Início > Brawn, Casos, FIA, Figuras, FOTA, Iniciativas do DP, Red Bull, Regulamento > Uma questão de linhagens…

Uma questão de linhagens…

As medidas anti-montadoras de Mosley, têm atingido o seu objectivo...

Após as sucessivas investidas de Max Mosley contra o desporto este ano, afectando (e muito) o desenho dos carros, e fazendo vários tentativas de afastar as montadoras. Isso culminou no abandono da Honda e da BMW. Isto levou à criação da Brawn, e, provavelmente vai levar a mais uma equipa independente se juntar ao campeonato com a ausência da BMW.

Em vários ataques da FOTA às equipas que a FIA tinha para consideração, o assunto base era o facto de as equipas que se inscreviam não terem qualquer historial, levando aos casos da Lotus e Brabham a ganharem vida própria… Mas, e se eu lhe dissesse que as equipas que disputam o campeonato (tanto de pilotos como de constructores) vêm das linhagens de nomes como Tyrrell e Stewart?

É verdade. As duas equipas que lutam pelo campeonato este ano, Red Bull e Brawn, vêm de tempos anteriores. Ora vejamos as duas equipas de topo de 2009:

A Brawn vem da linhagem da vencedora de títulos Tyrrell

Brawn: A equipa britânica que dominou o início desta temporada, tem raízes muito profundas, desde 1968, para ser mais preciso. Os títulos mundiais, da então Tyrrell, com o grande Jackie Stewart eram uma miragem distante nos últimos anos de vida. Os problemas financeiras levaram a equipa a ser comprada pela BAT (British American Tobacco).

Após essa compra, a equipa nunca mais fez resultados de relevo, ainda que em 2004 quase tenham ganho uma corrida, e facturaram 11 pódios. O que acabou a equipa foi a relação chegado com a Honda que optou por comprar a BAR em 2006. O primeiro ano, deu uma vitória e vários pódios, mas os dois seguintes foram decepcionantes, até a equipa se tornar a Brawn GP.

Jackie Stewart criou a Stewart GP, que actualmente é conhecida como Red Bull

Red Bull: A equipa austríaca tem uma história bem mais pequena. Quando Jackie Stewart criou a sua equipa a partir do nada em 1997, as dúvidas dissiparam-se, pois no ano de estreia Rubinho conquistou pontos regularmente e um pódio no Mónaco. No ano seguinte as coisas não correram tão bem, mas em 1999 a equipa estava logo atrás de McLaren e Ferrari, conquistando uma pole em Magny-Cours e uma vitória em Nurburgring.

Stewart revelou-se mais perspicaz que Prost com a equipa, vendendo a Stewart GP quando estava na mó de cima para a Jaguar. Em boa hora o fez porque os dois primeiros anos correram muito mal, levando à venda da equipa para a Red Bull em 2005. Desde então a equipa austríaca tem sido caracterizada como equipa do meio da tabela, mas este ano luta pelo título mundial… Uma curiosidade da marca de bebidas: desde 2004, que os números 14 e 15 são de carros com patrocínio Red Bull (Jaguar em 2004, Red Bull de 2005 a 2007 e 2009, e Toro Rosso em 2008).

Outras equipas também têm alguma história: Renault vem da Toleman, BMW vem da Sauber, Toro Rosso da Minardi e Force India da boa e velha Jordan.

  1. Willian
    8 de Agosto de 2009 às 18:46

    Interessante o post, pois é legal ver que essas equipes de hoje, na verdade possuem uma linhagem histórica com a F1.
    Bem bolado. Parabéns!

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: