativa devido ao acidente de Barrichello, no entanto coube a Hamilton mostrar o potencial dos MP4-24. Ou terá sido uma questão de peso?

Já a BMW colocou fortes avanços aerodinâmicos e se estiverem pesados podem chegar ao pódio com facilidade…

Extremos opostos e desilusões

Toyota e Renault foram extremos opostos internos, pois enquanto Alonso e Glock chegaram à Q3 em boas posições, Grosjean e Trulli fizeram muito mal. Apesar do escândalo “Renaultgate” ter deixado marcas brancas (literalmente) na equipa, o carro (pelo menos nas mãos de Alonso) esteve bem.

Já Force India e Toro Rosso estiveram também estranhas em relação ao habitual. Enquanto os indianos abandonavam a frente do grid para “os velhos tempos”, a segunda equipa da Red Bull conseguiu melhorar um pouco levando pela primeira vez em muito tempo um carro até à Q2.

Leia também:

Gran Premio Santander d’Italia 2009 – Pontuação
Gran Premio Santander d’Italia 2009 – Corrida
Gran Premio Santander d’Italia 2009 – Qualificação

Post anterior: Capa Autosport – Renault F1 em risco!
Post seguinte: Singtel Singapore Grand Prix 2009 – Corrida

Capa Autosport – Renault F1 em risco!

24 de Setembro de 2009 Deixe um comentário

Mais um habitual “Capa Autosport”, desta vez separado apenas por um post, pois tenho estado com muito pouco tempo para dedicar ao blogue. Assim que possível vem o calendário de 2010 e as previsões para o GP de Singapura.

Ao contrário do que dava a pensar, o título do semanário não tem os resultados do Conselho Mundial já publicados: os próprios escritores têm uma palavrinha sobre isso no interior. No entanto o “Renaultgate” não é o único ponto de destaque, com a entrada da Lotus e a compra da BMW e as boas prestações dos portugueses a merecerem espaço da capa.

Terramoto na Renault: Apesar de a edição ter fechado antes da divulgação da decisão do Conselho Mundial, o Autosport fez brilhantes conclusões acerca de Briatore e as suas tendências para quebrar regulamentos, e ainda acerca do facto de os tribunais civis serem chamados, e sobre a potencial saída da Renault, que já foi desmentida.

Malásia banca regresso da Lotus: A escolha da Lotus como 13ª equipa do mundial de 2010 não poderá ser tida em conta como o “regresso verdadeira” da equipa fundada por Colin Chapman, pois dessa era apenas se mantém o nome da equipa… O facto de a equipa estar baseada no Médio Oriente e de usar motores da Cosworth devem ter sido os factores de escolha.

Ainda uma pequena caixinha sobre o facto de um investidor italiano comprar a parte de Michiel Mol na Force India. Isto levará a que a equipa possa resolver os seus problemas financeiros com a Mercedes, já que o holandês nunca deu um centavo a Mallya!

Petrodólares salvam a Sauber: Apesar de ter sido deixada de fora do Mundial pela FIA são muitos os que acreditam que, como 14ª equipa ou como compradora de outra, a equipa fundada por Peter Sauber chegará ao grid no GP do Barhain. A compra da Qadbak Investments trará paz monetária para os lados de Hinwill.

Tudo isto e a juntar o facto de Peter Sauber continuar com 20% da equipa e de Kubica já admitir permanecer na equipa poderão levar a uma manutenção do line-up deste ano para o próximo.

Quando o sonho comanda a vida: Excelente reportagem acerca da Ocean Racing Technology passando da pior equipa do pelotão a uma vencedora de corridas em apenas 7 meses. Tudo pelas mãos de Tiago Monteiro, com a escolha do nome e da possível criação de uma equipa de GP3 que poderia acolher António Félix da Costa…

Sustentável leveza: O regresso da equipa Lotus ao pelotão da Fórmula 1 para 2010, por mais que seja com motores Cosworth e donos malaios, não pode ser considerado mau: é uma excelente notícia! O Autosport organizou num dos seus “Fenómenos de F1” com as raízes da equipa de Colin Chapman.

Cores portugueses no auje: Portugal foi um nome de marca nesta semana que passou, pois Álvaro Parente, Miguel Ramos e António Félix da Costa a conseguirem posições bastante boas no panorama internacional, com o último a ter ganho o campeonato NEC da F. Renault. Só faltou Tiago Monteiro que foi eliminado por Augusto Farfus….

Espírito de iniciativa: Conheça tudo sobre a ASM e o seu título internacional de velocidade, e cujo próximo passo poderá ser uma ida a Le Mans!

Outros: As previsões para o GP da Singapura (as minhas a seguir); acordo de evolução de motores com FIA a pedir a Mercedes para piorar…; Loeb testa GP2 como preparação para Abu Dhabi (depois de eu ter dito que não, o malandro!); “Renault Roadshow” em Sochi local provável para GP da Rússia.

Massa irá participar nas 500 milhas de karting de Granja Viana; Coreia do Sul prepara-se para acolher a Fórmula 1 em 2010 com a ajuda do Governo local; e Canadá resolve os problemas económicos com Ecclestone para voltar ao calendário.

Leia também:
Capa Autosport – Mercedes quer comprar a Brawn
Capa Autosport – Armindo Campeão do Mundo!
Capa Autosport – Parente vai para a Fórmula 1!

Post anterior: Renault suspensa… mas não para já!
Post seguinte: Singtel Singapore Grand Prix 2009 – Qualificação

Renault suspensa… mas não para já!

21 de Setembro de 2009 Deixe um comentário

Tal como todos esperávamos as decisões do Conselho Mundial reverteram a favor da Renault tendo em conta as circunstâncias. Briatore e Symonds foram os “sacrifícios” resultantes desta polémica, mas até Ari Vatanen concorda: Piquet não deveria ter recebido imunidade…

Uma pena suspensa de 2 anos foi o resultado da “brincadeira” de Singapura, e tal como no caso da McLaren no início do ano, a sentença só será executada, caso até 2011 tome parte nalguma artimanha considerada igualmente grave. A dúvida é se Piquet conseguirá voltar a guiar um F1 na vida…

Actualização: Bob Bell toma o lugar de Flavio Briatore até ao final do ano.

Pena suspensa, mas como?

Talvez tenham percebido mal o título: considero que a pena que a FIA impôs à Renault foi perfeita, mas creio que ao contrário da McLaren que na sentença estava escrito que tornar-se-ia efectiva se quebrassem aquela secção específica do regulamento, os franceses têm um caso um pouco mais complicado nas mãos.

É que no veredicto, os representantes da Federação disseram que a pena seria “activada” caso a Renault se envolvesse nalguma polémica grande… Ou seja, os franceses não têm garantias sobre o que a FIA considerará de grande polémica, pois eles já perdoaram o caso dos extractores, mas puniram a McLaren por uma simples mentira!

Briatore afastado, Symonds… assim assim!

O principal “alvo” desta investida da FIA no “Renaultgate” foi o manager da Renault Flavio Briatore. O italiano (ao contrário de Stepney no “Stepneygate”) está expulso até uma data não fornecida, ou seja, foi o último capítulo de uma carreira em que jogou sujo vezes de mais…

O ex-dirigente da equipa de Enstone foi também proibido de ser o responsável pelas carreiras de pilotos, o que significa que Webber, Alonso, Grosjean e Piquet (ainda que este já não estivesse nas contas do italiano) estão no mercado em busca de quem lhes queira gerir as carreiras.

O outro afectado que nem precisou de comparecer perante o Conselho Mundial foi Symonds. O estrategista (ou melhor: ex-estrategista) da Renault está impedido de se juntar a qualquer competição organizada pela FIA durante 5 anos. Uma das hipóteses para se manter no activo é juntando-se à GP2 que não é organizada pela Federação…

Pilotos safos

Piquet e Alonso foram dois pilotos que saíram sem qualquer dano às investigações de Mosley. O brasileiro revelou tudo a troco da imunidade, mas realmente a obsessão do britânico em atingir Briatore levou “Mad” Max a ignorar o facto de o principal interveniente ter escapado…

Já no caso do bicampeão mundial Alonso foi tudo menos claro: apesar de se insistir que o espanhol não soube de nada, a verdade é que a estranha estratégia de 3 paragens levanta muitas suspeitas. De novo tal como no “Stepneygate” valeu Ecclestone querer preservar relativa paz no seio da Fórmula 1…

Leia também:
“Renaultgate” continua nos cartoons e no paddock
Agora é que está tudo tramado…
Análises de mercado – parte 1

Post anterior: Capa Autosport: Mercedes quer comprar a Brawn
Post seguinte: Capa Autosport: Renault F1 em risco!